expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

domingo, 23 de junho de 2019

COMEMORADO HOJE O ANIVERSÁRIO DOS 85 ANOS DA ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE VILA NOVA DE FOZ CÔA - Bonita idade, assinalada com a bênção de uma nova viatura, - Festejada, neste domingo, em caloroso ambiente de fraternidade e de convivio a data histórica da sua fundação – António Lourenço, Presidente da AHBV deste concelho, alertou para a urgência dos indispensáveis apoios do Governo Central, bem como o Poder Local ( Autarquias - Câmara e Juntas) devem ter uma necessária maior atenção para dar condições dos nossos bombeiros poderem proteger e socorrer as populações, cada vez mais envelhecidas, bem como de todo o interior do País.

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - BOMBEIROS V.  DE V. NOVA DE FOZ CÔA  - COMEMORAM, NESTE DOMINGO, O SEU 85ª ANIVERSÁRIO- DIA DE SE LEMBRAR E HONRAR A MEMÓRIA DOS AUSENTES  E SE DISTINGUIR E DAR ÂNIMO AOS PRESENTES  -  Hé videos com imagens ou filmes, ainda por editar 




Depois do hastear das Bandeiras, frente à entrada principal do edifício-sede, ainda a meio da manhã, seguiu-se uma romagem à capela do cemitério de Santo António, em cuja ermida foi depositado um ramo de flores em homenagem aos “soldados da Paz, já falecidos.


De regresso  ao quartel, onde se fez uma breve pausa, o corpo dos bombeiros, sob o comando de Nuno Figueirinha,  marchou rumo à Igreja Matriz , no frontispício da qual era esperado, além dos representantes da Associação Humanitária, Comando do Corpo de Bombeiros, autoridades locais, representante da Federação dos  Bombeiros do Distrito da Guarda, bombeiros, associados, familiares amigos e muitas outras pessoas da população que iam participar na  homilia dominical,  presidida pelo Rev. Padre Ferraz, por alma dos que já partiram.

Durante o ato litúrgico, além de  calorosos cânticos religiosos pelo coro da igreja e da leitura de vários salmos, um dos quais lido por António Lourenço, Presidente da Associação Humanitária, foi também recitada  a Oração do Bombeiro pelo associado Nuno Figueirinha,


Terminada a homilia, teve lugar a bênção de uma nova viatura, ato religioso presidido igualmente pelo Reverendo Padre Ferraz na presença dos membros da cooperação e administrativos,  das várias entidade a que atrás nos referimos

SESSÃO SOLENE NO SALÃO NOBRE  E ALMOÇO-CONVIVIO – NO QUARTEL DA HUMANITÁRIA ASSOCIAÇÃO
O programa  alusivo  ao 85ª aniversário da AHBV de V. Nova de Foz Côa, iria terminar com a tradicional sessão solene no salão nobre do quartel,  com vários discursos, nomeadamente do Presidente do Conselho Administrativo dos Órgãos Sociais, Sotero Ferreira,   do Comandante do Corpo dos Bombeiros, Rafael Almeida, do Presidente da AHBV , António Lourenço, bem como, a encerrar a sessão, do uso da palavra do Comandante Distrital da Guarda, António Ferreira e do representante da Presidência da Câmara Municipal, Fernando Fachada

DISCURSOS DE SOTERO FERREIRA E RAFAEL ALMEIDA 



ENTREGA DE  UM DIPLOMA ESPECIAL AO VALOROSO BENEMÉRITO – MÁRIO MARTINS




Após os discursos  da sessão solene, teve lugar a tradicional distinção, por atos valorosos, desta vez ao benemérito  e associado, Mário Marins, emigrante português de sucesso, em França, onde logrou, com saber, esforço e experiência, ser proprietário e gerente de uma  das mais importante empresas de transportes: natural de Santa Comba, distinto filho desta freguesia, exemplo de generosidade e dedicação, à sua aldeia e a muitas obras de solidariedade, a quem foi entregue o certificado de benemérito pela valiosa oferta de apreciável quantidade de fardamento e de equipamento, tão necessário ao desempenho dos soldados da paz desta Humanitária Associação.    – Depois teve lugar um caloroso almoço-convívio 

ANTÓNIO LOURENÇO - ALERTOU PARA A NECESSIDADE DOS INDISPENSÁVEIS APOIOS "O Governo Central, bem como o Poder Local ( Autarquias - Câmara e Juntas) devem ter uma necessária maior atenção para dar condições de os nossos bombeiros poderem proteger e socorrer as populações, cada vez mais envelhecidas deste Concelho, bem como de todo o interior do País"

Contamos editar , em video, os dicursos que foram proferidos na sessão solene, bem como outros apontamentos, neste post, e que registamos na nossa reportagem, bem como uma parte das imagens, igualmente inseridas num video, logo que nos seja possivel - Entretanto, e tendo connosco o discurso, lido por António Lourenço, Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de V. Nova de Foz Côa, aproveitamos, desde já, para aqui o reproduzimos, com muito gosto.

Depois de agradecer ao Pr da Câmara (Vereador)  Comandante Distrital de Operações de Socorro - Pr de Junta de Freguesia - Conselheiros Nacionais da LBP (Dr Gil Barreiros e João Batista ) - Comandante do Posto da GNR - Repr. Agrupamento de Escolas Repr. Centro de Saúde - Pr. Fundação Côa Parque, Presidentes e Comandantes de Associações Humanitárias - Provedor da Santa Casa Misericórdia, ao Pr. da Assembleia Geral desta Associação - Comandante do nosso CB Elementos dos Órgãos Sociais - Bombeiros e Bombeiras . Familiares - Associados -Amigos, António Lourenço começou por recordar a histórica data da fundação daquela que é uma das mais antigas associações do concelho

Foi no dia 22 de Junho de 1934 que oficialmente esta Associação foi criada, tendo havido uns meses antes diversas acções e diligências, para que tal acontecesse.
Recordamos e agradecemos o trabalho, o sacrifício e a coragem, aos que em 1934, com todas as dificuldades, fundaram esta Associação e com muito pouco, em instalações precárias, num espaço onde anos mais tarde foi construído o edifício do Tribunal, iniciaram o trabalho de socorrer a população, principalmente nos fogos urbanos.
No início da manhã, deslocamo-nos ao cemitério de Santo António, para depôr uma coroa de flores e lembrar todos os ex-dirigentes e bombeiros que deram corpo e vida a esta Associação e já faleceram.

Lembro que este Quartel construído nos anos setenta, só foi ocupado pelos bombeiros em 5-09-1982, porque durante algum tempo, aqui funcionaram os serviços da Câmara Municipal.

Foi posteriormente construído o edifício contíguo, que funcionou durante muitos anos simplesmente como garagem e em 27-11-2011 foi inaugurada a ampliação das instalações.

As exigências que se colocavam aos bombeiros nas primeiras S décadas da sua existência, não se comparam em quase nada com a realidade de há uns anos a esta parte.

O parque automóvel, de viaturas de transporte de doentes e as de prevenção e combate a incêndios, tem vindo a aumentar, assim corno o número de bombeiros assalariados, para procurar dar resposta às solicitações, essencialmente da população deste concelho, mas também dos concelhos vizinhos, ou onde o Comando Distrital entender que os nossos bombeiros são necessários.

A protecção e o socorro, têm vindo a melhorar, nomeadamente com a implementação do Posto de Emergência Médica, implicando ao mesmo tempo, mais despesas à Associação, para poder garantir um serviço pronto e eficaz nas 24 horas de cada dia.
Na passada noite, depois de alguns dias envolvido na preparação deste nosso aniversário, tive um sonho.

Durante esse sonho, as coisas apresentaram-se-me muito agradáveis, a saber:
As reivindicações da LBP, constantes do seu Congresso de 23-03-2019, haviam sido aprovadas e implementadas, nomeadamente as:
- Revisão da Lei do Financiamento, por parte do Governo, às Associações Humanitárias, bem como o reforço do valor global anual;

-As propostas da LBP ao Governo sobre o Cartão Social do Bombeiro;
- A revisão do Diploma que regula o Regime Jurídico dos Corpos de Bombeiros;
- A proposta da LBP sobre a organização territorial técnico-operacional dos bombeiros;
Mas também:

- A proposta apresentada por esta Associação à Câmara Municipal em Agosto de 2016, visando a aprovação de Regalias Sociais aos Bombeiros Voluntários de V N Foz Côa, tal como já acontecem em grande número de outros concelhos;
 A proposta apresentada à Câmara Municipal em 2014, para a construção de um monumento ao bombeiro, num espaço digno da Sede do Concelho, à semelhança dos que existem na maioria dos concelhos,
- A proposta efetuada em 2012, de a Câmara Municipal seguir o exemplo dos protocolos existentes em todas as Câmaras Municipais do Distrito de Bragança, com as respectivas Associações, assumindo o pagamento dos custos inerentes a cinco funcionários;

- A existência de verbas inscritas no orçamento municipal, adequadas ao necessário apoio para as missões e actividades de protecção e socorro, contribuindo de forma muito expressiva para a necessária sustentabilidade da Associação Humanitária, para poder fazer face aos custos  com os meios humanos e materiais do nosso Corpo de Bombeiros;
 - Resposta pronta e atempada aos pedidos de reuniões com o Executivo Municipal;
 A concessão de verbas da Câmara Municipal para complementar a satisfação dos custos com o funcionamento de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro do Posto de Emergência Médica, como textualmente é referido pelo Presidente do INEM: "também as Autarquias devem ser chamadas a dar o seu contributo para o bom funcionamento do referido Sistema no SNS";

 - A existência de muitos jovens (rapazes e raparigas) a frequentar a Escola de Formação de Bombeiro, encontrando-se alguns deles a completar o respectlvo estágio, para em breve, poderem ser bombeiros e integrarem o nosso Corpo de Bombeiros e reforçar a ajuda em diversas tarefas e missões durante o ano e também nesta época de fogos rurais.

Acordei e constatei que o sonho não passou de um legítimo desejo meu e dos responsáveis desta Associação Humanitária. A generalidade do que acabei de referir está por cumprir, pese muito embora todos os nossos esforços, a nossa disponibilidade e a nossa vontade.

O Governo Central, bem como o Poder Local ( Autarquias - Câmara e Juntas) devem ter uma necessária maior atenção para dar condições de os nossos bombeiros poderem proteger e socorrer as populações, cada vez mais envelhecidas deste Concelho, bem como de todo o interior do País. Os custos são elevados e se da Câmara Municipal não vierem os apoios e ajudas, semelhantes ao que acontece com as nossas Associações vizinhas e de muitos dos Concelhos, bem como o reforço por parte do Governo Central - (ANEPC) esta Associação não poderá garantir a protecção e o socorro a toda a população, por falta de meios.

Amélia Lourenço  Fihozes feitas em sua casa para o convivio
lembramos que têm acontecido alguns apoios de particulares e de empresas, que, a nosso pedido têm ajudado a ultrapassar dificuldades. Já nos foram oferecidas ambulâncias. outras viaturas e apoio para aquisição de equipamentos e bens de consumo, mas esses apoios são pontuais e as necessidades são permanentes.

Não desistiremos de obter apoios e comparticipações de particulares ou de empresas, como também não desistiremos, tal como tem feito a liga dos Bombeiros Portugueses, de reclamar dos poderes Central e local o apoio necessário para as nossas Associações Humanitárias. Tudo o que as nossas Associações possuem ou venham a obter, é para, cada vez mais e melhor proteger e socorrer as populações. Não pedimos, nem pediremos nada para cada um de nós.

Hoje é dia de festa, para comemorar 85 anos de vida, mas também de reflectirmos em conjunto sobre as nossas missões e as nossas dificuldades, esperando que elas venham a ser ultrapassadas, ou pelo menos, minimizadas.
A Proteção e o Socorro não são problemas dos Bombeiros, mas são um problema da nossa sociedade, a que algumas entidades não podem, nem devem, estar alheias.
As Associações Humanitárias e os Bombeiros Portugueses querem que os respeitem por aquilo que são e pelo que fazem.

Para terminar, à maneira do nosso Presidente da LBP, Jaime Marta Soares; Honra e Glória aos Bombeiros de V N Foz Côa
Honra e Glória aos Bombeiros Portugueses.




sábado, 22 de junho de 2019

Solstício do Verão – 21 de Junho 2019 – Celebrado numa tarde de sol e com belos momentos poéticos e de alegria - Isabel Santiago, a Embaixadora de Boa Vontade Santomense, participou nas celebrações, lendo poemas de Alda Espirito Santo e Francisco José Tenreiro – Esta foi uma das belas supressas, entre outras, de que lhe contamos falar em próximas postagens –

Jorge Trabulo Marques - Cordenador  - Este evento contou com a preciosa colaboração da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, a cujo Presidente Gustavo Duarte, apresentamos os nossos sinceros agradecimentos - Continuamos a  editar em próximas postagens 



HOMENAGEM  AO POETA SANTOMENSE FRANCISCO JOSÉ TENREIRO  NO ALTAR DA PEDRA DOS POETAS  - POR ISABEL SANTIAGO   





Poema de Francisco José Tenreiro, lido no  altar da Pedra dos Poetas por Isabel Santiago, a Embaixadora de Boa Vontade, Santomenses, que participou nas celebrações do Solstício do Verão, juntamente com o seu marido – Tendo lido também, outro poema de Alda Espirito Santo e Francisco José Tenreiro – Esta foi uma das belas supressas, entre outras, de que lhe contamos falar em próximas postagens - Desde já, um abraço amigo aos gaiteiros Mirandum, ao Francisco, ao José Lebreiro, a António Lourenço, nossos habituais colaboradores, aos repórteres fotográficos Adriano Ferreira, Pedro Daniel e Dinis, ao casal de médicos que veio de Castelo Branco e que ali aproveitou para celebrar os seus 40 anos de casados, aos amáveis sorrisos que vieram de Foz Côa, de Moncorvo, de Espanha, de outros pontos do país e da minha aldeia, cujas imagens e vídeos conto editar



Francisco José Tenreiro, nasceu na Roça Boa Entrada, a 20 de Janeiro de 1921. Fazia anos no mesmo dia do mês em que eu mais tarde nasci e faleceu na madrugada de 31 de Dezembro de 1963, dois meses depois de eu ter desembarcado na sua Ilha de Nome Santo. .  Se fosse vivo, teria 93 anos. Presumo que ainda vivam muitos são-tomenses com a sua idade e lúcidos.


POENTE  - Poema de Francisco José Tenreiro -Foto de Renato Sena Santos

Envolve-se pudicamente o sol, nos lençóis do mar
e súbito vem a noite. Muito súbito e muito rápido.
Logo no céu de cabelos revolta a lua nasce
banhando de sossego a cidade  escaldada
donde se evolam os fumozinhos da humanidade.

Das mangueiras nascem  morcegos de vigília:
poetas mamíferos a quem a noite dá asas
acompanhado de sonhos o poeta das insónias.

E a cidade  adormece para o vício  e para o amor! 



Isabel de Santiago, professora universitária,  designada  como Embaixadora de Boa Vontade e missão das Caritas”, pela sua envolvência na mobilização de doações e projectos sociais visando potenciar causas sociais da Igreja Católica em São Tomé e Príncipe. Nasceu em São Tomé e Príncipe, onde tem concretizado vários projetos de desenvolvimento social. Mãe de 3 filhos: Francisca, Constança e Joaquim. Licenciatura em Relações Internacionais. várias empresas nas áreas de consultoria estratégica e de saúde


sexta-feira, 21 de junho de 2019

HOJE É O SOLSTÍCIO DO VERÃO 2019 - HEMISFÉRIO NORTE - VINDE E SÊ-BEM VINDO À celebração do dia maior do ano Vídeo gravado ontem ao pôr-do-sol -Na Pedra do Solstício, situada na vertente de um antigo castro, no Maciço dos Tambores, aldeia de Chás, Vila Nova de Foz Côa - - SAUDAÇÃO DE BOAS-VINDAS AOS PEREGRINOS AOS TEMPLOS DO SOL E A SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Autor da descoberta e coordenador do evento


Esta imagem e o vídeo foi registada, ontem, pouco depois das 20.40 - Que é justamente a mesma que poderá ser observada, hoje dia 21 de Junho - Uma vez que a diferença é mínima do eixo da pedra e pode ser vista, dois dias antes e dois dias depois, sem a menor diferença  - Até porque, o "termo "solstício" vem do Latim sendo composto pelas palavras sol e sistere (que não se mexe). Visto da Terra, o sol parece parado, mantendo uma posição fixa ao nascer e ao se pôr, durante algum tempo








De manhã, ao nascer do sol em Stonehenge, no condado de Wilshire, Inglaterra . E, ao pôr do sol, nos Tambores-Mancheia - aldeia de Chãs.


Solstício de Verão é assinalado hoje em cerimónia mística em Chãs


A cerimónia decorre no lugar de Quebradas-Tambores, num planalto sobre o Vale da Ribeira de Piscos, em cujo curso se situam alguns dos principais núcleos de gravuras rupestres classificados como Património da Humanidade.

A Pedra do Solstício tem forma arredondada e, anualmente, em 21 de Junho, os raios solares "tocam" o seu eixo imaginário, "como se de um verdadeiro altar se tratasse num culto solar", disse Jorge Trabulo Marques.
O início  das  cerimónias evocativas do Solstício de Verão está previsto com ao desfile do cortejo druida para as 18.00 - 18-30






Lugar mítico e de singular beleza. Venha juntar-se a nós para celebrar o Solstício do Verão, junto ao altar sacrificial da Pedra do Sol, mais conhecida por Pedra do Solstício, pelo facto da crista do  esférico e imponente megálito estar em perfeito alinhamento com o pôr do sol no dia maior do ano – Ergue-se nos penhascos da vertente do Castro do Curral da Pedra, Mancheia, Maciço dos Tambores.
Este é um dos raros lugares da Europa – e talvez do mundo – onde ainda persistem calendários pré-históricos alinhados com todas as estações do ano – As festividades evocativas, iniciam-se com o tradicional cortejo druida às 18 horas, acompanhadas pelo Grupo de gaiteiros  Mirandum  -


Ergue-se sobranceiro ao aprazível vale da Ribeira Centieira, na vertente do Castro do Curral da Pedra e  a curta distância  do Santuário Rupestre da Cabeleira de Nossa Senhora.  Visto, perpendicularmente, em direcção ao pôr-do-sol no solstício, assume a forma redonda. Observado, porém, noutro ângulo, deforma-se e  toma a forma de um busto feminino, de perfil a norte e, masculino, de perfil a sul  








A Comissão Organizadora agradece o apoio prestado da Câmara Municipal, Junta de Freguesia de Chãs, da Foz Côa Friends, ao Instituto Português de Radiestesia, Radiofónica e Geobiologia, à Quinta Calcaterra – Agroturismo, aos proprietários dos sítios, bem como a todos quantos nos queiram prestar a sua colaboração e dar o prazer da sua visita



A cerimónia culminará ao rufar dos tambores! Com a exibição de um grupo de músicos e a presença de outras personagens, envergando túnicas brancas, que representarão o papel dos sacerdotes druidas, lembrando alguns dos seus rituais ou tradições: exibindo a sua vara de condão, transportando consigo grinaldas de flores ou carregando aos ombros os seus cordeiros para o ritual das oferendas e dos sacrifícios, em louvores e acção de graças ao seus deuses  protectores, às entidades espirituais em quem acreditavam e recorriam sob as mais diversas formas



EM VÉSPERA DO SOLSTÍCIO DO VERÃO, E AO FIM DO DIA, FUI EM PEREGRINAÇÃO A DOIS DOS MEUS SACRÁRIOS -CONTEMPLAR O SUBLIME E DIRIGIR A DEUS AS MINHAS PRECES - Sendo certo que, sob a luz divina,
 somos todos irmãos e filhos de Deus,
aqui me dirijo também, nesta minha prece, nesta evocação,
e na esperança de que as minhas palavras encontrem algum eco
e não sejam proferidas em vão,
ao coração de todos os pobres e aflitos da Terra
que, nos dias de hoje, mesmo às horas mais mortas, 
não tendo sequer um tecto, um mísero abrigo onde se acolherem,
choram, em silêncio, dilacerados, lágrimas amargas e profundas, 
uns, já vazios de esperança e rendidos ao seu desespero, 
outros, com alguma centelha na alma, 
aguardando que a divina luz da prateada roda 
ou do rubro clarão do sol, os cubra de melhor sorte,
os livre, de vez, do seu infortúnio e da sua triste ventura

O abraço Amigo ao Adriano Ferreira pela surpresa do amável reencontro e pelas belas fotografias que me fizeste





Vinde comparar os altares erguidos por nossas mãos
com os sagrados lugares da Natureza, que,
unindo a Terra aos Céus,
não limitam, nem os nossos passos,
nem cerceiam a nossa imaginação,
na infindável procura de se encontrarem,
com paixão e amor,
os laços verdadeiros que nos unem a Deus,
em uníssono diálogo e profundo cântico interior
com a Criação, a Sua Altíssima Vontade,
as Maravilhas e Alegria dos Seus Prodígios!

"O solstício de verão de 2019 ocorre a 21 de junho (sexta-feira), mais precisamente às 16h54 em Portugal. Este momento marca oficialmente o início do verão. https://www.calendarr.com/portugal/solsticio-de-verao/



Associe-se, pois,  à nossa saudação e partilhe do mesmo esplendor e alegria dos nossos mais longínquos antepassados  - Local mágico, pleno de história e de misticismo, dos tais lugares da terra onde a beleza e o esplendor solar podem repetir-se à mesma hora e com a mesma imagem contemplativa de há vários milénios pelos povos que habitaram a área


Além da leitura de poemas de vários poetas, vamos também prestar uma singela homenagem a Silvério Augusto Baltazar, um filho muito estimado na nossa aldeia, das raras memórias, mais antigas e ainda vivas, pela qual passam muitas recordações dos costumes das  nossas   gentes, tal como o documentam as suas palavras,  extraídas  do amável e extenso diálogo, que tivemos com ele no interior e à porta de sua casa,    - Uma vida de muito trabalho e de muita dedicação, à família, ao seu torrão natal e à comunidade: Silvério Baltazar,  


Antigo Agricultor, artífice,  taxista  durante 47 anos e nosso devoto e generoso colaborador – O rês do chão da casa de seus pais, onde ele também os ajudava, além da taverna e  mercearia, a mais antiga, chegou também a ser posto do telefone e dos  Correios – Silvério, é, pois, também a imagem de um tempo que tende a cair no esquecimento, até pela desertificação e  célere despovoamento da aldeia. 



O solstício de 21 de Junho marca o primeiro dia de verão no hemisfério norte (e de inverno no hemisfério sul), com o maior número de horas de luz solar do ano.
Em termos astronómicos,  o solstício de verão consiste no momento em que o hemisfério norte da Terra está mais diretamente virado para o Sol, com os polo norte inclinado em direção à estrela a cerca de 23,5 graus.

Local mágico, pleno de história e de misticismo, dos tais lugares da terra onde a beleza e o esplendor solar podem repetir-se à mesma hora e com a mesma imagem contemplativa de há vários milénios pelos povos que habitaram a área-





NASCER DO SOL NA PEDRA NO SANTUÁRIO RUPESTRE DA PEDRA DE Nª SRª DA CABELEIRA, ASSINALA  A ENTRADA DA PRIMAVERA E DO OUTONO 

Os Equinócios ocorrem duas vezes por ano, na primavera e no outono, nas datas em que o dia e a noite têm igual duração. A partir daqui até ao início do outono, o comprimento do dia começa a ser cada vez maior e as noites mais curtas, devido ao Sol percorrer um arco mais longo e mais alto no céu todos os dias, atingindo uma altura máxima no início do Solstício de Verão. É exatamente o oposto no Hemisfério Sul, onde o dia 20 de março marca o início do Equinócio de Outono. http://oal.ul.pt/equinocio-da-primavera-2019/




 

O enorme penedo está orientado no sentido nascente-poente e possui uma gruta em forma de semi-arco, com cerca da 4,5 metros de comprimento, que é iluminada no seu eixo no momento em que o Sol se ergue no horizonte, proporcionando uma imagem invulgar



Na verdade, sítios há que são uma tentação, um verdadeiro centro de emanações e de eflúvios, propensos ao deleite, ao esquecimento e à sublimação. Muitas destes espaços graníticos, são um permanente convite, áurea unção e arroubamento aos sentidos. 

Aparentemente, mais lembra terra de ninguém, parda e vazia paisagem de um qualquer pedaço lunar, porém, estou certo que não haverá alguém que, ao pisar o milenar musgo ressequido destas  cinzentas  fragas, ao inebriar-se com os seus bálsamos, subtis fragrâncias, e volvendo o olhar em torno dos vastos  horizontes que se  rasgam  por largos espaços, fique indiferente ao telúrico pulsar, à cósmica configuração e  representação divina, que ressalta em cada fraguedo ou ermo penhasco