expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

MÁRIO SOARES FAZ 86 ANOS: LUMINOSO E LÚCIDO: A IDADE MORA AO LADO. VAI PARA LÁ DOS 90: MEU TRIBUTO E REVELAÇÕES DA CIA E OUTRA ESPIONAGEM EM SÃO TOMÉ



MÁRIO SOARES FAZ HOJE 86 ANOS: MAIS VELHO MAS AINDA LUMINOSO E LÚCIDO - A IDADE MORA AO LADO. VAI PARA LÁ DOS 90: VAI SER QUASE OUTRO MANUEL DE OLIVEIRA - ALIÁS, SÃO DO MESMO SIGNO.

O antigo regime não perdoava aos seus opositores e era implacável na repressão - Mário Soares, o anti-fascista, o lutador em prol da democracia em Portugal e do fim da guerra colonial e da descolonização - Uma das vozes que nunca se rendeu. - Continua firme no seu posto: o observador crítico e atento.
Foto do autor deste blogue

.Mário Soares, um dos mais famosos resistentes ao Estado Novo, foi preso doze vezes (num total de cerca de três anos de cadeia) e deportado sem julgamento para a ilha de São Tomé, em 1968, até se exilar em França, em 1970....Mário Soares - Wikipédia,
.
O Dr. Mário Soares completou hoje 86 anos. Está de parabéns. Mais velho mas mais sabedor. Enquanto viver, é sinal que ainda não morreram totalmente os ideias do 25 de Abril. Há outros que procuram também alimentar a mesma chama, mas ele é único. A sua vida tem sido um notável exemplo de cidadão e de ideais. E não desarma de trabalhar: participa e anima conferências e lançamentos de livros: colabora em vários jornais, portugueses e estrangeiros. Intervêm e está activo na vida cultural e politica. A sua opinião continua a ser muito escutada e respeitada. A sociedade está atravessar uma profunda crise e ele está consciente disso. e não deixa de levantar a sua voz.

DEPORTADO PARA SÃO TOMÉ: 

Não se julgue que, o governo fascista, mandou, o Dr. Mário Soares a passar férias para algum Jardim Tropical ou Paraíso Verde - As duas ilhas são realmente verdadeiros jardins de verdura, mas o povo não era livre e, mesmo a grande maioria dos colonos, também era explorada. O Dr.Mário Soares creio que se apercebeu de tudo isso. E teve sempre à perna a PIDE - Pude testemunhar essa perseguição.

Um dia, um agente da PIDE, que o perseguia de carro, quando se ausentara da cidade, tendo-o perdido de vista, parou, junto de mim, e perguntou-e: "Você viu para onde se meteu o cabrão do Mário Soares". Eu estava parado, na berma da estrada que passa ao lado da Praia Amorim da Roça Uba Budo - imagem ao lado. Nessa altura, eu já não trabalhava lá. Estava a cumprir o segundo ano do serviço militar: os primeiros doze meses, foram passados em Angola: curso de sargentos e comandos. Havia dado ali um passeio: revisitar os secadores da copra e também porque gostava daquela praia, onde havia umas videiras que davam uvas três vezes por ano e uma pequena figueira que não deixava de dar figos

Do que eu não sentia a menor curiosidade era do campo de treino, onde íamos afinar as pontarias nos alvos com as mauser, espingardas que o exército também usava na GUERRA COLONIAL Já me bastava a tropa. Dera ali cabo dos tímpanos.Ia ali rever aqueles magníficos recantos dos verdes palmares, debruçados sobre as ondas e batidos pelas brisas, da doce maresia equatorial - Pese o facto de ter sido bastante escravizado (tal como os trabalhadores, que, naquele momento, estavam envolvidos na colheita de cocos e das pinhas das palmeiras do azeite, ali próximo da beira da estrada.

Subitamente, um carro trava e estaciona ao meu lado: vi logo quem era. Acto continuo pensei logo para comigo: será que este gajo me vem chatear?!... Mas não, o que ele queria saber era o paradeiro do Dr. Mário Soares. Se calhar desconfiava que a viatura em que seguia, se desviasse ali para aquela praia. Ele vinha do sul e não o apanhara. Mas ele estava para lá, e não muito longe. Por acaso, eu tinha o visto passar num jipe com o Administrador da Roça Água Izé, mas respondi-lhe que não me tinha apercebido.

Constava-se na Ilha, que Mário Soares, estava continuamente sob vigilância da PIDE - Todos os seus passos - para onde quer que se deslocasse - eram seguidos e controlados - Bastante mais novo , que é hoje, mas sempre de cabeça erguida, procurava manter as melhores relações com a reduzida elite negra, que se opunha à colonização e pugnava pela independência da sua terra - A oposição estava sediada no Gabão, e ali não se manifestava publicamente, porque as ilhas eram pequenas e tudo era controlado.

Mário Soares sabia quem estava de seu lado . - Uma ocasião, eu vi-o, com o seu filho João, na Roça do Eng. Celestino da Graça, que a PIDE havia perseguido e torturado. Encontrava-me, nessa altura, em São Tomé: - Emigrara, para ali, em 1963, para fazer um estágio, como Técnico Agrícola, numa Roça. Sim, também fui uma das vítimas da repressão colonial - antes e depois do 25 de Abril. Sem dúvida, a presença de Mário Soares, naquela pequena roça, dedicada sobretudo à plantação de ananases, era verdadeiramente um acto de coragem.
.
Mário Soares, no contexto das grandes figuras transnacionais, é, sem sombra de dúvida, um dos poucos sobreviventes do último século: um dos raros espíritos que veio ao mundo com uma missão de pendor profético:

Já cumpriu uma grande parte dela mas ainda tem muito para dar. Vai além dos 90, não duvidem. Ele é também um dos casos de longevidade nas figuras proeminentes. Tal como a do realizador Manuel Oliveira. Este já vai além da barreira dos 100 metros. Mas ainda não completou o seu filme (sim, aproxima-se....Saramago já disse que gostava de o ter a seu lado - ouvi-lhe eu dizer num destes dias, numa das suas pausas que fez sobre o livro que está neste momento a escrever: a última cegueira - dos que não vêem para além da morte.

Mas, Oliveira, quando, terminar o filme, ainda inacabado, conquanto não tenha sido um Nobel, vai ter honras ainda maiores; já estou a ver que vai ser um grande acontecimento nacional - nos principais jornais do mundo: a sétima arte, perderá, então, um dos seus maiores. Já estou a ver as parangonas nos jornais e as aberturas dos telejornais, passando excertos de entrevistas e algumas das fitas que mais o celebrizaram. Mário Soares, vai estar lá, a despedir-se dele, não vai na frente: de resto, são velhos amigos. Não podiam partir os dois ao mesmo tempo.

Mário Soares ainda vai ficar por cá uma temporada. Os deuses ainda não o chamaram para a sua companhia, porque, tal como já tive oportunidade de referir noutra das postagens que lhe dediquei: Os deuses chamam para sua companhia, ainda novos, os espíritos que amam mas guardam vivos na Terra aqueles que transmitem sabedoria. Mário Soares, tem essa missão profética e os deuses querem que a leve até onde as suas faculdades lho permitirem. E ainda estão num elevado grau de lucidez.

Vai assim continuar até um dia nos deixar. Envelhece fisicamente, mas não no discernimento e na apurada observação e análise. Claro, que a sua imagem já não tem a mesma juventude de outros tempos, envelheceu, sim, mas ainda é ele: o observador atento ao mundo que o rodeia, firme e determinado nos seus ideais.

Álvaro Cunhal e Mário Soares, aclamados, após o seu regresso do exílio. Já lá vão 36 anos. Cada um seguiu depois o seu percurso e fez o combate à sua maneira. A democracia, sem o seu contributivo, não seria a mesma coisa. Até porque, o conceito democrático, tanto naquela altura como agora, presta-se a múltiplas interpretações.

No entanto, tal como agora estão as coisas - tanto em Portugal como nos chamados países democráticos, confesso que já nem sei dizer para que tipo de democracia caminhamos. Aliás, sei muito bem, mas é preferível não falar de coisas muito negativas, neste poste, que pretendo seja sobretudo de tributo e de homenagem a um grande homem, a um notável português, que merece comemorar hoje o seu dia especial: e que seja passado, em ambiente de festa, com saúde e muita alegria. São os meus votos sinceros.

Há pessoas, bastante mais mais novas, que já estão acabadas e vegetam nos lares. O segredo da longividade está no ânimo e na luta de cada um.Há os que passam, neste mundo, como se o mundo nem sequer lhe pertencesse. Nascem, crescem e despedem-se como sombras mortas. Não é o caso de Mário Soares.


HUMANAMENTE - MENTE BRILHANTE

"Não há coisa maior que a humana mente: / Todos os mundos que existem ela visitou há muito,/ Todos os mundos que não existem há muito visitou, /Todos os mundos por vir também visitou já/ “ Diz Fernando Pessoa, e diz muito bem. Razão pela qual, sugere o místico poeta: “Se a tua mente domina o espaço, fá-la captar/ Toda a grandeza do espaço envolvente/ No qual as nuvens são só grãos de pó,/ O sol uma vela, a lua um fósforo;/ Mas se a tua mente tem fronteiras, fá-la prender/ Tudo isto e dizer onde o espaço tem o seu fim./ Fá-la encontrar os limites do reino da morte” .

Por isso, sendo o Sr. Dr. Mário Soares, um autêntico viajante do mundo, e, mesmo, aonde, fisicamente, ainda não foi, julgo, viajou a sua mente; além disso, sendo um puro filho de Júpiter, ilustre nativo de um astro longínquo, mas, entre os astros, aquele que brilha como duro diamante, cuja luz ateia até os corações, fá-los apaixonados dos mistérios de Deus e ardentemente amigos, devotos dos grandes ideais, sim, por tudo isto, e ainda pelo facto de haver vivido experiências, muito enriquecedoras, noutras encarnações anteriores, creia, forçosamente estou a dirigir-me a uma personalidade cuja mente é iluminada por um espírito elevado e eminentemente religioso.

Não no sentido tradicional e retrógrado do termo, mas no de quem permanentemente se interroga sobre as grandes questões que se levantam aos espíritos sensíveis e evoluídos, quer acerca das Origens da Vida e dos Grandes Enigmas do Universo, quer sobre os destinos do mundo que o rodeia ou em que vive. Sim, é o apóstolo, na mais bela expressão do termo. 

O homem de profundas convicções, o incansável paladino, o brilhante alquimista - qual cavaleiro vindo das brumas, que, ao rasgar-se-lhe o horizonte em luz, em claridade, e subitamente descobrindo o portal que tem diante de si, avança denodadamente; caminha em frente, qual iniciado em demanda de uma genuína transformação e transmutação, não só da sua própria personalidade, como do mundo que o envolve. Indo, indo, em frente, esclarecido e crente nos seus pensamentos e ideais, sabendo associar, como poucos, as imensas capacidades da inteligência às insondáveis potencialidades da intuição, da consciência e do sonho.

Desde a política, abraçando as grandes causas, os grandes tema das vida, sim, porque não, aos mistérios da fé, ao papel das religiões, estou convencido que nada escapa à sua apurada sensibilidade... Questionando, agindo, conspirando no nobre sentido, enfim, incansavelmente envolvendo-se em mil refregas com as mais variadas forças, conquanto veja nessa luta uma forma de ascensão, de progresso, de justiça, e de iluminação, do homem e da sociedade..

Vós, o Espírito da Vida! Ó Forte Divindade! Ó Refulgente Luz e deslumbrante Guia das Liberdades! Erguei-Vos! Porque radioso é o sinal que, todas as manhãs, surge a levante, que vem da divina mente a dissipar as trevas, a remover todas letargias e a despertar todos os sonos! Oh, porquê, existirem tantas as almas ímpias e indiferentes, que nem ao menos contemplem a maior das Tuas maravilhas, que cantem, ou se associem ao seu hino de alegria. Sim, estou crente de que são muito mais os que passam indiferentes ao verdadeiro Espírito da Natureza, do que aqueles que sabem aproveitar tudo quanto os seus olhos podem ver e os seus ouvidos podem escutar. - Excertos de textos das minhas dissertações epistolares, a que já me referi noutras postagens que dediquei ao Dr.Mário Soares.

Nenhum comentário: