expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 19 de abril de 2014

Foz Côa – Procissão e Auto da Paixão de Cristo reúne centenas de fiéis






Hoje, Sábado de Aleluia, é considerado, pela liturgia católica, o dia da Ressurreição de Jesus Cristo – Ontem, Sexta-Feira Santa,  o dia em que o mundo católico recorda  o julgamento, a paixão, crucificação, morte e sepultura de Jesus Cristo, através de diversos atos religiosos – Vila Nova de Foz Côa, onde a população é maioritariamente católica, manteve a tradição – Eram dez horas da noite quando a procissão, presidida pelo padre António Ferraz, saía da Igreja Matriz para evocar o Auto da Paixão de Cristo em alguns pontos da cidade.

Passos mais ou menos cadenciados, orações e cânticos, sons de banda filarmónica  entrecortados por   silêncios  ou algumas palavras furtivas, emprestaram ao ato momentos de impressionante pendor religioso e místico.


v



video

A tradição já não é como antigamente. Os sinos deixavam de tocar e os únicos sons que se ouviam eram o das matracas.  E também já lá vai o tempo dos  longos jejuns  e da abstinência de carne, salvo quem comprasse as bulas. Hoje a procissão é acompanhada por uma banda filarmónica,  a de Freixo de Numão, por sinal a única no concelho, mas nem por isso deixa de continuar a ser um ritual que apela  - mesmo para quem não professe o catolicismo – para os sentimentos mais profundos sobre a  meditação dos mistérios da vida e da morte.




2 comentários:

Anônimo disse...

Bom trabalho. Uma maneira de divulgar as tradições e crenças das gentes de Foz Côa e levar a tanta gente o que se vai fazendo. É de louvar o interesse e trabalho realizado, nesta e noutras áreas. É de continuar.

Peregrino da Luz disse...

Muito obrigado pelas palavras amigas - Foz Côa, terra natal do meu avô materno e sede do meu concelho,está intrinsecamente no meu coração, nas minhas veias e no meus sentir. Dentro do possível, farei tudo para divulgar os seus valores culturais - desde o património arqueológico e construído, histórico, religioso e suas gentes.