expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Insolvências: 25 pedidos em média por dia - comercio chinês prospera - Quem nos acode: Portugal governado por sacadores sem escrúpulos




Portugal sem rumo e sem norte -

Pobreza. Três milhões vivem com menos de 500 euros/m

Enquanto o comércio chinês prospera, as lojas dos portugueses são encerradas - Paquistaneses, chineses, indianos, além de controlarem o comércio retalhista, também são donos das lojas de fruta - Importada de Espanha, através de redes que fogem ao fisco - Não há rua que não esteja dominadas por estas lojas - Não há qualquer tipo de protecção - O Mercado Municipal de Arroios, em Lisboa, está em vias de extinção. À volta do recinto foram instaladas lojas que funcionam durante todos os dias da semana e, algumas, das nove da manhã até à meia-noite - O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, ele que chegou a ter a  ideia de remeter o comércio chinês para uma zona específica, parece ter fechado os olhos e vergado-se aos interesses estrangeiros. Os tradicionais  quiosques de jornais e revistas, que gozavam de alguma protecção, que eram concedidos a associações de reformados, foram igualmente despachados para indianos e paquistanês Pelo vistos, há quem no município de Lisboa esteja a encher os bolsos - A corrupção generaliza-se - Recentemente, Militares da GNR pagos pela Máfia chinesa» -foram detidos por estarem implicados nessa tipo de candoga  - Mas esta é apenas a ponta de um imenso polvo, que diariamente se estende e para o qual parece não há ver solução - Apanhados por mero acaso. Não porque houvesse qualquer tipo de diligências  nesse sentidoEscutas e colegas tramam esquema de corrupção de quatro GNR




 Segundo o Observatório do Algarve, as empresas chinesas, que operam sobretudo em Portugal no sector dos serviços, com particular incidência no comércio de retalho e de grossista, vão de vento em popa, continuado aumentar.

UMA GOTA DE ÁGUA NUM OCEANO DE CORRUPÇÃO

 A ASAE fiscalizou 1007 agentes económicos que comercializam produtos asiáticos entre 2007 e 20 de Setembro de 2010, dos quais 50 foram detidos. Apreendeu artigos no valor de 546 mil euros, instaurou 168 processos-crime e levantou 266 contra-ordenações. É a resposta às críticas de Paulo Portas, em como estes produtos não estavam a ser fiscalizados, representando uma concorrência desleal para com artigos portugueses.50 detenções no comércio chinês****Dois chineses residentes em Portugal presos em França com 1,8 ...
....

Referem as estatísticas que, este ano, até à passada sexta-feira, quase seis mil empresas pediram a insolvência, o que resulta numa média de 25 pedidos por dia.
Segundo os dados do Instituto Informador Comercial que são hoje divulgados pelo Diário de Noticias e pelo Jornal de Noticias o comércio é o setor mais afetado pela crise.
Os pedidos de insolvência nesta área já ultrapassaram os 1500. Muito perto surge o setor da construção e do imobiliário que por dia coloca em média no desemprego 430 trabalhadores.
No têxtil e vestuário, o setor que aparece na terceira posição, houve pouco mais de 400 pedidos de insolvência e na restauração e alojamento 360.
Na comparação com os dados relativos a 2011, a restauração foi uma das áreas de atividade em que a situação mais se agravou. Os pedidos de insolvência aumentaram quase 70 por cento.
Os empresários deste setor têm alertado insistentemente para as consequências do aumento do IVA e da quebra no consumo das famílias.

Construção perde 85.200 empregos, insolvências aumentam 44%

Carteira de encomendas caiu «drasticamente» para metade

O setor da construção voltou em outubro a registar quebras em todos os indicadores, com a carteira de encomendas a cair «drasticamente para metade» e as insolvências de empresas a aumentaram 43,7%, anunciou esta segunda-feira a FEPICOP. Ao todo, o setor perdeu 85.200 empregos.

Nenhum comentário: