expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Durão Barroso no fio da navalha: Berlim demarca-se da austeridade e acusa Presidente da Comissão Europeia de incompetência” CRIMINOSOS POLÍTICOS, AGORA SACODEM A ÁGUA DO CAPOTE – Por cá o aluno Vitor Gaspar foi interrompido à gargalhada na apresentação dos Oito séculos de loucura financeira – Silva Lopes (o rico reformado) defende que “não há alternativas ao corte nas pensões”





·   Nada de estranhar, que o mui dedicado e zeloso Durão Barroso, agora seja o alvo da ira ou da frustração dos seus grandes patrões. Meteram-no lá não foi para outra coisa senão para o utilizarem de testa de ferro. Só que é tal a ferrugem provocada pela corrosão das austeridades impostas aos países a quem lançaram as forças dos troikanos, está a virar o feitiço contra o feiticeiro. “ A quebra de procura interna já afeta a Alemanha. A confiança dos investidores alemães caiu em Junho mais do que o esperado pelos” – isto era dito em junho do ano passado” – Agora é bem pior. Alemanha atingida pelas políticas de austeridade - PÚBLICO

BARROSO DEFENDE A PATROA MAS O BOMBO DA FESTA É ELE.

 “Merkel não pode ser culpada por políticas de austeridade” – dizia Barroso, há uns dias, procurando defender a sua patroa – Agora atira-se a ele. No principio do mês, Barro vinha defender  A chanceler alemã, Ângela Merkel, afirmando que “não tem culpa pelas políticas de austeridade impostas na União Europeia, disse o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, no domingo, em uma aparente tentativa de fazer as pazes com Berlim.

Barroso gerou polêmica com a Alemanha no mês passado, ao dizer que a austeridade "tinha atingido os seus limites", em um desafio público para a maior economia da Europa, que há muito tem defendido contenção fiscal. Merkel não pode ser culpada por políticas de austeridade



Barroso  O DELFIM       inspirado pelo Senhor de Boliqueime sabia que tinha uma missão profética a cumprir  - No seu ponto de vista, Portugal era apenas uma folha de alface na salada do grande capital internacional  - Daí ter abandonado o Governo de Portugal, traído o eleitorado que o elegeu, ido apresto e lesto a ocupar a lacuna onde o chamavam altos desígnios: a presidência da união europeia Sendo, por esse facto,  nas sondagens dos consórcios, já considerado o mais popular entre os mais  populares e influentes líderes do mundo!!!


O MORDOMO NA MIRA DOS RESTANTES MAFIOSOS

Diz o público, em manchete, de hoje, que “Responsáveis alemães criticam austeridade e aumento de impostos, a dupla linguagem de dirigentes da troika e acusam em participar a comissão europeia de incompetência e rigidez”

ATÉ OS CATÓLICOS APOSTÓLICOS DE BERLIM – TÃO LEAIS AO CAPITALISMO SELVAGEM – JÁ SE ARVORAM EM JUSTICEIROS

“O Movimento Católico de Trabalhadores da Alemanha (KAB) emitiu um comunicado “a favor da justiça e da solidariedade na Europa”  (..) “A política de austeridade na Europa levou a uma situação que já não é aceitável do ponto de vista jurídico, porque vai contra a dignidade humana”, realça a organização, em comunicado enviado hoje à agência Ecclesia.Trabalhadores católicos alemães criticam "política de austeridade

GARGALHADAS PRÓ GASPAR

O agraciado Relvas já foi de froxe – Administrador de várias empresas angolanas,  já tem muito em que se ocupar. Mas anda ainda por aí um tal vitinhos, de palavra mansa, que não tarda a levar o mesmo caminho Referem as noticias que “O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, foi na tarde desta quarta-feira interrompido por cerca de duas dezenas de pessoas de falar na apresentação de um livro em Lisboa.
Os manifestantes gritaram “Demissão!” e interromperam Gaspar na apresentação da obra Desta vez é diferente. Oito séculos de loucura financeira, de Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff, economistas que conceberam o polémico estudam sobre o impacto da dívida pública no  crescimento económico. Gargalhadas e protestos interrompem Gaspar em apresentação de livro

 A HIPOCRISIA DE UM RICO REFORMADO CHAMADO SILVA LOPES – A CLAMAR QUE A “GERAÇÃO GRISALHA” NÃO PODE ASFIXIAR A GERAÇÃO À RASCA

O antigo ministro das Finanças Silva Lopes defende as taxas sobre as pensões que o Governo quer aplicar em alternativa às medidas chumbadas pelo Tribunal Constitucional, justificando que “não há outro remédio”.

“A geração grisalha não pode asfixiar a geração nova da maneira como tem feito até aqui", afirma antigo ministro das Finanças.

O mesmo que “Em Abril este antigo ministro das Finanças tinha considerado que os cortes na despesa, para compensar a receita que se perdeu com o chumbo do Tribunal Constitucional, serão feitos "à bruta". Silva Lopes disse na altura, também à Rádio Renascença, que "a decisão do Tribunal Constitucional vai custar-nos muito, muito caro".Silva Lopes defende que não há alternativas ao corte nas pensões

Nenhum comentário: