expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

30 gestores tiveram ganhos anuais acima de um milhão em 2011- Filho do dono da SIC (Impresa) Francisco Maria Supico Pinto Balsemão: - Dê-me um tachozinho! Só numa empresa facturou 89.250 euros - Tem uma autêntica cozinha de panelas e tachos!







A crise não parece ter atingido os gestores das empresas portuguesas cotadas na Bolsa  - Diz o Diário de Noticias, na sua ediçao de hoje, que "30 gestores tiveram ganhos acima de um milhão  de euros de salário.E houve um quem ganhasse ganhou 2,7 milhões.

  O MUNDO PRECISA DE MUDAR - E VAI MUDAR: OS ARREBENTAS AINDA SE VÃO LIXAR

  A Classe média, em Portugal, está em vias de extinção: os ricos cada vez são mais ricos. Mas o panorama é mundial . Depois da queda da chamada cortina de ferro, que dividia o mundo em dois blocos, deixou de haver qualquer cortina: a única existente é a que esmaga milhões de seres humanos, com salários de miséria, transformando-os em bestas de carga, com a possibilidade dos patrões os despedirem em qualquer altura. Mas a situação agravou-se ainda mais a partir do momento em que a invasão amarela se espalhou por todos os continentes, enxameando os países com as suas lojas, comprando as empresas mais lucrativas, que é o que está acontecendo em Portugal, ao mesmo tempo  outras  se deslocam para  o oriente, China e Índia, com o fito de se aproveitarem da mão de obra escrava 







- E o resultado está à vista: em vez de serem os governos indianos e chineses a nivelarem os salários (e direitos laborais) com a  Europa (ou mesmo com  a América), sucede justamente o contrário. E,  com baixos salários  ou não havendo empregos, não há poder de compra - Este um dos aspectos da crise . O capitalismo, em vez de se humanizar, no afã de se tornar mais competitivo, associa-se a agressivos grupos económicos, empresariais e financeiros, absorvendo empresa sobre emprsea, como a gula insaciável dos crocodilos  ou dos  ruminantes - Os administradores, presidentes e, directores,  seguem pela mesma escola, fazem a mesma coisa: não se contentam com um tacho,  têm que meter o garfo em dezenas ou centenas - Em muitos dos quais apenas para lá irem buscar a milionária  mesada. -  Por este andar, com o capitalismo ao ataque em todo o mundo, com a  Europa nas mãos dos neoliberais e a maior parte dos países a exigirem na ONU que a Internet possa ser censurada por acção directa dos governos locais, há mesmo necessidade imperiosa do mundo dar uma cambalhota ou uma reviravolta - Assim o espero: - O ano que aí vem, vai ser   um ano de grandes complicações sociais: mais desemprego mas também vai dar grandes desgostos  chatices aos governantes(e aos grande patrões) que pensam que têm o mundo nas mãos - Vai-lhes sair o tiro pela colatra - Muitos deles, para defenderem o pelo,  ainda se hão-de esconder como os ratos nos buracos.





Francisco Maria Supico Pinto Balsemão, 41 anos, é apenas um dos exemplos de nova classe dos Yuppies 

"A escolha de Pedro Norton por Francisco Pinto Balsemão para assumir a presidência executiva da Impresa já começa a fazer os seus efeitos com Francisco Maria, o filho ilegítimo de Balsas, como protagonista" - referia  " MERDIA DE VIDA", no passado dia 7 de Stetembro


Como conta o DN, “de um relacionamento com Isabel Supico Pinto, nasceu Francisco Maria. A criança só foi reconhecida pelo pai após ordem de tribunal. Hoje, já adulto, é vice-presidente da Impresa e muito próximo de Balsemão”, mas nem essa proximidade evitou que agora se recusasse a alinhar na nova equipa de gestão, depois de ter sido preterido pelo pai no cargo de CEO. O “sucessor natural”  não quis agora ter qualquer papel na gestão executiva do grupo, o que se entende… pois passou, na prática, de nº 2 a nº3 e ainda teria de actuar sob as ordens de Norton, que anteriormente era seu subordinado.Rififi na Família Balsemão « MERDiA DE VIDA



  Luis de Raziel - Auto-retrato num dos seus santuários nas habituais peregrinações

SÓ NUMA EMPRESA FACTURA UM PIPOZINHO DE BAGO

 Isto foi o que facturam os Administradores da Compta

Em 2011 as remunerações atribuídas aos membros dos órgãos sociais da Compta ascenderam a cerca de 361.500 euros, assim distribuídas:
 Armindo Lourenço Monteiro - Presidente José Eugénio Soares Vinagre 35.000
 João Arnaldo Rodrigues de Sousa 26.250
 Francisco Maria Supico Pinto Balsemão89.250
 Jorge Manuel Martins Delgado 89.250

 Administrador da Fábrica Lusitana – Produtos Alimentares, S.A
Francisco Maria Supico Pinto Balsemão [41 anos] Vogal do C.A.
É accionista dominante, vogal do Conselho de Administração onde exerce funções executi-vas; foi eleito pela primeira vez em Novembro de 2005.
É licenciado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores, Ramo de Telecomunicações e Electrónica, do Instituto Superior Técnico (I.S.T.), Universidade Técnica de Lisboa. Tem, ainda, Curso de Pós-Graduação em “Gestão de Empresas de Telecomunicações” (1998/99) do ISTP – Instituto Superior de Transportes, organizado pelo ISTP, pela APDC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações, e pelo Instituto de Empresa de Ma-drid. Participou, tendo-o concluído, o Programa EJE - Engenheiro Jovem Empresário (1993/1994), promovido pela Secretaria de Estado da Juventude, pela Junitec (Júnior Em-presas do Instituto Superior Técnico) e pelo ITEC (Instituto Tecnológico para a Europa Co-munitária).
Desempenhou, exerceu cargos ou colaborou nas situações a seguir indicadas.

 Administrador executivo da Imprejornal (Sociedade de Impressão, S.A.) de Março de 2002 a Setembro de 2006, e da Controljornal, S.G.P.S., S.A. de Março de 2000 a Fevereiro de 2001.
Presidente do Conselho de Administração da PortaisVerticais.com, S.G.P.S., S.A. (a «joint-venture» entre a IMPRESA e a SONAE.com para projectos temáticos na In-ternet) de Novembro de 2002 a Dezembro de 2003, tendo sido o seu CEO de No-vembro de 2001 a Outubro de 2002.
Director de Negócios Internacionais e Roaming da TMN - Telecomunicações Mó-veis Nacionais, S.A., de Outubro de 1997 a Março de 2000, tendo iniciado a sua carreira profissional nesta empresa em 1995 como Gestor de Projecto no Depar-tamento de Inovação e Desenvolvimento de Produtos e Serviços (IDP) da Direcção de Comunicação e Marketing (DMK).
Participou na elaboração do projecto de televisão privada SIC na fase de candida-tura ao 3º canal de televisão (Abril de 1991).
Comissário de empreendedorismo e director da revista “Comunicações” da APDC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (tem sido vogal da sua Direção durante 10 anos – de 2001 a 2011).
Presidente da Direcção Nacional da ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresá-rios) desde 2009, tendo sido Vice-Presidente de 2003 a 2009

 Administrador executivo da Imprejornal (Sociedade de Impressão, S.A.) de Março de 2002 a Setembro de 2006, e da Controljornal, S.G.P.S., S.A. de Março de 2000 a Fevereiro de 2001.
Presidente do Conselho de Administração da PortaisVerticais.com, S.G.P.S., S.A. (a «joint-venture» entre a IMPRESA e a SONAE.com para projectos temáticos na In-ternet) de Novembro de 2002 a Dezembro de 2003, tendo sido o seu CEO de No-vembro de 2001 a Outubro de 2002.
Director de Negócios Internacionais e Roaming da TMN - Telecomunicações Mó-veis Nacionais, S.A., de Outubro de 1997 a Março de 2000, tendo iniciado a sua carreira profissional nesta empresa em 1995 como Gestor de Projecto no Depar-tamento de Inovação e Desenvolvimento de Produtos e Serviços (IDP) da Direcção de Comunicação e Marketing (DMK).
Participou na elaboração do projecto de televisão privada SIC na fase de candida-tura ao 3º canal de televisão (Abril de 1991).
Comissário de empreendedorismo e director da revista “Comunicações” da APDC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (tem sido vogal da sua Direção durante 10 anos – de 2001 a 2011).
Presidente da Direcção Nacional da ANJE (Associação Nacional de Jovens Empresá-rios) desde 2009, tendo sido Vice-Presidente de 2003 a 2009


 Membro da Direcção da ACEPI (Associação do Comércio Electrónico e da Publici-dade Interactiva) desde Novembro de 2005, tendo sido Director do seu Grupo Es-pecializado B2C («Business to Consumer») de 2001 a 2005.
Vice-presidente do Conselho Geral da AIP/CE – Associação Industrial Portugue-sa/Confederação Empresarial desde 2011 (tendo sido vice-presidente da sua Di-recção de 2007 a 2011).
Vogal suplente da Direcção da API – Associação Portuguesa de Imprensa desde 2007.
Vice-presidente do Conselho Geral da CIP - Confederação da Indústria Portuguesa desde 2011 (tendo sido vogal da sua Direcção em 2010).
Membro do Conselho Geral da APDSI (Associação para a Promoção e Desenvolvi-mento da Sociedade de Informação).
Elemento de ligação da Impresa, S.G.P.S., S.A. à COTEC Portugal (Associação Em-presarial para a Inovação).
Membro da Direcção Nacional (Região Sul/Ilhas) da APIGRAF (Associação Portu-guesa das Indústrias Gráficas, de Comunicação Visual e Transformadoras do Papel) no biénio 2005/2007, em representação da Imprejornal, Sociedade de Impressão, S.A..
Relatório sobre o governo da sociedade Exercício de 2011 - Co


Nenhum comentário: