expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Solsticial Invernal - calendário pré-histórico - O stonehenge português existe é no Monte dos Tambores e Mancheia - Já conhecido por Templos do Sol - A descoberta de mais um novo calendário ocorreu na manhã do passado dia 22 e passou a ter o nome de Phallus Impudicus


Os raios solares do nascer do sol, ficam em perfeito alinhamento com o horizonte, a crista da pedra (de forma fálica) e o centro do recinto circular . Porém, à medida que nos aproximamos do menir, naturalmente que vemos o ângulo altear-se. É possível que existisse ali  uma  ou mais pedras  a balizar o centro do terreiro e que tivessem sido retiradas para junto do muro, uma vez que todos os bocados deste maciço, até há uns anos atrás, eram cultivados de centeio: onde não podia entrar o arado com o macho, ia a enxada . Ainda é uma questão a pesquisar - Pois existem pedras compridas, deitadas junto  ao amuralhamento, com características de menir. Mesmo assim, o que tive a alegria de testemunhar, creio que é bastante convincente. 










Este é o quarto alinhamento dos Templos do Sol - que tomou o nome de "Phallus Impudicus" em homenagem ao fantásticos cogumelos Stinkhorn Phallus Impoudicus"  que nesse dia pude descobrir nalguns sítios do Monte dos Tambores-Mancheia 






MACIÇO DOS TAMBORES E MANCHEIA É UM MUNDO DE SURPRESAS -  NA ASTRONOMIA PRÉ-HISTÓRICA E NO MARAVILHOSO MUNDO DO REINO VEGETAL E  MINERAL - OS ANTIGOS POVOS QUE AQUI VIVERAM ERAM VERDADEIROS OBSERVADORES E VENERADORES DOS ASTROS - 

AS ENIGMÁTICAS COVINHAS - SIMBOLOGIA DA URSA MAIOR

  Pedra do Sete Estrelo, com sete fossetes (petróglifos) formando a Ursa Maior, que despertou a atenção de Tom Graves, em Outubro de 2008 quando visitou os Templos do Sol e os alinhamentos sagrados.  Aliás, fui eu que o encaminhei a esta pedra, que já há muito me intrigava.  Fizeram-se vários conjunturas mas nenhuma nos levou a  tal possibilidade. Agora é que me dei conta de que as enigmáticas covinhas, formam a Ursa maior  - É  uma rocha muito estranha com duas configurações completamente diferentes,  que indica os quatro pontos cardeais.  E é sabido que, o sete estrelo,  em todos os tempos, foi uma das constelações com maior simbolismo. Veja as imagens e outros pormenores em http://www.vida-e-tempos.com/2014/01/pedra-da-ursa-maior-nos-templos-do-sol.html







O Inverno entrou oficialmente às 17.11 do passado dia 21. A essa hora estava eu junto à Pedra do Solstício do Verão para ver a que distância se ia pôr o sol nesse dia na sua aparente declinação a sul – E, de facto, ainda distam alguns quilómetros, desde aquele ponto mais meridional ao setentrional - ou seja,  até  ao ponto em que se vai pôr  no dia 23 de Junho, pelas 20.45, na véspera de S. João, altura em que os raios solares ficam em perfeito alinhamento com o horizonte, a crista do imponente megálito, de forma esférica na direção leste oeste.

Na manhã, do dia 21, encontrava-me eu ainda em viagem - Só  quase ao fim  da tarde é que cheguei aos Tambores. Mas, o dia 22, foi um dia  em cheio! – Com o chão coberto de gelo, ao amanhecer e depois com um radioso sol a dissipar o frio; por fim, alguns pingos de chuva – Mas não só isso – Duas curiosas descobertas: mais um calendário solar (do qual, aliás, já suspeitava) e a existência de cogumelos alucinogénios, que veio reforçar a ideia que já tinha: a do seu uso nos rituais dos povos que ali viveram. Mas vou começar pela celebração do Solstício do Inverno, a cujo assunto já me referi


Quando aqui lancei o convite, na antevéspera, foi quase com a certeza de que não iria ter lá ninguém -  Com o Natal no horizonte, e não sendo tradição nossa este género de paganismos solsticiais, e, ainda para mais ao nascer do sol, em manhã de Inverno, era de ver que não podia contar com muitos corajosos. Mas eu não deixei de ali ir – E, em boa hora, decidi abandonar a capital por três dias, ido propositadamente de   Lisboa – No dia seguinte, pela manhã, lá estava eu – A diferença de um dia para outro é mínima. Solstício, em latim. solstitium,  significa “sol imobilizado”, “sol parado”




TOM GRAVES – O INVESTIGADOR INGLÊS TINHA RAZÃO – O ESPÍRITO DO LUGAR INFLUENCIA O SER HUMANO E É TAMBÉM RECIPROCAMENTE INFLUENCIADO POR ELE - HÁ QUE SABER INTERPRETAR O PASSADO E OS MISTÉRIOS QUE O TEMPO OCULTOU.

Tom Graves, de nacionalidade inglesa,  defende que os lugares sagrados são centros para os quais muitas das linhas de água convergem umas com as outras e também com os centros padrões de linhas acima do solo, à semelhança do que acontece com as artérias do corpo humano Aponta como exemplos, as mamoas, menires, círculos de pedra, dólmenes e outras estruturas megalíticas, assim como os altares das igrejas da Pré-Reforma.


O autor de Agulhas de Pedra - A Acupunctura da Terra , famoso livro de investigação, sobre a influência da terra na alma e vida do ser humano, desloca-se com frequência aos chamados pontos nodais ou lugares Sagrados da Terra que, desde que desapareceram as antigas civilizações que os cultuavam, têm praticamente permanecido escondidos dos olhares profanos Em Portugal, já visitou o Cromolech de Almendres no Alentejo e alguns menires da região de Sintra. Em Outubro, de 2008, veio expressamente da Austrália, onde reside, para visitar a Pedra da Cabeleira, alinhada com os Equinócios, e a Pedra do Sol, alinhada com o Solstício do Verão




Ora foi precisamente esta a teoria que o conhecido escritor e investigador aceitou ali testar. Pelos vistos, com êxito, durante largas e pacientes horas de sucessivas triangulações com a sua varinha de radestesista. Tendo  confirmado a existência de vários veios de água que convergem para aqueles sítios -  De seguida, tendo peregrinado por vários trilhos do Maciço dos Tambores, além do encantamento que esta área lhe infundiu e de ter  podido observar importantes vestígios arqueológicos, alertava-me para o facto de que poderiam existir outros alinhamentos e outras simbologias noutras pedras, algumas das quais fotografara e  assinalara com as respetivas coordenadas, dado lhe  terem chamado especial atenção

E, na verdade, não se enganou – . Achava que esta área, o vasto e acidentado maciço planáltico, com aquela exposição solar, não só podia induzir os povos, que ali se abrigaram, a rituais e a cultos pagãos, como aproveitarem os penedos para fazerem deles seus observatórios astronómicos

Tom é um defensor do uso das faculdades intuitivas e da interpretação do “espírito do lugar”. Pois considera que só é possível ir ao encontro das verdadeiras raízes da história e da compreensão dos fenómenos naturais através da chamada linguagem vibratória dos sentidos. Tais observações escapam a muitos investigadores que apenas descobrem o óbvio, quando  esse óbvio encontra um muro, uns cacos, uns desenhos gravados e não interpretam o que, embora aparenta ser obra da natureza, pode ocultar uma intervenção humana.

Conhecedor dos alinhamentos da Pedra da Cabeleira de Nossa Senhora (atravessada ao nascer do sol nos equinócios da Primavera e do Outono) e da Pedra do Solstício do Verão (que descobri em 2002 e 2003)  e depois de ler o estudo de Albano Chaves, faltava apenas poder contemplar, na altura própria, a sua descoberta – E foi principalmente esta a razão, que me trouxe de volta à minha aldeia, nesta altura. 


Tal como tive oportunidade de referir,  a descoberta do alinhamento solsticial de Inverno nas Portas do Sol, foi observado há dois anos e ficou a dever-se ao Dr. Albano Chaves – O seu desenvolvido estudo, divulgado neste site e também já publicado em Inglaterra, numa revista sobre astro-arqueológica, é realmente um valioso contributo para o conhecimento e investigação do património histórico na aldeia de Chãs, no termo da qual se situam as famosas gravuras paleolíticas da Quinta da Barca . Com tão interessantíssimo trabalho de investigação, concluía-se, assim, que, no planalto do Maciço dos Tambores, não houve os  artistas, com o mesmo  gabarito dos povoaram o  Vale do Côa, mas verdadeiros astrónomos ou cultuadores do sol e dos ciclos das estações

MERAS COINCIDÊNCIAS? E A ORIENTAÇÃO DAS IGREJAS E PEQUENAS ERMIDAS NO ALTO DOS MONTES, NO SENTIDO NASCENTE-POENTE, O QUE É SENÃO A CONTINUIDADE DOS ALINHAMENTOS DE ANTIGOS CULTOS PAGÃOS


Esta questão foi abordada pelo Dr. Albano Chaves, no colóquio sobre as  Cosmogonias da Pré-história ao Ocidente Peninsular, que antecedeu a celebração do solstício do verão, em junho de 2008, a propósito do alinhamento das cinco capelas de Leça de Palmeira, com a constelação Cisne. http://www.vida-e-tempos.com/2011/06/2imagens-do-solticio-do-verao-21.html Lembrando que “ é frequentíssimo haver capelas a coroar elevações do terreno, tanto em Portugal como em tantos outros países. E é frequentíssimo haver locais de culto, nos nossos dias, que foram construídos em locais de culto muito mais antigos ou até estes terem sido aproveitados para capelas – E eu admito que, no território de Leça da Palmeira, há muitos milhares de anos, alguém com profundos conhecimentos de astronomia ou pelo menos gostando de observar o que se passa lá em cima, terá reparado nalgumas elevações naturais (actualmente identificadas, como Santana, Corpo Santo e São Clemente) e ter-se-á lembrado de representar ali, em Leça da Palmeira, que, na altura, era também a sua terra, a constelação do Cisne” – Mais pormenores em (1) solstício do inverno nos templos do sol 



Sim, foi uma peregrinação lindíssima!  - Pena não ter podido contar com a participação do Albano Chaves – Mas, tal como lhe disse, através de e-mail. compreendo a sua impossibilidade. Pois, também ele, nesta altura, dizia estar a  fazer  umas observações em Leça da Palmeira – Por certo, na sequência do interessante estudo que fez acerca do alinhamento das cinco capelas alinhadas com a constelação cisne.





Creio que, com a sua presença, sempre teria sido mais fácil localizar os pontos em que se colocou, aquando da sua descoberta. Mesmo assim, ainda houve tempo de registar algumas  belas inagens. Mas , é tal coisa, os acasos também têm a sua lógica e a sua razão de ser. Enquanto andava de um lado para o outro e já com o sol a querer espalhar os seus raios por penhascos  das Quebradas Tambores, eis que me ocorre dar uma espreitadela a uma pedra, que, pela sua localização e posição, e já tendo visto que não podia ter sido simples edificação da natureza, admiti que teria que ter forçosamente algum significado.





A referida pedra, em forma de falo (tal como é demonstrado nas várias imagens) situada no extremo de um pequeno terreiro, a escassos 40 ou 50 metros do Castro do Curral da Pedra, ali ao lado do Altar do Poetas, local escolhido para acampamento de um grupo de membros da  Associação Cultural Pagã – Pelo que se pode depreender, acertaram com o a escolha do melhor local – Quer como ponto dominante, quer pela sua ancestralidade.





OS RADIETESISTAS SONDAM AS VIBRAÇÕES MAIS SUTIS DA TERRA E DESCOBREM AS SUAS PRINCIPAIS ARTÉRIAS, CONDUTORAS DE ENERGIAS TELÚRICAS QUE OS HOMENS DA PRÉ-HISTÓRIA, QUE DURMAM COM OS OUVIDOS COLADOS ÀS ROCHAS, CONHECIAM COMO A PALMA DAS SUAS MÃOS - E OS ASTRO-ARQUEÓLOGOS   COMO INTERAGEM? - SIM, TAMBÉM ELES - POSTOS EM CAMPO - NÃO TARDAM A COLOCAR TODA A SUA SENSIBILIDADE, ARTILHARIA SENSÍVEL,  EM ALERTA MÁXIMO - É O CASO DE ALBANO CHAVES

DESCOBERTA DO SOLSTÍCIO DO INVERNO - POR ALBANO CHAVES.

Um sono milenar está a chegar ao fim. Pedras, enormes umas, mais pequenas outras, emitem sons, balbuciam palavras continuamente desde há muito. Dez, quinze, vinte, cinquenta mil anos? Ninguém as ouvia, no entanto. Falam por si, entre si, estabelecem ligações. Formam figuras geométricas no terreno, que é preciso olhar, ver, identificar, ler, entender, integrar em expressões, frases, períodos, textos, crónicas.


São estas as duas únicas pedras neste planalto que até agora têm sido faladas em relação ao Sol. De cada uma delas não se vê a outra e só do local que aqui se baptizou como ‘Observatório’ é possível ver as duas.
Estarão essas duas pedras sozinhas?
E não haverá uma espécie de diálogo entre elas?

Ora bem, foram estas interrogações que levaram, Albano Chaves, na senda de um fascinante observatório astronómico, direcionado com o Solstício do Inverno, a que deu o nome de Portas do Sol, e, sabe-se lá, senão também com o do Verão. É isso que vamos ter que observar no próximo solstício em Junho. A sua localização ocorreu há dois anos, porém, só agora tive a oportunidade de testemunhar tão maravilhosa descoberta. Tendo perdido algum tempo para me situar na posição, mais adequada, só o pude registar, aproximando-me mais perto das ditas "Portas do Sol" - Mas veja-se bem esta curiosa coincidência, as tais maravilhosas coincidências que não acontecem por acaso, sim, nesse vai e vém de hesitações, de andar de um local para o outro, e também em boa parte graças às diferenças do relevo, permitiu-me que nessa mesma manhã pudesse também ir  ao encontro da descoberta, a que atrás me referi. Isto porque, nos dias seguintes, as condições atmosféricas, com tempo de chuva, já não nos permitiriam repetir a observação.


VEJA - A TÍTULO DE EXEMPLO - A  QUE PONTO CHEGOU  O RIGOR ASTRONÓMICO DO DO SEU NOTÁVEL ESTUDO



Pedra ‘Cogumelo’
(40º 59º 42,25" N / 07º 10' 37,88" W)



  


Esta enorme pedra que aqui se designa de ‘Cogumelo’ encontra-se alinhada com o ponto de intersecção D e com a Pedra C.

 Fig. 30 – Além de a Pedra 'Cogumelo' estar alinhada com o ponto de intersecção D e com a Pedra C, a linha traçada entre a Pedra 'Cogumelo' e a Pedra C faz 57,30º com o Norte

Surge de novo a pergunta: será que os habitantes desta região ficaram por aqui nas suas mensagens de pedra? Vamos continuar a procurar, talvez haja mais e as consigamos detectar.

Bom, deixou-lhe aqui alguns brevíssimos excertos de um extraordinário estudo para o convidar a lê-lo na íntegra nas postagens que neste site lhe dedicamos, em (1) solstício do inverno nos templos do sol
  (2solstício do inverno nos templos do sol - E, de seguida, uma sequência de imagens do seu fabuloso Calendário Pré-histórico, a que deu o nome de Portas do Sol














domingo, 29 de dezembro de 2013

Sexual Mushroom dos Tambores – Na lista dos cogumelos mais alucinogénios e afrodisíacos do mundo - Stinkhorn Phallus Impudicus - Cabeça de um verde negro gelatinoso, cheiro intenso achocolatado – Além de um Falo solsticial Invernal, o mágico Panaeolus Psilocybe e a Scleroderma Fungus, as surpreendentes descobertas numa manhã linda de sol mas gelada de branco - As ovelhas não lhes tocam mas aproximam-se dos carneiros- Terão sido usados nos rituais por antigos povos?


Por favor não  diabolizem o Stinkhorn Phallus Impudicus  - Vestido fada da neve ", já na sua fase de núpcias" iguaria flor ", " flor de fungos "," rainha das bactérias. "- estas algumas de designações como é conhecido desde a antiguidade, sabor rico nutritivo, sabor delicioso ,rico em aminoácidos, vitaminas , sais inorgânicos -




É o pastor José Júlio -Encontrei-me com ele,  na manhã do passado dia 22, em mais uma das minhas habituais peregrinações por estas fragas que me viram crescer. Pois, em miúdo, quando os meus pais eram caseiros na Quinta do Muro, lá ao fundo no Arreais, junto ao vale da Ribeira Centieira, andarilhei por aqui muita vez para levar a marmita ao nosso pastor. É um lugar que me traz à memória, sempre boas recordações. E também a dureza de um certo tempo. 

Daí, compreenda o que é a vida de Pastor. Descendo e subindo os penhascos e as canadas do Monte do Maciço dos Tambores - Vida difícil e de imensos sacrifícios: quer chova, quer faça frio ou calor, as ovelhas têm que ser apascentadas e tem de andarilhar desde manhã até quase ao anoitecer. Por isso mesmo, dos 16 pastores que chegaram a existir nesta minha aldeia, só resta ele e outro. E, no dia em que não houver pastores, perde-se também muita alegria e vida no campo - Sim, porque, por outro lado, também a aldeia se vai despovoando, vai ficando deserta. -- O Vídeo é um registo casual, Falamos de um cogumelo que, nesse mesmo dia, havia descoberto. Estava convencido que fossem alguns exemplares das famosas pantorras -- muito bem pagas e apreciadas, a quem chamam manjares dos Deus, mas ainda bem que se tratava do Stinkhorn Phallus impudicus - Que, de algum modo, se   insere  no fálico e telúrico perfil de muitas destas monumentais fragas


E HÁ QUEM GASTE TANTO DINHEIRO EM VIAGRA - EM PRODUTOS QUÍMICOS! - QUANDO A NATUREZA É TÃO GENEROSA

Têm a cabeça em forma de um falo verde azeitona, coberto por uma espécie de gelatina brilhante, exalando um cheiro achocolatado intenso, sobretudo quando se lhe toca. – Guardei dois deles, embrulhados em guardanapos de papel para os estudar, mas quase se me derreteram no bolso do blusão, e, durante todo o dia não me saiu o cheiro  das mãos, do bolso e do nariz. Em casa, coloquei o embrulho sobre o frigorífico. Às tantas, até parecia que, em vez de ser matéria orgânica, eram já os bichos de um bocado de carne em decomposição. Quem faz o povoamento são os insetos que pousam neles e vão disseminar os poros. Mas, obviamente, que não foram as moscas que os trouxeram para ali. Porventura, terão sido os povos que se refugiaram nos penhascos dos Tambores, com o fim de os usarem  nos seus rituais pagãos.Tal como terão trazido a orquídea silvestre que viceja ali na primavera  e apenas no interior do recinto amuralhado.

ALI NÃO HÁ NECESSIDADE SE PEGAR NO PLAYBOY 
 


Os homens (diz um estudo chinês) submetidos a um teste, num campo de cogumelos,  “consideraram o cheiro nojento" - Ou seja, torceram o nariz e puseram os olhos em bico  E o que disse das mulheres? Que estas se entregaram de braços abertos aos seus amados!... E foram correspondidas?!...O estudo (como verá, mais adiante) não refere esse pormenor, só fala de orgasmos,  de desejos carnais incontroláveis em catadupa.   Por isso, resta saber se os estímulos de um mau cheiro afrodisíaco, falam mais alto do  que o verdadeiro amor, a coragem de corresponder aos apelos de um coração incendiado pelos desejo. Mas a resposta só poderá ser dada pelo próprio. Não há como experimentar  o cheiro dos cogumelos dos Tambores. Não precisam de ser tocados nem colhidos. Eles encarregam-se de os perfumar. Deixem-nos viver a sua vida efémera. A sua longevidade é muito  curta. Numa noite podem crescer vários centímetros. E, dois dias depois, estarem murchos, perdendo completamente a rigidez e passar de ereto a vergado. Tal como fica o cogumelo do homem, depois de cumprir a sua obrigação - 


Castro do Curral da Pedra, Tambores e o Vale


Penso que é, aqui, em cenários como este, onde natureza mais se interroga e  diviniza, erguendo surpreendentes altares, fabulosas galerias de arte, por onde desfilam, com sublime espiritualidade, impressionantes bustos de mitológicos seres, ídolos e divindades, monstros de imensas caras, cuja geodésica  formação, áspera e agigantada, o cosmos há muito transformou em poderosos  condensadores de energias terrestres,  tão imprescindíveis  à vida física e anímica do planeta! Sim, é aqui, em redor destas estátuas vivas, descomunais esfinges da natura, que  brotam as verdadeiras fontes de sabedoria, da mais pura e cristalina água, que os raios do sol iluminam, abençoam, com a mesma pureza e o esplendor, do mais brilhante cristal!  Enfim, sagradas pias-máteres, onde florescem todas as mitologias e despertam os grandes mistérios” – Setembro . 2002  - Excerto de apontamentos de reflexão

Stinkhorn Phallus impudicus, conhecido na Nova Guiné, do povo Iban, como o pénis fantástico,  é uma espécie de fungo altamente afrodisíaco, em forma de falo, cujo odor forte e estimulante, é sentido a vários metros de distância. Podem aparecer em Agosto como  em Dezembro - isto porque, o calor dilata os corpos e o frio, aproxima-os.   São os anunciadores do Inverno,  nalguns pontos do Maciço dos Tambores.  As informações que pude recolher dizem que são os insetos que,  atraídos pela sua viscosidade, se encarregam de espalhar os seus esporos. Por isso. surgem em onde não é suposto aparecerem, uma vez não dependerem do esforço humano Eis algumas das 18 espécies Colus pusillus , Ileodictyon cibário , Ileodictyon grácil , Phallus cinnabarinus , Phallus multicolor , e Lysurus corallocephalus .





Têm a forma de um falo sexual masculino verde azeitona, quase negro, coberto por uma massa gelatinosa brilhante e alguns pontinhos brancos - A cabeça é semelhante à glande de um pénis, parecendo conter um pequeno orifício branco ao centro - Outros são mais pontiagudos e disfarçam o olho central. Mas há cogumelos desta mesma espécie  nascidos no mesmo sítio que parecem rostos humanos



É DE TODOS OS COGUMELOS, O MAIS AFRODISÍACO –  OS MAUS CHEIROS TAMBÉM ESTIMULAM – AS MULHERES FICAM LOUCAS,  ELES, TORCEM O NARIZ 






Leve a namorada aos Templos do Sol e vá até ao maciço  dos Tambores, Quebradas e Mancheia. -  E leve também consigo a  máquina fotográfica, que tem ali maravilhas para fotografar. Contemple aqueles monumentos de granito e os  belos e amplos espaços em que  vai sentir-se naturalmente envolvido.  E faça amor! Livre, apaixonada e  ardentemente!...  Imagine o que não era noutros tempos com as Evas todas à pai Adão! -

Não precisa de colher os cogumelos ou de os comer: basta respirar aqueles puríssimos ares. Os cheiros dos cogumelos diluem-se com os cheiros das ervas, coma fragância dos musgos ou dos perfumes das giestas - sobretudo na Primavera. Os incêndios no Verão, deram ali um rude golpe,   deixaram as pedras ainda mais negras. Porém, das cinzas, há já muitos sinais de vida -  Inclusivamente  dos próprios cogumelos.  Goze a liberdade à sua vontade. E nunca se esqueça de respeitar o ambiente

Sempre me capacitei que estas fantásticas muralhas de pedras, encerravam mil mistérios. E também sempre acreditei que muitos deles acabariam por ser revelados a quem amasse, verdadeiramente, estes fabulosos ídolos pétricos. Sente-se a força telúrica  do vale  e do planalto. Respira-se ali como que um todo do Universo, como se, mesmos rendidos à nossa extrema pequenês humana, nos uníssemos num imenso e íntimo abraço por toda aquela vasta extensão, por todo aquele imenso infinito.

O QUE DISSE O TESTE....

De acordo com uma publicação de 2001, no International Journal of Cogumelos medicinais , o cheiro do fungo fresco pode desencadear espontâneas orgasmos em fêmeas humanas. No estudo envolvendo 16 mulheres, 6 tiveram orgasmos ao sentir o cheiro do corpo de fruto, e os outras dez, que receberam doses menores, experimentaram mudanças fisiológicas, como aumento da frequência. Todos os 20 homens testados consideraram o cheiro nojento.”  


The fungus was used to treat many inflammatoy, stomach, and neural diseases. Southern China's Mia peole continue to use it traditionally for a number of afflictions, including injuries and pains, cough, dysenttery, enteritis, leucemia, and fleebleness,   and it has been prescribed clinically as a treatment for larryngitis, leucorrea,  fever, and oligúria   (low urine output), diarrhea, hypertension, cough, hyperlipidemia  and in anticancer therapy. Modern science has probed the biochemical basis of these putative medicinal benefits. The fruit bodies of the fungus contain biologically active polysaccharid



OS CHEIROS NÃO SE DISCUTEM E A NATUREZA TEM AS SUAS NORMAS E AS SUAS LEIS  - DEPOIS AINDA HÁ QUEM SE QUEIRA VINGAR, COM PRODUTOS QUÍMICOS AINDA MAIS TÓXICOS POR ATRAIR AS MOSCAS - How to Kill a Stinkhorn Fungus: 9 Steps (with Pictures) - wikiHo  OU  LHE CHAME MAL EDUCADO POR USAR O PERFUME À SUA MANEIRA




"Não há nenhuma maneira educada de dizer que: stinkhorns são brutos, e eles fedem tão fortemente que você costuma sentir o cheiro deles antes de vê-los.(...) O cogumelo espalha seus esporos, que estão presentes no lodo, atraindo moscas e outras criaturas que gostam de carne em decomposição., que, em seguida, transportam os esporos. Este é um método bastante avançado de reprodução, em paralelo com plantas com flores, que não evoluíram até perto do fim da era dos dinossauros  Stinkhorn Homepage - Wildman Steve Brill Have you ever walked out your door and smelled something atrocious? 


O reino dos fungos vegetais é imenso. Talvez mais diversificado que o do  animal  - A maravilhosa vida dos  cogumelos assume quase infinitas formas e cores 





Na verdade, nunca me tinha apercebido de  tão espantosa flora. A par da investigação que tenho desenvolvido dos vestígios e património arqueológico, outra das minhas observações incide também na fauna e na flora - Deparei com duas espécies ddos Stinkhorn Phallus impudicus, dois scleroderma fungus lado a lado e um Panaeolus Psilocybe .Há muita informação sobre os cogumelos fálicos - sobretudo em língua inglesa mas também muita da qual  contraditória. Até porque o reino dos fungos vegetais é um imenso  mundo




Na manhã, do dia 21, Solstício do Inverno,  estava eu ainda em viagem - Só  quase ao fim  da tarde é que cheguei aos Tambores. Mas, o dia 22, foi um dia  em cheio! – Com o chão coberto de gelo, ao amanhecer e depois com um radioso sol a dissipar o frio; por fim, alguns pingos de chuva – Mas não só isso – Duas curiosas descobertas: mais um calendário solar (do qual, aliás, já suspeitava) e a existência de cogumelos alucinogénios, que veio reforçar a ideia que já tinha: a do seu uso nos rituais dos povos que ali viveram. 




Foram tantas as surpresas e as emoções, vividas, e solitariamente, que, a bem dizer, nem sei por onde começar. Mas vou referir-me, nesta postagem ao miraculosos cogumelos e reservo para o post seguinte a do fálico Solsticial Invernal. Fiz vídeo e fotografias de vários cogumelos de várias espécies. As informações são muito díspares.  - De resto, embora sensivelmente com a mesma configuração fálica, segundo a pesquisa que fiz,  nem todos apresentam  a cabeça com idêntica  coloração. -  Eles são muito diferentes na aparência, mas todos eles compartilham pelo menos duas características: o  lodo fétido e a forma como se reproduzem.

O HOMEM TEM AINDA MUITO APRENDER COM A NATUREZA - QUANTAS VEZES  ELA NÃO  É  MAIS HUMANA QUE MUITAS MENTES DOENTIAS!

"O melhor  cogumelo alucinogénio tem as seguintes características: cabeça verde ou vermelho, bolinhas brancas, olhos e nenhuma boca" "Se tiver boca, é um cogumelo maligno que quer destruir o mundo. Podem dar poderes como Força Infinita, Visão Laser e a Raios X, Criação, Cura, Transformação (em tudo), Poderes Telepáticos, voo, ressurreição e crescimento de até 50%, te deixar gigantesco temporariamente e te deixar pequeno. Por exemplo, se Mário tem 18 pixels de altura, e consumir um cogumelo alucinógeno vermelho, crescerá até 27 pem zumbis. Cogumelos Alucinógenos - Desciclopédia 





 FÁLICOS E ALUCINOGÉNOS 


Existem diferentes espécies de cogumelos e nem sempre é fácil a sua identificação – Na dúvida, há que ser cauteloso.  “ Cogumelo fálico é uma anomalia da natureza. Obra de Deus, de acordo com alguns. Um cogumelo desses tem duas características, o de possuir um líquido aquoso  dentro dele e por ser extremamente venenoso. Não se sabe definir quando uma dessas anomalias vai surgir por aí, pode surgir no porão de Cogumelo fálico - Desciclopédia



.Naquele dia, em que deambulei pelo maciço dos tambores, pude encontrar-me com o pastor, que ali apascenta o gado, fiquei a saber que desabrocham no final do Outono, por altura do Natal - Solstício do Inverno - Quando perguntei, ao José Júlio,  já tinha visto este género de cogumelos,  sua resposta não se fez esperar: "cheira muito mal! As ovelhas não lhe tocam!  Sim, mas também não fogem. Não me pareceu que o rebanho ficasse perturbado - Mas é bem possível que, com o cheiro, até se aproximem mais dos carneiros.

 Toda a flora é obra da sábia e inteligente Natureza, que encontra na investigação das plantas medicinais as melhores respostas mas também não deixa de ser verdade que nem tudo que floresce na natureza  é para ser consumido, tal como vem ao mundo. E cabe ao Homem fazer a distinção e defender-se. Já que, os seres irracionais, só por muita distracção do seu instinto de defesa é que são surpreendidos. Do que não  se defendem é de algumas partidas do ser humano.


Notei que Stinkhorn Phallus impudicus, naquela área, prefere solos queimados, selvagens e abrigados, com materiais orgânicos em decomposição Brotam no solstício do inverno, em sítios que lhes sejam favoráveis, após o que murcham. "A taxa de crescimento de Phallus impudicus  em 10-15 cm (3,9-5,9 in) por hora." Net. Este ano, as cinzas causadas pela devastação dos incêndios infernais, vieram criar-lhe as condições ideais. Mas, curiosamente, eles lá terão outras exigências, pois não aparecem em qualquer lado que se reproduzem. Claro, nossítios onde os insectos também se sintam atraídos e deixem lá os fungos 

IDENTIFICADAS 18 ESPÉCIES – A NEGRA É TIDA COMO A MAIS ALUCINOGÉNA

O  género  Phallus, vulgarmente conhecido como stinkhorns,  contém 18 espécies.  O lodo fétido serve  para atrair moscas e outros insetos, que desembarcam no lodo e devorá-los. Mais tarde, esses esporos são dispersos pelos insetos inconscientes, e do ciclo de vida stinkhorn continua em outro lugarPertencem aos Phallus impudicus – Wikipédia 

PEDRA FÁLICA A CURTA DISTÂNCIA DO CASTRO DO CURRAL DA PEDRA E COM ESTE À VISTA - ALINHADA COM O NASCER DO SOL DO SOLSTÍCIO DO INVERNO

Sobre esta descoberta, vou referir-me na próxima postagem. Tom Graves,  autor de Agulhas de Pedra - A Acupunctura da Terra , famoso livro de investigação, sobre a influência da terra na alma e vida do ser humano, aquando da sua deslocação aos Templos do Sol, , em out. 2008, alertara-me para a existência de outros alinhamentos solares - E não se enganou - O investigador australiano,  a residir na Austrália,  é um defensor do uso das faculdades intuitivas e da interpretação do “espírito do lugar”. Pois considera que só é possível ir ao encontro das verdadeiras raízes da história e da compreensão dos fenómenos naturais através da chamada linguagem vibratória dos sentidos. Tais observações escapam a muitos investigadores que apenas descobrem o óbvio, quando  esse óbvio encontra um muro, uns cacos, uns desenhos gravados e não interpretam o que, embora aparente ser obra da natureza, pode ocultar uma intervenção humana.

solstício do Verão - Junho 2013


Panaeolus Psilocybe - Esta sombrinha foi colhida no mesmo sítio e  também faz das suas mas não embarque nessas viagens

Cogumelos psilocibina têm sido e continuarão a ser utilizados nas culturas indígenas  - Estes cogumelos são reverenciados como espirituais, que dão Acesso a Mundos Sagrados. Psilocibina – Wikipédia “Nenhum membro dos panaeolus é aproveitado ​​para a alimentação, embora alguns sejam  usados ​​como uma droga psicodélica”  . “Treze espécies depanaeolus contêm o alucinógeno psilocibina, incluindo cyanescens e panaelous. Os membros bluing alucinógenas deste gênero são às vezes separados em um gênero separado, copelandia   Panaeolus - Wikipedia, the free encyclopedia

Por drogas alucinógenas denomina-se um conjunto de substâncias naturais ou sintéticas capazes de atuar sobre o sistema nervoso de uma forma ainda não muito bem conhecida Droga alucinógena  

NÃO EMBARQUE NESTAS AVENTURAS - OS COGUMELOS NÃO SE DESTINAM AOS CAPRICHOS DOS DROGADOS - OS ANTIGOS POVOS USAVAM-NOS E SABIAM USÁ-LOS PARA OS FINS RELIGIOSOS E SEUS DIAS FESTIVOS.

Diz-se, que, "com a crescente antipatia pelos produtos sintetizados ou artificiais e o apelo ao retorno da natureza e do seu usufruto, tem levado um crescente número de consumidores de drogas a abandonar o LSD, preferindo o uso de cogumelos, os quais estão sendo vistos como uma base natural para atingir os mesmos efeitos proporcionados pelo LSD. Esta idéia errônea tem gerado riscos e malefícios para os consumidores desta droga.

 ENORMES RISCOS -
Isto, porque, enquanto os antigos povos conheciam os segredos de todos os frutos silvestres, com que sobreviviam e se serviam para os mais diversos fins, desde tratamentos medicinais  até ao uso, atualmente, salvo algumas tribos nas florestas tropicais, o ser humano vive bastante divorciado da natureza. E veja o que a imprudência poderá causar,  quando sob o efeito de cogumelos alucinogénos: suicídios; debilidade mental pelo uso prolongado;delírios, convulsões, coma profundo e morte devido a paragem cardíaca; dores no estômago, diarreia, náuseas e vómitos;  podem ser despoletados ou agravados problemas mentais, conduzindo a doenças mentaisCogumelos Alucinógenos: não embarque nesta viagem' 


scleroderma fungus
É um dos fungos, vulgarmente conhecido como bolas de terra. As espécies mais conhecidas são S. citrinum e S. verrucosum . Eles são encontrados em todo o mundo. Vários membros deste gênero são usados ​​como simbiontes de inoculação para colonizar e promover o crescimento de mudas de árvores em viveiros. scleroderma fungus Ingestão de esclerodermia citrinum pode causar desconforto gastrointestinal em humanos e animais, e alguns indivíduos podem sofrer lacrimação , rinite erinorreia , e conjuntivite de exposição aos seus esporos. 

CUIDADO COM AS APARÊNCIAS





.Confundem-se,  um pouco, as famosas pantoras, que despertam por altura da Páscoa.   Cogumelo Pantorra - Morchella esculenta os Os tais cogumelos com o seu chapéu a lembrar  os favos do mel, cem uma cor castanha e pé branco, muito apreciados, e bem pago, devido ás suas qualidades , tão apreciados, especialmente na culinária transmontana. ..Quilo da pantorra chega aos 100 euros - JN..


MAIS INFORMAÇÃO  DO PHALLUS IMPUDICUS

O Impudicus Falo, conhecida coloquialmente como o stinkhorn comum, é um cogumelo comum na Europa ocidental e América do Norte, onde ocorre em habitats ricos em restos de madeira, como as florestas e jardins cobertura morta. Parece do verão para o final do Outono. 
Algumas espécies são comestíveis  O fungo é apreciado e comido nalguns países Na fase de ovo, pedaços da camada interna (o receptaculum) podem ser cortados com uma faca e comidos cru. Propriedades medicinais  - Tem aplicações no combate à tromboflebite, câncer de mama, como anticoagulantes -  Foi utilizado em tempos medievais como uma cura para  a gota e como uma poção do amor. [7] Usos populares  - Em Montenegro, os camponeses costumam esfregar o  Phallus impudicus nos pescoços dos touros antes luta dos touros nos concursos  na tentativa de torná-los mais fortes. Eles também são fornecidas para bovinos jovens como er um potente afrodisíaco.
NA CULTURA –Abundam dele muitas referências - Trata-se de um cogumelo com historia na própria literatura – Referem os estudiosos deste genial fungo, que é motivo de enredo  no romance de Thomas Mann A Montanha Mágica (Der Zauberberg), em que o psicólogo Dr. Krokowski dá uma palestra sobre a impudicus falo Extrato  traduzido de Phallus impudicus - Wikipedi

Imagens e texto - fonte Net  - HÁ GOSTOS PARA TUDO
... P. multicolor is smaller and more brightly coloured
. 
 P. duplicatus has a shorter indusiumIn eastern Asia, P. indusiatus is considered a delicacy and an aphrodisiac ] Previously only collected in the wild, where it is not abundant, it was difficult to procure. The mushroom's scarcity meant that it was usually reserved for special occasions. In the time of China's Quing Dynasty. the species was collected inYuman Province  and sent to the Imperal Palaces  to satisfy the appetite of Empresas Dowager Cixi, who particularly enjoyed meals containing edible fungi.] It was one of the eight featured ingredients of the "Bird's Nest Eight Immortals Soup" served at a banquet to celebrate her 60th birthday. This dish, served by descendants of theConfucius family in celebrations and longevity banquets, contained ingredients that were "all precious food, delicacies from land and sea, fresh, tender, and crisp, appropriately sweet and salty". Another notable use was a state banquet held for American diplomat Henry Kissinger on his vist to China  to reestablish diplomatic relations  in the early 1970s. One source writes of the mushroom: "It has a fine and tender texture, fragrance and is attractive, beautiful in shape, fresh and crispy in taste." The dried fungus, commonly sold in Asian markes,, is prepared by rehydrating and soaking or simmering in water until tender. Sometimes used in stir-frys  s, it is traditionally used as a component of rich chicken soups. The rehydrated mushroom can also be stuffed and hallus indusiatus - Wikipedia, the free encyclopedia Traduzir esta página..



ARRANCADOS À TERRA DESDE TEMPOS IMEMORIAIS 

"O uso de cogumelos como alimento provavelmente remonta à origem da humanidade, ou talvez até antes, pois diversos animais, inclusive vários antropóides já foram registrados alimentando-se de fungos. O uso dos cogumelos alucinógenos sistematicamente vem provavelmente dos primórdios da humanidade, mas de acordo com o que se tem de estudos feitos, pelo menos há 10.000 anos já se fazia tal uso deles, comprovadamente, e acredita-se que o Xamanismo, a tradição de cura e contato com o divino da qual eles fazem parte, tenha pelo menos de 20.000 a 30.000 anos.

Quanto a estes fungos dotados de propriedades alucinogênicas, cabe dizer que a descoberta de populações ainda praticantes de cultos fúngicos, existentes no México desde época anterior à conquista pelos espanhóis abriu novo e amplo setor nas pesquisas científicas de caráter micológico, arqueológico, fisiológico, etnológico, químico e terapêutico. Foi verificada, no sul do México, a persistência de ritos, cujo culto teria por finalidade a veneração sob a ação dos cogumelos sagrados capazes de transmitir o poder divinatório. Foram recolhidos e cultivados em laboratórios uma série de fungos e, após a obtenção de culturas semi-industriais dos referidos fungos, foi possível o isolamento dos seus alcalóides, pertencentes ao grupo das substâncias indólicas, a psilocibina e a psilocina, cuja atividade foi verificada experimentalmente e cuja síntese foi obtida pelos químicos. Tais substâncias, experimentadas em doentes mentais e em indivíduos sãos, permitiram

(..) O objetivo de todas estas culturas é o mesmo em todos os lugares: atingir um estado de consciência que permita contato com os seus deuses e/ou espíritos auxiliares. – Excerto de Psy - GEOCITIES.ws"

Jorge Trabulo Marques
Jornalista
PÚBLICO - O Côa, que é descrito como “um santuário de arte rupestre”, nota Joana Marques, revelou-se também “um santuário para os líquenes”.As gravuras ou os líquenes? Felizmente, no Côa não é preciso escolher