expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 17 de julho de 2019

VERÃO EM PORTUGAL ENTROU FRESCO MAS VAI AQUECER E FAZER ARDER - A MIRAGEM DOS SUBSÍDIOS VAI INCENDIAR AINDA MAIS O PAIS - Espanha limpa as florestas - Veja a esquadria dos pomares que fotografei num voo de Lisboa a Madrid e compare-a com a costa portuguesa ou o interior - Portugal cultiva o mato, a chulice e o absentismo -


         Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e análise



Grandes Incêndios, como Pedrogão Grande, Alijó, Oleiros, Mangualde e por aí adiante – A devastação incendiária vai continuar porque há a indústria incendiária para alimentar e apetecíveis subsídios para sacar - Um pais arder porque ninguém quer limpar o mato à volta das casas, imersas por arvoredo e capinzal, nem a berma das estradas e os proprietários, absentistas, esperam que seja o Estado a encher-lhes os cofres – Os madeireiros, que empregam mão-de-obra precária e mal paga, agora falam em postos de trabalho que não promovem    -- Mais de 500 incêndios num só dia surgem apenas de causas naturais?  - O psiquiatra Luís Filipe Gonçalves  afirma que vivemos numa sociedade “psiquatrizada” (..)  o surgimento de mais de 500 incêndios num só dia certamente não se deverá apenas a causas naturais e fala das questões de interesses na propagação de fogoshttps://www.dnoticias.pt/multimedia/videos/mais-de-500-incendios-num-so-dia-surgem-apenas-de-causas-naturais-DL2184533
Grandes Incêndios, como Pedrogão Grande, Alijó, Oleiros, Mangualde e por aí adiante – A devastação incendiária vai continuar porque há a indústria incendiária para alimentar e apetecíveis subsídios para sacar - Um pais arder porque ninguém quer limpar o mato à volta das casas, imersas por arvoredo e capinzal, nem a berma das estradas e os proprietários, absentistas, esperam que seja o Estado a encher-lhes os cofres – Os madeireiros, que empregam mão-de-obra precária e mal paga, agora falam em postos de trabalho que não promovem

              VEJA-SE A DIFERENÇA DOS CAMPOS DE ESPANHA



Costa portuguesa invadida de mato 

ESTA É A IMAGEM AÉRA DE UM PAÍS ENVOLVIDO POR GRANDES MATAGAIO que esperam os donos das casas que nem sequer limpam o mato em seu redor ? – Que sejam os bombeiros a ocuparem-se dessa elementar obrigação?.... Basta transpor a fronteira de Portugal para Espanha, ou vice-versa, por via área ou terrestre, para constatar que o dito jardim à beira mar plantado, tem mais semelhanças com a negligência de muitos países africanos ou do terceiro mundo, que, com o resto da Europa - Descendentes de selvagens pastores de Viriato, que os romanos se viram gregos para domesticar, tendência agravada mais tarde com a expansão colonial, assim parece persistir a mentalidade ancestral dos chamados lusitanos.


16/06/2015 Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países Inquérito sobre fraude e corrupção em 38 países coloca Portugal na 5.ª posição dos mais corruptos, a seguir à Croácia, Quénia, Eslovénia e Sérvia, e depois da Índia e Ucrânia. Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países - Diário de Notícias  03/12/2013 -Corrupção em Portugal é "dramática" e está ligada à política 03/12/2013 - Corrupção continua a ser um dos principais problemas em Portugal16/11

ELITES RUINS E O POVO PASMADO POR FALTA DE LIDERANÇAS SÉRIAS E RESPONSÁVEIS -  O que esperam os donos das casas que nem sequer limpam o mato em redor das suas casas? – Que sejam os bombeiros a ocuparem-se dessa elementar obrigação?.... Basta transpor a fronteira de Portugal para Espanha, ou vice-versa, por via área ou terrestre, para constatar que o dito jardim à beira-mar plantado, dominado pelo caciquismo parasita, tem mais semelhanças com a negligência dos países africanos ou do terceiro mundo, que com o resto da Europa  - Descendentes de selvagens  pastores de Viriato,  que os romanos se viram gregos para domesticar, tendência agravada mais tarde com a expansão colonial, assim parece persistir a mentalidade ancestral dos chamados lusitanos. 

NÃO FALTARÃO FOGOS PARA SE CANDIDATAREM AOS SUBSÍDIOS E  OUTROS ALVOS POLITICOS 16/06/2015 Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países Inquérito sobre fraude e corrupção em 38 países coloca Portugal na 5.ª posição dos mais corruptos, a seguir à Croácia, Quénia, Eslovénia e Sérvia, e depois da Índia e Ucrânia. Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países - Diário de Notícias  03/12/2013 -Corrupção em Portugal é "dramática" e está ligada à política 03/12/2013 - Corrupção continua a ser um dos principais problemas em Portugal16/11

A LEI É CLARA - 2 - Os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais, são obrigados a proceder à gestão de combustível, de acordo com as normas constantes no anexo do presente decreto-lei e que dele faz parte integrante, numa faixa com as seguintes dimensões: https://www.homepagejuridica.pt/infojus/infojus/4165-limpeza-de-terrenos-regime-excecional-em-2019


A MAMA DOS SUSBÍDIOS   - DEIXAM ARDER OS TERRENOS OU CASAS VELHAS PARA O CONSTRIBUINTES AS CUSTEAREM - Não fosse "Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países Inquérito sobre fraude e corrupção em 38 países coloca Portugal na 5.ª posição dos mais corruptos, a seguir à Croácia, Quénia, Eslovénia e Sérvia, e depois da Índia e Ucrânia. Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países - 16/06/2015
UM PAIS DE CHULOS E DE EXPEDIENTES - Sinto orgulho por ser português, por um pequeno país ter navegado pelos sete mares em frágeis caravelas, mas ao mesmo tempo um misto de sentimento amargo e de revolta por ver que a nossa burguesia, a dita elite económica, continua a ser dada mais às almoçaradas e jantaradas (assim já era nos famosos banquetes anteriores à instauração da República) curtindo o faduncho e as bárbaras touradas, persistindo em governar-se através dos cordelinhos do atávico parasitismo, em comer à custa da gamela do Estado, do qual afinal, se revela o maior inimigo, de que em gerar riqueza e saber distribui-la - A media, velha aliada, serve-lhe os desígnios

Vão ver, como vamos assistir através dos telejornais, ao corrupio  da pedinchice dos subsídios do Estado e da CEE 
para depois, além de queimados, ainda   ficarmos mais depenados: como se o dinheiro não viesse  dos impostos dos contribuintes - Nomeadamente da classe media, já que, o tecido empresarial, sejam medias ou  grandes empresas, sabem muito bem como furtarem-se ao fisco



Espanha
ESPANHA HÁ MUITO DEFENDEU  A PRESERVAÇÃO FLORESTAL - Política Florestal na Espanha desenvolve através de um programa florestal, conforme definido no Painel Intergovernamental sobre Florestas das Nações Unidas em 1997, tendo os principais objectivos contribuir para o desenvolvimento rural da silvicultura manter e melhorar o estado de conservação as montanhas e seu potencial económico.

Para determinar o grau de cumprimento das metas existentes no programa silvicultura e planejando uma série de relatórios nacionais e internacionais disponíveis no monitoramento seção são usados. Política Forestal en España - Planificación forestal - Política forestal .... Agentes Forestales y Medioambientales de España - APAF-Madrid

A GRANDE DEVASTAÇÃO AINDA MAL COMEÇOU 


Com as profundas alterações climatéricas, devido às agressões da poluição, pelos países asiáticos, e ainda para mais com eleições à porta, tudo se conjuga para que a devastação incendiária seja galopante: até porque, cortar as árvores dá muito trabalho, pelo que, nestas coisas, a criminosa indústria incendiária ou através de mentes perversas, está sempre a salvo, menos as vidas que são apanhadas pelas labaredas





Infelizmente,este é panorama que vem sucedendo, desde há vários anos a esta parte, cabendo depois o perigosos fardo  aos corajosos voluntários  de exporem as suas vidas  no combate aos  fantasmagóricos sinistros 






Porém, estes abnegados e generosos espíritos, nem sempre contam com os justos apoios – E muitas das pessoas e entidades, só  se lembram deles quando as zonas que habitam são ameaçadas pelas chamas , os vêm a enfrentar as labaredas ou quando  são solicitados a prestarem os socorros de urgência. 

OFERECERAM-SE  MILHÕES À BANCA USURÁRIA - TODAVIA, ESQUECEM-SE AS CORPORAÇÕES DOS BOMBEIROS - 



 As profundas alterações climáticas, com a China e a Índia a poluir drasticamente a atmosfera para exportarem toda a gama de  quinquilharias para o ocidente, por via do liberalismo selvagem que permite que as fábricas europeias sejam instaladas onde  não se respeitam nem os mais elementares direitos humanos nem as mais básicas normas ambientais - Para depois nos invadirem com o seu comércio e esmagarem  o comércio local e destroçarem o meio ambiente.

'Apocalipse' na China: poluição coloca meio bilhão de pessoas em alerta vermelho


21 dezembro 2016  -Quase meio bilhão de pessoas estão vivendo sob uma densa poluição no norte da China desde o final de semana passada, o que levou autoridades a colocarem 21 cidades e a capital, Pequim, em alerta vermelho. http://www.bbc.com/portuguese/internacional-38393259


"As elites de Portugal são elites estrangeiradas e que se comportam em Portugal quase como elites coloniais"  (..) são famílias que vieram instalar-se em Portugal. A primeira grande leva que ainda hoje domina a economia portuguesa, veio no tempo do Marquês de Pombal, que quis desenvolver a indústria em Portugal, porque não encontrou no nosso país, as pessoas capazes de dirigir estas empresas. E então teve de recorrer a estrangeiros para virem implantar a indústria. Mas depois houve uma segunda leva” – Diz Fonseca de Almeida -   autor do livro “As Elites de Portugal -  Inadaptação, Crise e Desafios - reconhece que estas “

Eu diria que não existem elites portuguesas; quanto muito, eu diria que há contra elites portuguesas. As pessoas que procuram ascender à liderança do País, com esforço, com trabalho, com dedicação mas estão afastadas do poder.





O POVO CONTINUA MERGULHADO NO EXPEDIENTE DO CHICO ESPERTO  E DA ILETRÍCIA  PELA CONTRA-CULTURA  TELENOVESCA - DO SENSACIONALISMO E DA ENCENAÇÃO 
 
Foi sempre povo a lutar por Portugal “mesmo quando elites nos falharam", disse  Marcelo Rebelo de Sousa, nas comemorações do 10 de Junho de 2016, palavras que se enquadram na denúncia desta obra, que, aliás, conhece, visto ter estado presente, numa sessão de autógrafos do autor, na Feira do Livro, Braga - O Presidente da República, afirmou que  foi o povo, a arraia miúda, quem nos momentos de crise, soube compreender os sacrifícios e privações em favor de um futuro mais digno e mais justo. O povo, sempre o povo, a lutar por Portugal. Mesmo quando algumas elites - ou melhor, as que como tal se julgavam - nos falharam, em troca de prebendas vantajosas, de títulos pomposos, meros ouropéis luzidios, de autocontemplações deslumbradas ou simplesmente tiveram medo de ver a realidade e de decidir com visão e sem preconceitos”. EXPRESSO Marcelo no 10 de junho: Foi sempre povo a lutar por Portugal “mesmo quando elites nos falharam”


 É  ainda o autor da obra, As Elites de Portugal - Inadaptação, Crise e Desafios . a frisar que, "nos momentos dramáticos, em que o futuro de um povo se joga e se determina por muitas décadas, sempre que se assistiu a uma renovação de elites, a uma viragem de perspectiva procurando o seu próprio caminho (casos de 1385, 1640, 1975), a sociedade progrediu e colectivamente afumou-se, pelo contrário quando os interesses instalados e as velhas elites se consolidaram o país murchou e definhou, atrasando-se profundamente.

Hoje a questão que se coloca é a de saber se as actuais elites que nos dirigem, empregam e governam estão em condições de desatar o nó górdio e com a sua acção resoluta de liderança nos domínios político, económico, científico e ético, conduzir a sociedade na senda do progresso.



AS GIGANTESCAS FRAUDES DOS FUNDOS EUROPEUS - Portugal recebeu milhões de subsídios da CEE e foram desviados para o absentismo crónico parasitário - Entre 1986 e 2011, Portugal recebeu 80,9 mil milhões de euros em fundos estruturais e de coesão, o que corresponde a nove milhões de euros por dia injetados por Bruxelas no País

O antigo secretário de Estado dos Assuntos Europeus e ex-eurodeputado, Carlos Costa Neves, considera que a "execução nacional contribuiu para o desenvolvimento de Portugal, mas há que reconhecer alguns erros cometidos, nomeadamente na aposta excessiva em infraestruturas, principalmente as rodoviárias". O atual coordenador do grupo parlamentar do PSD para os assuntos europeus diz que ao nível de aproveitamento dos fundos "nem sempre foram definidas as melhores prioridades, houve um investimento não reprodutivo, muitas vezes porque era preciso cumprir prazos ou, pior: ir ao encontro de expectativas eleitorais." Portugal recebeu 9 milhões por dia em fundos comunitários

VALE DO CÔA E AS SUAS MARAVILHAS –VESTÍGIOS DE NEANDERTAIS - Com mais de 70 mil anos




Escavações - Côa - Fariseu

Há um ano, referimo-nos, neste sit a  esta espantosa descoberta mas cremos valer a pena recordá-la  -  Uma equipa de arqueólogos colocou a descoberto vestígios da presença do homem de Neandertal, no território do Parque Arqueológico do Vale do Côa, considerados “únicos” no interior peninsular, disse esta quinta-feira um dos investigadores à agência Lusa.



Arqueóloga Carla Magalhães
Foi possível identificar vestígios do homem de Neandertal, que aparece antes da arte do Côa, a qual chega até aos 35 mil anos. Encontrámos ferramentas, estruturas como pequenas fogueiras entre outros vestígios, que os homens pré-históricos deixaram neste sítio, o que o torna único no interior peninsular”, explicou o arqueólogo Thierry Aubry, um dos arqueólogos envolvidos na investigação
.
Os vestígios arqueológicos com mais de 70 mil anos foram encontrados em escavações feitas até aos três metros de profundidade, no sítio da Cardina, no concelho de Foz Côa, distrito da Guarda, e a comparação dos objectos provenientes das diferentes camadas tem permitido novas observações. Excerto https://www.jm-madeira.pt/nacional/ver/21071/Encontrados_vestigios_de_neandertais_no_vale_do

_Coa


BATERAM-SE EM DEFESA DE UM PATRIMÓNIO ACIMA DE 70 MIL ANOS - HÁ SEMPRE ALGUÉM QUE DIZ NÃO E SE BARRICA DO LADO DO INTERESSE COLETIVO - VALE DO CÔA – PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE - MAIS MARAVILHAS POSTAS À LUZ DO SOL E DA CIÊNCIA - -

Uma luta que não foi inglória
Côa -Escavações na vertente do Fariseu

O Parque Arqueológico do Vale do Côa (PAVC), que assinala 23 anos, em Agosto, tem vindo a conhecer novo impulso, quer na proteção dos núcleos das gravuras, que passaram de novo a contar com atenta vigilância, depois de algumas gravuras terem sido vandalizadas nos Picos, com a nova gestão liderada por Nuno Navarro, passou a assumir novos compromissos, tanto a nível das visitas turísticas, escavações e outros trabalhos de campo, como por uma maior valorização do património natural envolvente das gravuras – E os resultados são realmente surpreendentes.

Agora já há vestígios acima dos 30 mil anos - Aos 70 mil
Uma boa noticia, que, todavia, já era do meu conhecimento, em Junho  de 2017 - A Carla Magalhães, um dos poucos rostos que ainda se mantem desde as primeiras investigações no Vale do Côa, disse-me, quando agora revistei o Museu do Vale do Côa, que, no sítio da Cardina, propriedade do Prof. Fernando Baltazar, natural de Chãs, mas no termo de Tomadias, Santa Comba, as escavações puseram a descoberto patamares de 70 mil anos AC - Sem dúvida, uma boa noticia e um excelente trabalho arqueológico

"Vale do Côa Património Mundial da UNESCO  -Inscrito na Lista da Unesco como Património da Humanidade em 1998, o Vale do Côa é considerado “o mais importante sítio com arte rupestre paleolítica de ar livre”. O sítio arqueológico divide-se em dois eixos fluviais principais: 30 quilómetros ao longo do rio Côa – Faia, Penascosa, Quinta da Barca, Ribeira de Piscos, Canada do Inferno – e 15 quilómetros pelas margens do rio Douro – Fonte Fireira, Broeira, Foz do Côa, Vermelhosa, Vale de José Esteves, Vale de Cabrões".

"Arte gravada na pedra  - Como uma imensa galeria ao ar livre, o Vale do Côa apresenta mais de mil rochas com manifestações rupestres, identificadas em mais de 70 sítios distintos, sendo predominantes as gravuras paleolíticas, executadas há cerca de 25.000 anos. http://www.centerofportugal.com/pt/vale-do-coa/


"Uma equipa multidisciplinar colocou a descoberto, no Vale do Côa, provas que mostram “com clareza” que o homem de Neandertal ocupou de forma continuada aquele território antes da chegada do ‘homo sapiens sapiens’.



A presença continuada do homem de Neandertal, em acampamento ao ar livre, no Vale do Côa, ficou comprovada com este registo arqueológico, composto para sondagens arqueológicas, o que torna este sítio único na Europa”, disse esta segunda-feira à Lusa o arqueólogo Thierry Aubry, um dos especialistas da Fundação Côa Parque envolvidos na investigação.



Depois de se percorrer cerca de 25 quilómetros por estradas sinuosas, chega-se ao sítio arqueológico do Salto do Boi/Cardina, nas proximidades da aldeia de Chãs, onde foi descoberta, através de um conjunto de sondagens, esta “novidade para a arqueologia”.



Para o investigadores, ao longo das várias camadas evidenciadas nas sondagens arqueológicas feitas no lugar do Salto do Boi/Cardina, é possível perceber que o homem de Neandertal e o ‘homo sapiens sapiens’ ocuparam o mesmo sítio durante milhares de anos, de forma contínua, o que permite comparar o seu modo de vida e dar um contexto à arte rupestre do Côa. 


Depois de se percorrer cerca de 25 quilómetros por estradas sinuosas, chega-se ao sítio arqueológico do Salto do Boi/Cardina, nas proximidades da aldeia de Chãs, onde foi descoberta, através de um conjunto de sondagens, esta “novidade para a arqueologia”.

Para os investigadores, ao longo das várias camadas evidenciadas nas sondagens arqueológicas feitas no lugar do Salto do Boi/Cardina, é possível perceber que o homem de Neandertal e o ‘homo sapiens sapiens’ ocuparam o mesmo sítio durante milhares de anos, de forma contínua, o que permite comparar o seu modo de vida e dar um contexto à arte rupestre do Côa. 

No lugar do Salto do Boi, com o rio Côa a seus pés, arqueólogos e outros técnicos escavaram ao longo dos últimos dois meses mais de cinco de metros em profundidade, para chegar à conclusão de que parte dos vestígios encontrados pertence à época da ocupação dos Neandertais (350.000 a 35.000 a.C.).


“Até agora, sabíamos que os últimos Neandertais ocuparam o Vale do Côa no período entre 60.000 e 35.000 a.C.. No entanto, no fim desta última campanha ultrapassamos aos cinco metros de profundidade onde foram encontrados vestígios de ocupações mais antigas e sucessivas dos sítios pelos Neandertais”, vincou o arqueólogo.

Segundo Thierry Aubry, no interior da Península Ibérica há pouco sítios arqueológicos datados do Paleolítico Médio, e o que se conhece são ocupações únicas e não continuadas.

Neste lugar, temos dezenas de níveis que mostram uma ocupação contínua dos caçadores-recoletores do Côa que conseguimos demonstrar com o estudo do material recolhido. É possível descodificar a transição entre os últimos Neandertais e os primeiros homens modernos [os artistas do Vale do Côa] que ocuparam a Península Ibérica”, enfatizou o arqueólogo.


Neste momento, segundo o arqueólogo, há “dados arqueológicos que vão permitir estabelecer que os artistas do Côa chegam a este lugar, após uma longa tradição de ocupação humana com mais de 90 mil anos no sítio do Salto do Boi/Cardina”.


Nestas escavações, a ideia não era a de encontrar peças bonitas, mas sim informação que nos permitisse perceber como as pessoas viviam, o que faziam, por onde passaram ou o efetivo do grupo nestas paragens”, indicam os investigadores envolvidos nos estudos arqueológicos do Vale do Côa.


Agora, o desafio que se coloca aos investigadores é perceber o porquê de os Neandertais e seus descendentes escolherem o território do Côa para perpetuar a sua arte rupestre e continuar as escavações de forma mais abrangente.


O núcleo duro desta equipa de investigadores é composto pelos quadros da Fundação Côa Parque, aos quais se juntam elementos de diversas universidades.


O projeto de escavações no sítio do Salto do Boi/Cardina conta com o financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia e a cooperação das universidades de Coimbra, Barcelona e Lisboa. Lusa – Noticia citada pelo OBSERVADOR