expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 15 de dezembro de 2012

MIGUEL RELVAS O HOMEM DO SUPERCOMPUTADOR MATRIX MATRIX: RTP, JN, DN, TSF, SOL, Correio da Manhã, nos amigos angolanos e a TAP nos colombianos - Maior controlador do que ele e seu governo, só no ano 2200



Miguel Relvas é o que se pode chamar um homem prá frentex energético e cibernético do futuro! - Um homem cauteloso, um verdadeiro experiente visionário do ano 2200. Do mundo onde as máquinas irão controlar a vida dos homens por meio da Matrix, um sistema artificial de simulação da realidade que usa os organismos dos seres humanos para produzir energia


  Depois dos chineses se terem apoderado da EDP, há que pensar em novas energias. As renováveis não bastam, pois também estão nas mesmas mãos. Por isso, nunca se sabe, se, além de poderem dar-se ao luxo de produzirem  um apagão e deixar Portugal às escuras, caso o Catroga ou Mexia  lhes exija mais umas milionárias alcavalas, pois claro, é se,  num futuro talvez não muito longínquo,  uma boa parte da raça amarela, não se meta a caminho, de aviões e porta-aviões, e, o que é agora, uma mera invasão comercial,  não venha a transformar-se numa autêntica invasão maciça humana  amarela!



MIGUEL RELVAS SABE QUE A VIDA NÃO É UM MUNDO VIRTUAL MAS VIVE NUM MUNDO ARTIFICIAL

 Miguel Relvas sabe que o mundo da  tecnologia do supercomputador Matrix não é propriamente um mundo virtual de  ficção do futuro mas a própria  " NASA já conta com supercomputadores capazes de processar informações duas vezes mais rápido do que o cérebro humano e, se levarmos em consideração que o poder desses dispositivos duplica a cada dois anos — de acordo com a Lei de Moore —, dentro de uma década essas máquinas poderão processar o equivalente a 80 anos de pensamentos produzidos por uma única pessoa em um prazo de apenas um mês."

´"É a aceleração histórica incontrolável , com tecnologias que correm à velocidade da luz: os computadores, a Internet, os bancos de dados"..(...) "..Quando falo de globalização  da economia, defino-me como a mundialização   da hegemonia do neoliberalismo. E essa mundialização é uma coisa totalmente diferente da globalização . Agora já se exerce o controlo das nossas mentes e dos nossos corações, o que é um fenómeno recentíssimo, já que não sabemos o que está acontecer nem o que vai acontecer  nos próximos dois ou três anos. E se estamos a sentir  que o quotidiano se está a acelerar dessa maneira, creio que tal é um sinal de alerta. Não só o nosso cérebro não está preparado, com os nossos neurotransmissores também não estão preparados , porque hoje, se deixarmos de ter informações on line, passos a ser obsoletos como pessoas e, quando acordamos de repente, a história passou." Rose Marie Muraro

 
SENDO  RELVADAS, PASSOS, GASPARITO E PAULITO  OS MELHORES  SEGUIDORES DA DOUTRINA  DO QUATRO REICH DE ÂNGELA MERKEL - PENSAM QUE ASSEGURAR O CONTROLO DOS MEDIA É UM PRECEITO FUNDAMENTAL PARA PROFESSORES E SEUS ALUNOS

 Não aproveitaram toda a doutrina do 3º Reich  - já que este reinado proclamava um Estado Forte (eles acham que o Estado não é competente para gerir coisa nenhuma) e  que os jornais (na altura ainda não havia TV)deviam ser geridos e editados só por cidadãos alemães - , no entanto, os herdeiros do 4º Reiche, pelo menos souberam aproveitar outros ensinamentos - Como por exemplo,  o controlo absoluto:

Pedimos a luta pela lei contra a mentira política consciente e a sua propagação por meio da Imprensa. Para que se torne possível a criação de uma imprensa alemã, pedimos que:
  1. Todos os diretores e colaboradores de jornais em língua alemã sejam cidadãos alemães.
  2. A difusão dos jornais não alemães seja submetida a autorização expressa. Estes jornais não podem ser impressos em língua alemã.
  3. Seja proibida por lei qualquer participação financeira ou de qualquer influência de não alemães em jornais alemães.
 
- Pois, quer Miguel Relvas, como Portas e Passos - mas sobretudo o homem da energética e da cibernética - sim, todos eles sabem que, quem detém os órgãos de comunicação social, detém o poder - Esta a razão pela qual a Europa dos 27 está totalmente representada em Bruxelas ao mais alto nível - Onde Durão Barroso é o mordo-mor. Miguel Relvas, diplomado nos mais especialíssimos saberes e nas  mais conceituadas universidades,  também não ignora que temos que nos precaver para as maravilhas que nos esperam do ano 2200 - Nesse distante futuro, embora nem memória dele seja lembrada,  vivem os seus bisnetos e quatranetos e há que perseverar  a linhagem Relvas


ENCONTROS IMEDIATOS EM PRIMEIRÍSSIMO GRAU
(claro que eles fecham os olhos a estas imagens Menino com desnutrição grave espera ajuda em Nharea, Angola (Foto:  Francesco Zizola/Magnum/MSF)  -Una enfermera de MSF atiende a un niño herido en Angola. (Foto: Francesco Zizola/Magnum/MSF)

  Miguel Relvas  sabe que estas coisas dos altos negócios só funcionam  com encontros imediatos a um grau muito elevado - E sem o fantasma da fome de perto - Isso não faz sentido a gente fina que diz mesmo que esta sua decisão de comprar a RTP “não será alterada por quaisquer afirmações de cariz xenófobo, nem tão pouco por processos de intenção ou teorias da conspiração” que possam ser feitas para “denegrir” a empresa  Angola: Food Insecurity Emergency Appeal(MDRAO005) | ReliefWeb  



 




EM DEMANDA DE UM NOVO MUNDO EGOÍSTA E ARTIFICIAL

Com tal presunção, daí ter levado Fátima Campos Ferreira a apresentar um programa especial em direto de Luanda e em simultâneo em Portugal e Angola, com políticos, empresários, desportistas e artistas portugueses e angolanos, a que deu o pomposo nome de ...,OPERAÇÃO ESPECIAL: O REENCONTRO Pois também sabia que, com essa operação de charme,  tinha o caminho desbravado para conquistar as boas graças dos altos dignatários do regime angolano, onde, de resto, havia sido administrador, ainda como deputado e já conhecia os cantos da casa

 «O senhor da Ponte andou pelo menos dez anos metido no álcool, mais concretamente na cerveja. Andou ou ainda anda, porque não sabemos se ele não ficou com acções das empresas», afirmou fonte dos trabalhadores da empresa, que temem que o gestor, nestas condições, não seja capaz de liderar a estação pública...Trabalhadores da RTP dizem que Alberto da Ponte não tem experiência e andou metido no álcool

Depois da Controlinvest ter cedido à tentação dos petrodólares angolanos, Controlinveste assume acordo com angolanos  na compra dos  jornais Diário de Noticias, Jornal de Notícias, TSF, eis que aí amigo do Miguel, aí estão a proclamar que o dinheiro angolano não é xenófobo  - E a comprar o canal público de televisão - Tudo muito programado nos moldes mais avançados  e cibernéticos



MIGUEL RELVAS NÃO TEM QUE SE PRONUNCIAR  - POIS TUDO CORRE DEBAIXO DOS SEUS CARRETOS


O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, afirmou hoje que o modelo da privatização da RTP será conhecido "nas próximas semanas", escusando-se a comentar o interesse da Newshold na empresa pública."Não me cabe a mim falar em nome das empresas", reagiu Miguel Relvas, quando questionado sobre o interesse revelado pelo grupo económico de capitais angolanos para avançar para uma eventual privatização da RTP, caso o modelo proposto pelo Governo se revele "um negócio interessante"...Relvas não comenta interesse da Newshold na RTP






COMO SERÁ   O PERFIL  DAS SECRETÁRIAS DE MIGUEL RELVAS? - DE EDUARDO CATROGA, JÁ SE VIU COMO ERAM: POIS  APRESENTOU-AS NA SUA FESTA DE ANIVERSÁRIO O -


Serão  tal qual as do 3º Reich? - " Maquiavélicas e impiedosas, assim como as- sete responsáveis (arcanjos) e 12 auxiliares (apóstolos) - pela "crueldade, sadismo e perversão de suas ações malévolas"?




"Tirei o curso de Ciência Política e Relações Internacionais, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia, em Lisboa, depois de ter frequentado, na década de 80, os cursos de Direito e de História", explicou ao i o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares.


 
  Miguel Relvas só abandona o cachopo depois de ele ter aprendido a dar mais uns passos


Apanhou muitos banhos de praia e do sol no Mussúlo, na Baía de Luanda, nos tempos em que a democracia era um sacrilégio. Só em pronunciar-se a palavra, dava prisão.  Aprendeu por essa cartilha. Bebeu lá leite de coco em rapaz. Ferve-lhe, por isso, nas veias o sangue da guelra dos peixes tropicais e não cede de ânimo leve.  Quem se intrometer nos seus segredos, vê-se ensanduichado... Deve ser dos que mais trabalha dentro do Partido e do Governo. Mas só ele sabe porque o faz. Tem metas que ainda não foram cumpridas. Passos Coelho, poderá pensar numa legislatura de quatro anos, mas não acredito que seja essa a intenção do Miguel. Que está na política, com propósitos pessoais bem determinados, e, enquanto os não lograr, é como o perdigueiro que vai atrás da perdiz ou persegue a sua presa. Não desvia o olhar que não seja o do ponte de mira.





 
Dr. Relvas  é tão calculista e cerebral, como repentista e emotivo – Mas desta vez, parece ter-se deixado cegar pela emoção. Ou antes, pelas excessiva avidez da sua própria ambição. Resta-lhe a vingança, com o domínio, que já conta nos media e nas empresas, graças às  boas relações que mantém com os seus amigos angolanos, onde tem lugar cativo nas administrações de algumas importantes empresas, ligadas a José Eduardo dos Santos.

  
Quem muito fala, pouco acerta - Mas Relvas nunca se engana - E nós também não nos enganámos quando há uns tempos aqui editamos este texto:


Miguel Relvas é o típico homem de resposta sempre na ponta da língua.  O paladino cerebral. Apela mais ao cérebro que à emoção. Bem gostaria de jogar com as duas coisas, mas, levadas ao extremo, são incompatíveis. E, quando cede só à emoção, desequilibra-se, faz asneiras. Por mais sorrisos que verta, sente-se que existe no seu discurso, algo enganador, que ressoa a calculismo ou a  falso, que deixa o interlocutor (ou quem o ouve) de pé atrás, desconfiado  que o traia. – É demasiado palavroso. Se fosse mais contido, talvez fosse mais levado a sério. Isso resultou, quando vinha às televisões a fazer oposição a  Sócrates. Naquela altura, também era fácil criticar. Como governante, depressa se auto-denunciou. Faz lembrar o homem das feiras, que está de magafone em punho e querer vender gato por lebre. Só tem gerado conflitos, pois quem fala demais dá bom dia ao cavalo. Quem muito fala, pouco acerta Quem muito explica, complica. 

 Indubitavelmente, o que se passou com as pressões, seguidas de ameaças,  a uma jornalista do Público, é mais um lamentável episódio de um homem demasiado ambicioso, que parece ainda estar a viver a sua adolescência em África, no tempo que imperava a censura, em que a única verdade que podia ser dita, era a que convinha ao fascismo. Eu trabalhei para a  imprensa angolana, como correspondente, durante cinco anos e sei muito bem, quão difícil era transpor essa barreira. Vários foram os meus artigos que, parcial ou totalmente, foram riscados de cruz. Mas o pior é que ele não teve essa experiência, mas a da cultura do bem parecer e do bem enriquecer.


Miguel Relvas nasceu em Lisboa, seus pais de Portalegre, Alentejo, mas foi moldado em Luanda, tal como Passos Coelho, natural de Coimbra, pais transmontanos. Ambos vieram depois estudar para os melhores colégios de Portugal. Só que a sua grande matriz é realmente o país do sol. E num tempo em que a luz privilegiava os colonos. Hoje, Angola, é um país independente, a sua classe dirigente, vive bem, mas a maioria da população, se não vive pior de que antigamente, também não conheceu melhor nível de vida. Havendo mesmo quem diga que a injustiça social é ainda mais visível.Terá, Passos e Relvas, já reflectido nessa crua realidade?... Duvido. Mas era bom que fizessem essa reflexão e não se envolvessem ou comprometessem excessivamente com um governo e uma realidade, que não tardará a provocar o segundo regresso das caravelas - Mas guardo esta questão para próxima oportunidade, que, por hoje, já vou longe demais.

"NÃO HÁ E-MAILS GRÁTIS" - "NÃO TE ESQUEÇAS DE MIM E DO QUE EU SEI SOBRE TI" - RICARDO COSTA - EXPRESSO 12 DE MAIO -2012


o caso da privatização da TAP, estamos perante um caso em que o potencial vencedor da privatização antes de o ser já o era", afirmou à Lusadeputado socialista Rui Paulo FigueiredoTodos os dias "
as notícias que vêm a público reforçam a confirmação de falta de transparência no processo e conhece-se a promiscuidade político-partidária existente", acrescentou o deputado socialista, numa referência à notícia publicada esta segunda-feira pelo jornal "Público", que dá conta de um alegado envolvimento de Miguel Relvas e do ex-chefe da Casa Civil de Lula da Silva, José Dirceu - condenado a mais de dez anos de prisão no caso "Mensalão" - no processo de privatização da TAP.



Nenhum comentário: