expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

domingo, 20 de janeiro de 2013

António Barreto. “Este governo é cobarde” - Porque se escuda no FMI - . Mas que grande novidade, Sr. Barreto: o que lhe deu agora para fazer de contas que muda o disco?- Espera que Cavaco o nomei para o governo de salvação nacional?!..


António Barreto! Este Governo é cobarde?!-  O que ao deu ao "Barrete" para mudar o disco, assim tão depressa? "Do ponto de vista substantivo, as propostas do FMI são até pobrinhas" - "Tem-se a impressão de que o FMI é uma entidade exterior, tipo KGB ou Gestapo, que vem aí dar cabo de tudo". - Bocas do Presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos, da Jerónimo Martins, que se escapou  para Holanda, por razões já conhecidas

O QUE PASSOU PELA CABEÇA DE BARRETO PARA ACUSAR O ACTUAL GOVERNO DE COBARDE? -

 ELE  QUE FOI UM DOS  SEUS PROMOTORES?   -  SENDO CERTO E SABIDO  QUE É UM DOS GRANDES COMILÕES QUE VIVE À SOMBRA DA ÁRVORE DAS PATACAS DA JERÓNIMO MARTINS.

António Barreto. “Este governo é cobarde”  - Porque se escuda no FMI - . Mas que grande novidade, Sr. Barreto: o que lhe deu agora  para fazer de contas que muda o disco?- Espera que Cavaco o nomeie para o governo de salvação nacional?!.. Ou num afiar de navalhas para o governo socialista que há-de voltar?

Capa de manchete do  jornal I, neste fim de semana,  que o recebeu “calmamente, no meio da azáfama da mudança da fundação a que preside, a Fundação Francisco Manuel dos Santos, do andar que ocupava na Torre 3 das Amoreiras, em Lisboa, para um edifício quase em frente, da Unilever, do grupo Jerónimo Martins. Deita os políticos por terra e diz que se está a escarafunchar na ferida.

Quais são os seus votos para 2013?

Que haja uma alteração importante no modo como as autoridades, as forças políticas, as forças sociais, a população e os jornais encaram a discussão dos nossos problemas políticos, económicos e financeiros. Estou muito desconsolado e muito desgostoso pela maneira como as coisas estão a correr.

E como estão a correr?

O governo informa pouco e mal, a oposição quer saber pouco e mal, o tom geral da discussão é calunioso e boçal, as pessoas acusam-se umas às outras, nunca por menos de mentiroso, bandido, criminoso, aldrabão, intrujão… As coisas que se dizem no parlamento, as coisas que se dizem na televisão, as coisas que se dizem nos jornais tornam impossível qualquer espécie de discussão racional. Eu não sou dado a consensos, mas alguns são precisos ou não se vai a sítio algum.”

COMO ESTE TROCA-TINTAS SE CONTRADIZ - Ele que, ainda há dias, considerou as propostas do FMI pobrezinhas" – Agora já vem dizer que “continuarão a chegar relatórios do Fundo Monetário Internacional e mais medidas em que o objectivo essencial parece ser continuar a esfolar, a esfolar, a esfolar”

 

BARRETO NÃO QUER REVOLUÇÃO MAS EVOLUÇÃO NA CONTINUIDADE DO LIBERALISMO SELVAGEM QUE TEM NO FMI OS SEUS MAIS LÍDIMOS REPRESENTANTES DA GATUNAGEM INTERNACIONAL

 Respondendo à pergunta de que,“Recentemente Mário Soares” apelara  “à revolução. É disso que fala?

Eu não quero que haja uma revolução, eu não espero que haja uma revolução, considero que se houver uma revolução é negativo para o país, é negativo para a população, é negativo para a liberdade, é negativo para a democracia e é negativo para os direitos individuais. Limito- -me a recear que, se esta miopia das forças políticas continuar, se a ignorância do que são as condições necessárias para resolver os nossos problemas, esta incapacidade ou impossibilidade de entendimentos mais sólidos e mais profundos entre várias forças continuar. Continuarão a esticar a corda, continuarão a chegar relatórios do Fundo Monetário Internacional e mais medidas em que o objectivo essencial parece ser continuar a esfolar, a esfolar, a esfolar… E um dia acontece o mal. Um dia dá para o torto.

 (...)Como viu o relatório do FMI?

Devo dizer que é, em numerosos parágrafos, absolutamente justo, porque revela ou sublinha o que muitas pessoas sabem mas não querem dizer em público. Aliás, há muitas coisas que é o próprio governo que diz, mas faz com que seja o Fundo Monetário Internacional a dizer para não ter de ser o governo a fazê-lo. O que é ridículo, é de um altíssimo grau de cobardia.

 (...) Este governo é cobarde?

Acho que sim. Neste caso acho que sim, é um governo cobarde. O governo toma as medidas que tem de tomar, muitas delas terríveis e algumas justas, ainda por cima, e toma-as de supetão, manda para a rua, como quem atira pedras, bumba! Têm tido coragem para tomar medidas, mas era muito mais corajoso tornar as coisas públicas antes, discutir e envolver os parceiros sociais. Isso era coragem. - Excertos do Jornal IAntónio Barreto. “Este governo é cobarde” |

ANTÓNIO BARRETO – OUTRA FIGURA TÍPICA DE UM CERTO INTELECTUALISMO OPORTUNISTA  TIPO VERBO DE ENXER

António Miguel de Morais Taborda Barreto é filho de gente fina - O típico portugua transfuga  que corre atrás dos dos bons tachos, tal como o perdigueiro atrás das perdizes, que nunca deixa de estar à crista da vaga  - Se há figura mais cínica e hipócrita - elevado à categoria de cátedrá - dá por nome  de António Barreto - Já militou no Partido Comunista, aderiu  mais tarde ao Partido Socialista, apoiou o projecto da AD (Aliança Democrática) de Francisco Sá Carneiro, em 1978-85 apoiou Mário Soares no MASP, regressou ao Parlamento como deputado do PS, de 87-91. Afastou-se definitivamente do Partido na década de 1990 - Passou a apoiar o Cavaquismo - Tendo sido um dos subscritores do manifesto “Um compromisso nacional” -Foi nomeado para  para presidente da ComissãoOrganizadora das Comemorações do 10 de Junho 2011., ...a António Barreto e António Lobo Xavier, dois dos subscritores do manifesto “Um compromisso nacional”, já assinado por mais de uma centena de personalidadesCavaco Silva recebe hoje António Barreto e Lobo Xavier

Foto -  No tempo em que ele era outro e sorria para a fotografia, qual inocente criatura à espera que o Diabo o levasse para o seu limbo, antes que ele lhe invadisse o   Inferno

ANTÓNIO BARRETO - UM DOS PRIMEIROS EX-COMUNISTAS A TRAIR A REFORMA AGRÁRIA
 
 António Barreto, enquanto ministro da Agricultura e Pescas, no I Governo constitucional, foi o autor da famigerada lei Barreto, que devolveu aos grandes agrários as Unidades Colectivas de Produção, que rapidamente as transformaram em meras coutadas de caça, sem qualquer interesse perodutivo, que não fosse o pretexto de encherem os bolsos com milhões (perdulariamente gastos em jipes e noutras extravagancias ) dos fundos da Comunidade Europeia, graciosamente doados nos Governos de Cavaco silva.

Um tal sociólogo António Barreto, que  afirmou que a demissão do Governo de Sócrates foi um "golpe" do primeiro-ministro José Sócrates para provocar eleições e vitimizar-se, aumentando as dificuldades para Portugal se financiar nos mercados. (...) O presidente da Fundação Francisco Manuel dos Santos acusou ainda José Sócrates de "caluniar" as entidades internacionais "a quem pede ajuda" e de "caluniar os credores" depois de pedir empréstimos.António Barreto: Demissão do Governo foi um "golpe" de Sócrates .

"SOMOS BARRULHENTOS, IGNORANTES E MANIPULÁVEIS" DIZ O BIZARRO BARRETO- AO CONSIDERAR QUE AS PROPOSTAS DO  RELATÓRIO DO FMI, ATÉ SÃO POBREZINHAS" - A ele não lhe faz mossa, porque lá está o Alexandre dos Santos do Pingo Doce a encher-lhe a pança para coçar a barbicha, tal como o macaco coça a nádega.

Eu diria que, António Barreto - ilustrado manipulador frustrado -,  faz parte dos Barulhentos, aos quais nunca falta megafoone  para espalhar a mensagem do mais puro e acintoso vinagre.

   Declarou ao Dinheiro Vivo (DN)  12/01/2013  que " Os elogios que podemos fazer ao relatório do FMI, apesar dos erros e das asneiras, têm mais que ver com a superficialidade que caracteriza o debate político português do que com a qualidade científica do que vem lá escrito. Na verdade, do ponto de vista substantivo, as propostas do FMI são até pobrinhas. O que espanta os portugueses neste relatório é a novidade de serem finalmente conhecidos indicadores internacionais em áreas-chave da governação, o que permite ao país avaliar-se. Ora bem, a inexistência de mais trabalhos nacionais deste tipo traduz a fraqueza dos partidos, que não produzem pensamento e investigação; a fraqueza das universidades, que cometem o mesmo pecado; e a fraqueza, aliás, inexistência de think-tanks capazes de aprofundar os debates e fazê-los avançar tendo por base dados concretos. A fundação liderada por António Barreto é uma das poucas exceções. Um país sem números é um país que não se conhece; e um país que não se conhece não pode ser medido e gerido. O espanto provocado pelo relatório do FMI é a prova da nossa fragilidade. Coletivamente, somos a Casa dos Segredos: barulhentos, ignorantes, manipuláveis.As cinco chaves da semana - Dinheiro Vivo

 

DIABOLIZAR O FMI? – CRIME DE LESA MAGESTADE

Não entende porque é que a entrada deste organismo em Portugal tem sido diabolizada e defende que o país já devia ter pedido ajuda externa há um ou dois anos
"O FMI é Deus ou o Diabo? Ajudar-nos-á ou levará o País para um problema maior?

Para um problema maior não leva de certeza. É bom dizer que nós pertencemos ao FMI. Tem-se a impressão de que o FMI é uma entidade exterior, tipo KGB ou Gestapo, que vem aí dar cabo de tudo. O FMI também tem interesse que daqui a cinco anos possa reaver os empréstimos feitos."

 
Tendo de recorrer ao FMI, a questão é se o Governo tem a força e legitimidade para aplicar essas receitas.

Sem maioria parlamentar é muito difícil. A não ser que haja um acordo formal interpartidário. 

Acredita ainda nessa hipótese?
Agora já não. Tive esperança há dois anos, mas foi uma verdadeira palhaçada"

António Barreto: «Cavaco Silva devia ter promovido governo de maioria absoluta»António Barreto: «Cavaco Silva devia ter promovido governo de
- E então não está a governar um governo de maioria absoluta? - Ou queria que essa maioria fosse apenas de um partido?

Nenhum comentário: