expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 12 de julho de 2012

MÁFIA CHINESA, INDIANA E PASQUISTANESA EM LISBOA - AÇAMBARCAM QUIOSQUES DE JORNAIS E DE FRUTA - AO PORTUGUÊS SÓ LHE RESTA O DESEMPREGO OU ARRUMADOR DE CARROS -




Portugal  - depois do 25 de Abril - passou-se de oito para oitenta ou vice-versa - No Salazarismo era o "orgulhosamente sós" (o isolamento); agora é o desgraçadamente abandonados e mal acompanhados. Máfia chinesa vendia mulheres para a prostituição -*******A máfia chinesa no Brasil
-
Chinês vende na loja (enche os bolsos) e português que não tem dinheiro fica a ver à porta

Bem podia haver fiscais para tanta quinquilharia e lojas - Não há vila em Portugal em que os chineses não se tenham instalado - Pegaram num mapa e a máfia fez o resto - a distribuição. Agora a moda é a da fruta. Qualquer dia passam a outra. Começaram com o pano estendido na rua, agora são donos da empresa mais lucrativa em Portugal -Chineses compram21,3% da EDP -

CONSTA-SE QUE A MAIOR PARTE DOS PRODUTOS CHINESES NÃO PASSA PELAS ALFANDEGAS PORTUGUESAS - VÊM DE ESPANHA E, PORVENTURA, ATRAVÉS DE OUTRAS REDES OU ENTRADAS ILEGAIS -  NÃO ENTRAM NA BALANÇA COMERCIAL - É ILUSÓRIA A IDEIA DE QUE A CHINA NOS COMPRA MAIS DE QUE NOS VENDE.China Défice da balança comercial atingiu os 24 mil ME

CHINESES NÃO SÃO GENEROSOS, NEM SOCIÁVEIS  COM POVOS QUE NÃO SEJAM DA SUA CULTURA E NÃO DÃO NADA EM TROCA - DISFARÇAM COM SORRISOS HIPÓCRITAS; TUDO É COMERCIÁVEL E NADA SE DEITA FORA: ATÉ  A CARNE  DE CÃO E AS MINHOCAS SÃO VENDÁVEIS

Mesmo que o chineses queiram disfarçar, comprando vinho português ou outros produtos, nada se poderá comparar à destruição e aos malefícios que já provocaram e continuam a provocar no nosso comércio e na nossa indústria  - Então, agora, que tomaram conta da EDP, REN  e avançam para a banca e outras grandes empresas, ainda vai ser pior - De notar, que estamos a falar de uma das mais ferozes ditaduras mundiais da actualidade - Só que, para o capitalismo, os direitos humanos, nada contam, quando se sobrepõem  os interesses das grandes multinacionais, que, em troca, vendem aos chineses, alta tecnologia - Mas até ver... Até à altura deles a copiarem e fabricarem - O que, aliás, sem os menor escrúpulos, já estão fazendo.

**"(...)a entrada de China no nosso país pode ser preocupante. Vejamos o que aconteceu ao comércio local em Portugal. Ao longo dos tempos temos assistido a encerramentos e mais encerramentos, muito devido às grandes superfícies comerciais, mas também devido à abertura em massa de lojas de comércio chinesas. A possibilidade que os chineses têm de colocar produtos no nosso território e comercializá-lo a preços muito mais inferiores em relação aos das lojas portuguesas, contribuiu em certa parte para a ruína do comércio local e tradicional português"In O investimento chinês em Portugal -

NO BRASIL CONTRIBUÍRAM IGUALMENTE PARA O ENCERRAMENTO DE MILHARES DE LOJAS E DE FÁBRICAS

Produtores nacionais estão preocupados com a desindustrialização provocada pela invasão dos produtos chineses nos últimos anos. Levantamento da Comissão de Defesa da Indústria Brasileira (Cdib) aponta que, na última década, várias indústrias fecharam as portas após o avanço das importações chinesas.
No segmento de escovas, por exemplo, das 40 empresas que há dez anos estavam no mercado, apenas duas mantêm as atividades industriais.Comércio de produtos chineses no país prejudica produção nacional

Os tradicionais quiosques de venda de jornais e revistas  - que começaram por ser atribuídos a deficientes e a reformados dos jornais - hoje, estão quase todos tomados por chineses e indianos. A Câmara Municipal de Lisboa devia evitar o trespasse e não permitir que eles fossem tomados por autênticos mercenários mafiosos estrangeiros. Compram os trespasse e depois colocam lá empregados  por esmola o dia inteiro como se estivessem na china ou na Índia.

  Depois das lojas do comércio (para já não falar da EDP, REN e por aí adiante) os chineses espalharam lojas de fruta por toda a cidade de Lisboa - E certamente o mesmo estará acontecer no Porto e noutras cidades. Se o português quiser estabelecer-se, debate-se com mil dificuldades. Não lhe resta outra solução que ficar no desemprego ou arrumador de carros.Se quiser emigrar para Angola, tem de fazer sociedade tipo cambalacho, com mafiosos locais,  à semelhança do que sucede na Rússia; de outro modo não se safa. E, aqui, em Portugal, é capaz de haver esquemas semelhantes (com mafiosos no poder local ou central) para privilegiar  negócios estrangeiros. Instalam-se por todo o lado e vão deixando os mercados tradicionais às moscas. O Mercado de Arróios é um dos exemplos. As rendas são caras, e, então, agora com as  lojas de fruta de chineses e indianos à volta, cada vez o mercado vai ficando mais deserto e a vida mais dificil às pequenas bancas. Muitas dessas lojas ou fecham às oito da noite ou estão mesmo abertas até à meia-noite. Operam quase ao estilo de mine-mercados ou de tabernas: pois vendem de tudo. Até bebidas.Criando, muitas vezes, junto da vizinhança, mau ambiente.  A facturinha ou o recibo só se lhe for pedido.  Dizem que muita dessa fruta é importada de Espanha e até do oriente. Outra, vem do Mercado da Ribeira. Como pertencem aos mesmo patrão, a distribuição fica mais barata. A compra é por atacado. Arrebatam   grandes quantidades e a preços de saldo.Normalmente, surgem quase no encerramento do mercado. O pequeno vendedor não tem possibilidades de competir com essas sociedades que esmagam a vida de famílias portuguesas e lançam-nas no desemprego..


 Mendigos estrangeiros ou vai carteira no Metro ou despejam os contentores para se defenderem.

A MÃO-DE-OBRA E O INVESTIMENTO ESTRANGEIROS DEVEM SER BEM ACOLHIDOS, MAS O QUE SE PONHA ALGUMA ORDEM NO COMÉRCIO ORIENTADO POR REDES QUE PARECEM OPERAR APENAS ORIENTADAS  PELA GANÂNCIA E OPORTUNISMO, DESTROÇANDO A CONCORRÊNCIA LEAL   - Havendo mesmo suspeições que a fuga ao fisco faz parte do esquema.

QUEM NÃO SE LEMBRA?

Postes dos telefones e da electricidade - os alvos predilectos.

PARECE QUE NÃO MATAM UMA MOSCA .... MAS SÓ VÊEM NEGÓCIOS E CIFRÕES - NA CHINA FUZILAM OS OPOSITORES, NO RESTO DO MUNDO (para eles enriquecerem) CONTRIBUEM PARA A FOME E O DESEMPREGO

Mas, afinal, o que o que é estão os chineses a fazer em Portugal senão a sacar? A destruir o comércio, encerrando lojas e fábricas e a contribuir para o desemprego - Eles que só empregam mão-de-obra com aqueles que têm os olhos em bico. Ainda há dúvidas?! - O grave de tudo isto é haver portugueses que não se importam de entrar no mesmo jogo.
A venda da EDP aos chineses da THREE GORGES - ficou prevista desde o momento em que a máfia chinesa se envolveu nas eleições presidências - Ou não é sabido quem apoiaram?!...   Os dirigentes chineses actuam com a maior frieza espartana - O comunismo neles é apenas um rótulo - a capa do Capitalismo do Estado mas ganancioso, imperialista e desenvergonhado.
GRANDE SURPRESA ! - Há muito eles deixam aldeias isoladas, roubando fios do telefone e da electricidade Roubo de cobredeixa aldeias sem telefone e Net E todos os dias as lojas dos portugueses, que vão à falência, são ocupadas por eles

Ator de 'Milionário' está ligado à máfia indiana
O ator indiano Ajit Pandey, que interpreta Salim, irmão do protagonista de Quem quer Ser um Milionário na fase adulta, é acusado de pertencer ao crime organizado. Ele foi preso depois que um produtor de Bollywood, a famosa indústria cinematográfica da Índia, ligou para a polícia e disse que Pandey o estava ameaçando em troca de dinheiro e papéis importantes em filmes.

No longa, vencedor de oito Oscar, Salim acaba se tornando um criminoso e se junta a uma quadrilha indiana. Na vida real, o ator é acusado de ligar para produtores importantes do país em nome do mafioso Irfan Husri, um dos mais conhecidos chefões do crime na Índia, e pedir dinheiro para ele e seus comparsas.

Um comentário:

Anonymous disse...

Eu li atentamente sua opinião e vejo que o preconceito que a matéria tem é tão grande,abrindo inclusive um precedente perigoso ao afirmar que os trabalhadores chineses e indianos são mafiosos.Meu senhor:,mafiosos,bandidos,existem em todo o mundo e em todo o lugar,inclusive entre Portugueses.É inadmissível, eu,como ser humano aceitar o que está dito no Blog, que todos estes trabalhadores,chineses e indianos,são mafiosos...
O que acontece,digo por experiência própria,porque tenho 3 lojas em Lisboa,e pago impostos como todo mundo, e sou também estrangeira (mesmo não sendo da mesma nacionalidade dos citados no Blog)é que eu sinto muito dizer mas, muitos portugueses nã gostam de trabalhar,ou não se esforçam o suficiente no trabalho,só pensam no ordenado,as vezes quando estão a procura de trabalho em minha loja,primeiro perguntam quanto vão ganhar....não tendo o mínimo de interesse em se apresentar ou dizer até mesmo suas qualificações para serem aceitos...
Eu acho super normal que os chinese e indianos e até mesmo todos os estrangeiros que querem trabalhar ocupem estes espaços,por mérito de seus esforços,e que quem não quer fique mesmo a ver navios..
Trabalho tem muito só não trabalha quem não é qualificado ou não se esforça para merecer.
Eu também conheço de perto muitas famílias chinesas e indianas e todas são honestas,ficam dia e noite a atender seus clientes,e até mesmo nos imensos feriados que tem em Portugal só para ter um dia o lugar ao sol ao almejado por tanta gente em todo o mundo,mas tudo é mérito apenas de muito trabalho e esforço...então apenas deixe de fora o preconceito e tente provar que disse...
Agora, centro de desemprego exige um carimbo de todos os desempregados para continuar a receber os seu direito ao seguro,de que tem mesmo procurado trabalho e não tem encontarado...mas o que acontecem é que os portugueses chegam em minha loja,pedem o carimbo,mas nem sequer me perguntam se preciso de alguém para trabalhar,somente querem continuar a receber...e mais nada.