expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Durão Barroso Goleiro de Ângela Merkel convencido que a crise do euro é um jogo de futebol na Nova Ordem Financeira Global - Abaixo o Euro,! Venha daí o Ibero já!


A nova Ordem Financeira Global em Marcha - Parida em 2009 - 'Hoje nasce nova ordem financeira mundial', diz Brown -



Bush, o grande ideólogo de Durão Barroso, dizia que era preciso paciência para instaurar a Nova Ordem Mundial Financeira - Não foi preciso muito tempo - Agora é apenas uma questão de meter mais uns golos na própria baliza das vítimas, encostar às redes a Grécia, Portugal e Espanha - Os países do leste, esses, já estão mais de que abocanhados, visto terem passado de um extremo ao outro - Os países árabes já se passaram quase todos para a "Primavera da Nato" - Os mais renitentes,o Irão e a Síria, lá irão a seu tempo.A China e o Japão controlam o oriente  - e já dominam praticamente as economias do resto do mundo - A Europa mantém aparência de uma comunidade, mas é fogo de vista: quem mandam são os alemães,liderados pela  dama implacável.

Durão: «Cada euro do orçamento comunitário será bem gasto» A indigestão nunca é da carne barrosã  - que é de primeiríssima qualidade Durão Barroso isenta troika de responsabilidade pela austeridad

 "As grandes empresas têm um novo plano para encher seus bolsos: um acordo global apoiado em um tribunal internacional para colocar esse acordo em prática, mantido em segredo por anos (até mesmo de nossos legisladores!) e logo cairá como uma Estrela da Morte sobre nossas democracias. A indústria do Tabaco, do Petróleo, a Farmacéutica, o Walmart e quase 600 lojistas representando as empresas privadas estão se debruçando sobre o rascunho do acordo -- incluindo limites para as leis de fumo e tabaco, medicamentos baratos e liberdade de expressão na Internet" .VISÃO CÓSMICA:








Vaca barrosã é boa de carnes mas o bife não está ao alcance de qualquer bolsa - Conversa que só interessa aos talhantes

"Durão Barroso pede golos contra a crise para evitar prolongamento" e também muito amor para ele e outros gulosos satisfazerem o apetite insaciável Durão Barroso pede amor incondicional ao projecto europeu .

O presidente da Comissão Europeia comparou a crise do euro a um jogo de futebol e afirmou estar «absolutamente convencido que o euro vai ganhar», pedindo aos «jogadores» europeus que marquem agora golos na segunda parte, para evitar um prolongamento. 

“Quando me perguntam acerca da crise do euro, eu digo que já passámos a primeira parte, estamos na segunda parte do jogo, e, contrariamente ao que previam os apostadores, não perdemos nenhum jogador, ninguém foi expulso, não perdemos”, disse Euro. Durão Barroso pede golos contra a crise para evitar


Barroso  O DELFIM      inspirado pelo Senhor de Boliqueime sabia que tinha uma missão profética a cumprir  - No seu ponto de vista, Portugal era apenas uma folha de alface na salada do grande capital internacional  - Daí ter abandonado o Governo de Portugal, traído o eleitorado que o elegeu, ido apresto e lesto a ocupar a lacuna onde o chamavam altos desígnios: a presidência da união europeia Sendo, por esse facto,  nas sondagens dos consórcios, já considerado o mais popular entre os mais populares e influentes líderes do mundo!!!


«O caso BPN é um caso à parte do sistema financeiro. Pessoalmente não concordo com a nacionalização. Foi um erro completo», disse Durão Barroso, em entrevista à RTP, a dois dias do fim do prazo para a entrega de propostas de compra do banco.

Agora já é um erro, mas se me recordo bem na altura defendia que tudo tinha de ser feito para salvar o sistema financeiro e para evitar o contágio - In Um erro chamado Durão Barroso



Fernando Pessoa e o euro13 Janeiro 2010

João Pinto e Castro

 

(...) Não fazem sentido nem a total independência do Banco Central Europeu nem a sua preocupação exclusiva com a inflação. Não faz sentido o Pacto de Estabilidade e Crescimento. Não faz sentido a ausência de disposições que autorizem medidas excepcionais em situações excepcionais. Finalmente, não faz sentido que haja tanta preocupação com défices externos excessivos e nenhuma com superávites excessivos, quando uns se ligam necessariamente aos outros.


Fernando Pessoa definiu o provincianismo português como esta inclinação para "pertencermos a uma civilização sem tomar parte no desenvolvimento superior dela - em segui-la pois mimeticamente, com uma subordinação inconsciente e feliz."

A ideia de que o endividamento externo é um problema especificamente nosso - seja nas causas seja nas manifestações - não passa de mais uma manifestação do provincianismo das elites portuguesas que Pessoa tão justamente abominava.Fernando Pessoa e o euro- - Jornal de negócios



O nazismo defende que uma nação  é a máxima criação de uma raça.   Consequentemente, as grandes nações (literalmente, nações grandes) seriam a criação de grandes raças." - O que não fizeram com as armas, vão fazê-lo obrigando-nos a vender as melhores empresas públicas que temos

A ENTRADA PARA O EURO DA SENHORA MERKEL NÃO FOI MAIS DE QUE UMA ISCA LANÇADA PELA ALEMANHA  PARA MATERIALIZAR O EXPANSIONISMO QUE HITLER NÃO CONSUMOU.  

Já defendi neste site que a única solução para Portugal e Espanha é a criação do Ibero - Volto aqui a repetir o que disse em  ...O EURO É UM VELHO SONHO MEGALÓMANO DE HITLER E NAPOLEÃO.

VENHA DAÍ O IBERO! - JÁ!!! - ESTA É A ÚNICA MOEDA QUE FAZ FALTA E INTERESSA A PORTUGAL E A ESPANHA - O EURO É UMA CRIAÇÃO CONTRA-NATURA E ARTIFICIAL, PARA FAVORECER EIXO FRANCO-ALEMÃO 

- O grande sonho de Hitler e que esteve na génese da segunda guerra mundial - Por isso, os ingleses ficaram de fora, preferindo prosseguir da sua ilha a mesma saga da pirataria colonial

AS SEMENTES DO NAZISMO NÃO FORAM ERRADICADAS - MORRE UM MAS HÁ SEMPRE UM OUTRO - UM BEBÉ QUE LHE SUCEDE 

O IBERO EM VEZ DO EURO - E SEM MAIS PERDA DE TEMPO - A JUNÇÃO DA ITÁLIA NÃO SERIA DE TODO DESPROPOSITADA - MAS ELES TERÃO MAIS A GANHAR UNIREM-SE AOS ALEMÃES E FRANCESES. NÃO ERA ESSE O DESEJO Adolf Hitler E DE Benito Mussolini – SAI UM Silvio Berlusconi NÃO TARDA QUE ENTRE OUTRO IMPERADOR Júlio César




Portugal E España - SEM DEMORA! IRMÃOS UNIDOS E DE MÃOS DADAS - O maior obstáculo ao seu desenvolvimento económico não é o que está entre a fronteira mas no que vai para laém da fronteira dos Pirenéus e no colosso poderio das terras do Tio Sam. .

- Uma coisa é o impedimento da livre circulação e a natureza intrínseca e geográfica  onde foi gerado o nazismo e donde vieram  as invasões napoleónicas ou a imposição dos mapas cor de rosa.  
Dos americanos, dificilmente poderão esperar-se boas lições para os europeus. Salvo o facto de serem mais nacionalistas. Embora a actual América esteja já muito longe de outros tempos. A forte emigração, vinda de todas as partes do mundo, criou uma enorme caldeirada de culturas- em que o único traço comum, que as une, é a bandeira nacional, devido à sua poderosa frota bélica, que ainda continua a ser reverenciada e a unir nacionalismos, mesmo contrários e controversos. Mas, em termos económicos, os EUA estão mais de que minados pelos japoneses, chineses e judeus - São eles que controlam os dólares. No entanto, o dólar, mesmo estando mais desvalorizado do que o euro, continua a ser a moeda de aferição dos barris de petróleo.



Enquanto a União Europeia, não passa de uma manta de retalhos, dominada pelos ingleses e pelo eixo Franco-alemão, sem um líder carismático capaz de congregar ideais ou interesses comuns, senão os do salve-se quem puder - E os únicos que se salvam são os ricos - São eles que fomentam as grandes estratégias do capitalismo mundial, que ditam e comandam os seus jogos especulativos, cujo objectivo é apoderarem-se do património público dos estados mais fracos, já que o sector privado, as grandes empresas e a banca, estes não têm pátria nem bandeira, são os parceiros naturais.

O investidor multimilionário George Soros, em entrevista ao Der Spiegel, (mencionada nos media portugueses)sugere que Portugal e Grécia devem abandonar a zona euro Portugal e Grécia devem abandonar o euro, diz Soros

E não está longe da verdade - No fundo, o que o capitalismo americano mais deseja, é que a frágil fronteira que une os país ricos aos pobres na comunidade europeia, conheça o seu primeiro rombo através da Grécia e de Portugal - seguida de Espanha. Depois, os demais vão todos por arrasto. Ao dólar não interessa um euro forte - E o capitalismo americano e o inglês (sim, o dólar e a libra fazem parte da mesma panelina) sabem que, depois dessa hecatombe, o euro vai cair à cova por morte prematura e natural 

 A MELHOR ALTERNATIVA AO EURO A PORTUGAL E A ESPANHA - É CRIAREM UMA MOEDA ÚNICA - A QUE PODERIAM CHAMAR - MUITO APROPRIADAMENTE - DE IBERO - O ACTUAL EURO TEM OS DIAS CONTADOS - FAVORECE OS PAÍSES MAIS RICOS É CONTRA-NATURA
É a forma de lançarem a OPA do poder capitalista sobre os mais fracos. Os países mais pobres (dos leste e Grécia), são outros mundos, outra realidade. Eles próprios é que têm que saber com saber com quem devem juntar-se ou então prosseguirem, sem desvanecimento e alheios aos ventos ocasionais das circunstâncias, avançando na jornada da sua própria jornada histórica e civilizacional. 

IBERO EM VEZ DO EURO - E O MAIS RAPIDAMENTE POSSÍVEL, ANTES QUE O CAPITALISMO SELVAGEM E ULTRA-LIBERAL, DESTRUA COMPLETAMENTE O PATRIMÓNIO DOS DOIS  ESTADOS SOBERANOS E INDEPENDENTES , DESFIGURE A SUA CULTURA E TRANSFORME OS DOIS PAÍSES NUM VASTO CAMPO DE DESERDADOS E DESEMPREGADOS 

Única solução de Espanha e Portugal recuperarem a importância que tiveram no seu período áureo colonial, claro que não é o de voltarem ao tempo das caravelas ou dos barcos negreiros carregados de escravos, mas de retomarem as suas raízes históricas - quebrada pela estúpida guerra que D. Afonso Henriques fez a sua mãe, o Fundador de Portugal

Espanha é o único país europeu, com os quais temos laços mais estreitos e um passado comum - Sem ressentimentos históricos e com os olhos postos no futuro, este é o único caminho que resta aos dois países para retomarem a sua verdadeira expressão no conceito das nações civilizadas -  Felipe Gonzalez diz que Europa está à beira do precipício

SAEM UNS MAS NÃO LHE FALTAM OUTROS - AINDA MAIS FIÉIS E SOFISTICADOS





 Veja-se como tratam os gregos - Assim  também vêm os espanhóis e portugueses.

"Christine Lagarde dá, afinal, o dito por não dito. Depois de ter desencadeado uma tempestade ao insinuar que o problema dos gregos é não pagarem os seus impostos, a directora-geral do FMI veio esclarecer que até tem muita compreensão pela Grécia.

«Como já afirmei várias vezes antes, tenho muita compaixão/simpatia pelo povo grego e os desafios que enfrentam. É por isso que o FMI está a apoiar a Grécia no seu esforço para vencer a atual crise e regressar ao caminho do crescimento económico, do emprego e da estabilidade. Uma parte importante deste esforço é que todos deveriam cumprir com a sua justa parte do fardo, especialmente os mais privilegiados e especialmente quanto a pagarem os seus impostos. Foi esse aspeto que destaquei quando falei com o jornal The Guardian, no âmbito de uma entrevista maior, há algum tempo atrás»



Nenhum comentário: