expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

KIM JONG-IL E A CARPIDEIRA QUE O DIABO MAIS GOSTA - SÓ NOS TEMPOS MEDIEVAIS, RECEBERIA HÓSPEDE TÃO CHORADO - MAS FIDEL VAI TER LÁGRIMAS JUSTAS







Creio que é disto que o diabo mais gosta. Que chorem a morte para depois a festejar e se rir dela à sua maneira, quando o chorado der entrada no "inferno". Sobretudo, se, além de tirano, tiver sido um notável comediante. A morte de Kim Jong-il provocou uma verdadeira histeria de choro colectivo - Mas que coisa mais caricata as imagens que nos chegaram através das televisões!... - Como é possível a morte de um ditador desencadear tão comovida reacção pública?... O culto da personalidade é no que dá. .Com Fidel Castro - cuja hora da despedida não tardará a chegar - vai passar-se quase fenómeno semelhante, embora menos teatral que o fingimento do oriente - Os afro-americanos são mais naturais e expansivos. Claro que não faltará quem aproveite para deitar revoadas de foguetes. Mas aí julgo que as lágrimas são merecidas - Não sou apologista de governos autoritários mas, Fidel, só pelo simples facto, de ter sabido resistir a dezenas de conspirações pelo vizinho, ao lado, o grande campeão do capitalismo internacional, é um valente soldado e herói! O povo admira-o porque libertou Cuba de Fulgencio Batista , o testa de ferro, do grande casino, em que, a máfia americana, havia transformado Havana - Merece pois a minha simpatia e admiração.




Porém, na Coreia do Norte, regime igualmente de partido único, mas que tem mais de monarquia medieval de que comunista, não se podia esperar senão o fanatismo, até na morte do seu ditador. Mais um exemplo onde o socialismo foi atraiçoado em favor da nomenclatura dirigente. O capitalismo de Estado chinês modernizou-se e abriu-se ao mundo, exportando - não já a sua ideologia, que há muito a deixou de ter - mas o seu comércio, através da sua imensa legião de devotos empregados do partido único.Dos países capitalistas, os ventos que sopram são de devastação E o que se espera é cada vez mais a pobreza extrema em contrate com a riqueza extrema - E, no outro extremo, seja qualquer for o tipo de ditadura, a falta dos mais elementares direitos e garantias de liberdade de expressão. - Afinal, que estranho mundo é este em que vivemos?





..







Nenhum comentário: