expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Despedimento coletivo - Diário de Noticias: a queda de um mito - De uma assentada 140 para o olho da rua - DN, JN, TSF, NM e Jogo– “ violento ataque à democracia e ao pluralismo”, acusam organizações sindicais que convocam vigílias para dia 7 – Com Proença de Carvalho, na administração – o maior censor de todos os tempos na RTP - nem era de esperar menor afronta - Resta o desemprego ou a emigração

 NÃO IGNORE - É A DEMOCRACIA QUE ESTÁ EM JOGO - A LIBERDADE DE EXPRESSÃO AMORDAÇADA - VEJA AQUI O PERFIL DOS NOVOS PATRÕES DA CONTROLINVESTE - E se acha que lhe merecem confiança




(ATUALIZAÇÃO) Maria Augusta Silva – Ex-Jornalista do DN –  Reformada mas solidária  - 30 anos de carreira – Diz que “estamos a viver sombras dramáticas “, sublinhando que “se tivermos um jornalismo cada vez mais enfraquecido, cada vez mais empobrecido,  concretamente que teremos também uma sociedade cada vez mais empobrecida, considerando ser o momento  de darmos o nosso grito só de  solidariedade mas também o grito de revolta . Mais pormenores em http://www.vida-e-tempos.com/2014/07/drama-de-140-trabalhadores-da.html IMPRENSA FECHOU OS OLHOS E PRATICAMENTE IGNOROU - DN .FEZ DE CONTAS QUE O MAL NÃO LHE BATIA A PORTA E NEM FEZ NOTICIA - TELEVISÕES ESTIVARAM LÁ TALVEZ UNICAMENTE PARA REGISTO DA CASA  

 
(atualização) «Os trabalhadores do grupo de comunicação social Controlinveste, que detém títulos como o «Diário de Notícias», o «Jornal de Notícias» ou a TSF, estão esta sexta-feira, em greve, contra o despedimento coletivo de 140 funcionários do grupo, entre os quais 64 são jornalistas.
 
PROTEGEM-SE UNS AOS OUTROS E ATÉ VÃO BUSCAR CONSELHEIROS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA  PARA COMANDAR AS SUAS HOSTES Vítor Bento une BES, agrada ao mercado ... BCP e BES garantem Mosquito e Montez na Controlinveste |..Genro de Cavaco renegociou dívida com o BPN - Portugal - DN.... Montez: "não faço parte de nenhum grupo de Media" (e então a dúzia de rádios da Lusocanal?) "mas tenho capacidade e crédito na banca -20040815   Pudera!


QUEM NÃO É PROTEGIDO É O QUE VERGA A MOLA - É CHUTADO COMO QUEM JOGA FUTEBOL

"Pela liberdade e pela democracia: Petição Pública A democracia faz-se com uma comunicação social livre. A liberdade constrói-se com uma comunicação social plural. Quarenta anos depois do 25 de Abril, num momento em que a crise social e económica atinge com inusitada violência os portugueses, não é possível aceitar de braços cruzados que a Controlinveste desfira mais um golpe”. Pela liberdade e pela democracia : Petição Pública



Montez nega compra da Controlinveste -Escândalo100 milhões de perdão a Joaquim Oliveira09/06/2013 - A BANCA DEPOIS QUEIXA-SE QUE TÊM PREJUÍZOS E ESTENDE A MÃO AO ESTADO  Banca dá perdão a grupo de Oliveira 




O conselho de administração da Controlinveste é presidido por Daniel Proença de Carvalho" (mandatário de Cavaco Silva) "desde a recente recomposição acionista que integrou no capital da empresa os empresários António Mosquito (27,5%) e Luiz Montez (15%), além dos bancos BCP e BES (ambos com 15%). O anterior proprietário, Joaquim Oliveira, passou a deter 27,5%. Controlinveste: Estrutura sindical dos jornalistas lança petiçao contra despedimentos.

Agora era impossível este  e outros artigos:no DN Concentração dos media "é ameaça à liberdade" - dn - DN   --  

 Oferecidos os dois jornais de referência - através de uma banca promíscua e parasitária  - e a principal rádio da informação em Portugal a quem já dispõe de uma dúzia de rádios, já fez censura a jornalistas, paga-lhes mal e já lhe caiu nos braços, quase de borla, o emblemático Pavilhão Atlântico - "

  Apesar das dívidas em tribunal, a várias empresas- Fisco executa Montez - Economia Isto porque está casado com a filha de Cavaco Silva, que tem uma reforma miserável mas que foi sempre muito poupado  - Presidente da República Portuguesa? - Já nem do seu próprio Partido --Qual o verdadeiro social-democrata que se revê no liberalismo selvagem destes campeões?  Melhor dizendo: Presidente e mestre-de-cerimónias dos seus amigos e da sua família - Onde é que se viu esta promiscuidade descarada  e falta de pudor? Em África e nalguns países da América latina

NÃO SE TRATA DE UMA CRITICA POLÍTICA MAS DE DENÚNCIA DE GENTE QUE SE SERVE DA POLÍCA COMO SE OS BENS PÚBLICOS LHE PERTENCESSEM

SOMOS JORNALISTA - E JÁ FOMOS VITIMA DO DESPEDIMENTO COLETIVO DA EX RDP-RÁDIO COMERCIAL - Dada ao Barbosa do Correio da Manhã, no último Governo de Cavaco Silva . Quem era militante pró-Cavaco, foi acuatelado - Transferido para a RDP; os outros, descaradamente chutados e mandados pró desemprego. Cem vezes piores que no regime de Salazar.

 












 PROTESTO JUSTO

Organizações representativas dos trabalhadores do (Grupo Controlinveste), classificam de brutal o despedimento de 140 trabalhadores, entre os quais 64 jornalistas – Dizem que é um ataque ao pluralismo informativo e  à Democracia e apelam    à participação dos jornalistas, trabalhadores do sector da comunicação social, das associações culturais e cívicas, do movimento sindical para se solidarizarem com a vigília, marcada para o dia  7 às 18.30, Junto ao Edifício “Diário de Notícias”, na   Avenida da Liberdade, ao Marquês, e no Porto,  Junto ao Edifício “Jornal de Notícias”, Rua de Gonçalo Cristóvão
DN - A QUEDA DE UM MITO

O Diário de Notícias ao completar 150 anos da sua fundação despede numa penada largas dezenas   de profissionais - Como é que alguém pode confiar em jornais, quando são eles os  primeiros a promoverem a insegurança e a injustiça social, a precaridade no trabalho: a despedirem os seus trabalhadores, como quem deita os papéis para o cesto do lixo

De facto, o momento é de tragédia no famoso diário que muitas vezes se mostrou pojante e corajoso mas que acaba por ser devorado pela ferocidade mercantilista.

Conheceu perseguições politicas internas tais como as dos anos 70  com os 23 despedimentos ordenados pelo nosso Prémio Nobel e agora, dizem que  por motivos economicistas serão dispensados


TRABALHO PRECÁRIO E PURGAS PARA UMA INFORMAÇÃO MAIS DOMESTICADA
Os  media, em Portugal, não se destinam a fazer uma informação rigorosa e isenta, nem a dar lucro mas tão somente a servir de alavanca política, aliás, como em todos os países capitalistas  – Até porque,  as sobras das tiragens têm sido pagas pela PT, EDP,  banca e outras empresas, a quem os media servem  os seus desígnios, tal como ainda, recentemente, foi afirmado numa conferencia que decorreu no Palácio Foz, sobre a liberdade de expressão
Claro que quem paga a fatura da publicidade encomendada, da instrumentalização propiciada, não  são as empresas mas os  clientes: não  é por acaso que temos a eletricidade mais cara da Europa, que a Caixa Geral de Depósitos  apresenta milhões de prejuzo, que o Estado vai ter que cobrir, aliás, tal como os esbanjamentos de outros bancos e empresas  - No fundo,  pagam os cidadãos duas vezes: quando recorrem aos seus serviços e através  dos  seus impostos - Tudo isto apenas em benefício de uns quantos, em detrimento do grosso da população.

António Mosquito e Luís Montez entram no capital .

 

A velha rábula do costume: a do economicismo   de que  “A evolução negativa do mercado do mercado dos media, tanto em Portugal como na Europa, e a acentuada quebra de receitas do setor impõem à Controinveste Conteúdos uma decisão estratégica de redução de custos para garantir a sustentabilidade do nosso negócio”, justifica ao conselho de administração do grupo – Quando compraram a empresa, não sabiam o que iam comprar? - E até quem iam tramar.  

PROENÇA  DE CARVALHO - O  HOMEM FORTE DA CONTROLINVESTE -  O GESTOR DO  DINHEIRO QUE FAZ FALTA AO POVO ANGOLANO QUE ATRAVESSA AS PIORES PRIVAÇÕES E MORRE DE FOME MAS TAMBÉM  NÃO SÃO ESSES MILHÕES ESBANJADOS QUE ENGORDAM OS QUE POR CÁ DÃO O MELHOR DO SEU SACRIFICIO E ESFORÇO - MAS OS PROENÇAS E OUTROS  PRIVILEGIADOS.

VIGÍLIAS DIA 7 DE JUNHO, ÀS 18.30

 
Aquele que foi o mandatário nacional da candidatura presidencial de Cavaco Silva, em 1996, é também agora o administrador da confiança da rádio e dos  jornais em que o  genro é um dos principais acionistas - Que já é detentor da maior cadeia de rádios em Portugal, o Grupo Luso Canal.E também o principal dono do Pavilhão Atlântico vendido por 21,2 milhões por menos de 1/3 do dinheiro que o Estado ali gastou


Aí  temos  o Proença de proa de ferro em riste a fazer  a dobradinha  - para a estocada final dos dois  jornais portugueses mais antigos - com  um tal Joaquim Oliveira, depois deste ter liquidado o Tal & Qual e 24 Horas , lançando, sem dó nem pieade, o  primeiro despedimento coletivo com a dispensa de 119 trabalhadores (60% de jornalistas)», a que se seguiu o encerramento, em junho de 2010, do diário "24 Horas" e do gratuito "Global".  

António Mosquito recebe hoje luz verde para dominar a Soares… Grupo que detém o DN, JN e TSF negociado com fundo angolano ....... Controlinveste vendida em bloco a fundo angolano |… Controlinveste passa a ser detida por angolanos e pode despedir .. Quem é o empresário angolano António Mosquito? - Empresas 


ESTAS MANCHETES DIFICILMENTE VOLTARÃO A VER-SE - SÓ SE FOR COM GOVERNO DE OUTRA COR POLÍTICA

Gente perigosa  e sem escrúpulos, que já deu sobejas mostras da sua incompetência e dos seus desígnios. Sim, o que é que os leitores poderão esperar destes franco atiradores, deste mercenarismo encapotado, cujo único objetivo que os move nos media, é tão só a promoção do seu penacho e da gula dos  políticos de que  servem de tapete aos seus interesses e aos dos seus amigos e familiares mais próximos.

MAIS UM CANDIDATO A DESTRONAR A ISABELINHA ANGOLANA? A  excelentíssima empresária .

 

Conhecemos pessoalmente, Luis Montez - desde os anos 80. A impressão que nos deixou é a de que é afável, comunicativo e trabalhador - E acreditamos que, no meio empresarial da rádio e da música, deva ser das pessoas mais qualificadas e com mais experiência profissional.  Já não diremos o mesmo da sua experiência nos jornais. E, pelos vistos, dinheiro e crédito não lhe falta - Aliás, dessas facilidades, ele próprio se gaba publicamente. Até porque há sempre um conselheiro de Cavaco Silva a unir os padrinhos

Eu não faço política e o meu sogro não faz concertos  MAS FAZEM PARTE DA MESMA FILARMÓNICA - Montez acusado de perseguição e saneamento político (….o episódio terá começado na passada sexta-feira quando o proprietário da estação, Luís Montez, lhe telefonou para saber quem iria ser o próximo convidado do programa dominical de entrevistas "Voz do Norte" – pormenores em CASO MARCELO À MODA DO PORTO

  
A questão não é ser bom ou mau empresário -   É a falta do pudor, a dos privilégios que Montez  goza e outros como ele e não deviam gozar, que ferem e chocam o cidadão comum.  - Ou então  que, os  sogros, os padrinhos, pais, tios, compadres ou comadres, tenham a humildade de se afastarem dos altos cargos da Nação e compitam em pé de igualdade com  quem até pode concorrer aos mesmos negócios mas não está em desvantagem no bónus do compadrio político.   

Pois, quer Montez  diga que não é político e  que o seu sogro não sabe de espetáculos, ambos estão envolvidos na política e nos espetáculos mediáticos das TVs, rádios e jornais. Se assim não fosse  não os possuíam. Ou então indicavam administradores que fossem mais técnicos de que políticos ou mais jornalistas de que mandatários. Mas é tal a cegueira e obcessão do controlo manipulador da opinião pública que nem sequer para salvar as aparências,  o fazem.
CONSELHEIROS ACONSELHAM - Fernando Lima, consultor de Cavaco Silva,  considera que "uma informação não domesticada constitui uma ameaça com a qual nem sempre se sabe lidar" e reconhece que a mediatização afecta o trabalho dos governantes. Uma informação não domesticada constitui uma ameaça

 Morais Sarmento (então Ministro da Presidência de Durão Barroso e Santana,) defendeu que “deve ser o Governo a definir o modelo de programação da RTP, porque é o Executivo que responde pelas decisões praticadas na televisão pública” Frisando que “não são os jornalistas nem as administrações que vão responder perante os eleitores pela informação ou pela programação da estação pública

JOAQUIM OLIVEIRA EXTINGUIU DOIS JORNAIS E  DESCARACTERIZOU O DN E JN , ABANDONANDO-OS À MERCÊ DA COBIÇA DE  PUBLICIDADE POSTITUTA E ENGANOSA 

É IMPERIOSO  QUE UM JORNAL PARA SOBREVIVER, TENHA DE PROSTITUIR-SE - E DE FORMA TÃO DESCARADA NAS SUAS PÁGINAS CENTRAIS? 
Esta era a questão que colocámos noutro post deste site - O Diário de Noticias, de hoje, traz em título da  primeira página, entre outras questões, a da pornografia –- Como a pornografia invadiu a cultura - O tema é recorrente mas não o cerne da questão. Pois, o titulo mais apropriado, talvez fosse   o de se saber como é que a pornografia-prostituta, invadiu as páginas do jornais de referência - Fatura o jornal e fatura quem vende o corpo. Perde quem é enganado e corre o risco de  levar com doença venérea ou coisa ainda mais séria - E ficar de bolsos vazios. Mas esse é um problema que cada cidadão deve assumir. Que não sejam  os jornais, que o leitor espera  minimamente rigorosos, apresentados como respeitáveis, venham depois a promover a promiscuidade, a constituírem-se como autêntico embuste ou logro - De mercadores de carne humana.

 A mulher mais poderosa de Portugal é angolana

ANTÓNIO MOSQUITO OU O ANTÓNIO PASSARÃO?

Também ele já deu mostras de ser um péssimo gestor – E mantém-se na elite mais pelas amizades que o ligam ao regime do seu amigo Eduardo dos Santos, do que pelo seu mérito.
"O Grupo António Mosquito perdeu nos últimos 5 anos cerca de 100 milhões de dólares e pode estar à beira da falência. De acordo com o Jornal o Independente que veiculou a informação, quando se ficou a saber que António Mosquito Mbakssy tinha entrado para o negócio do petróleo, nada fazia prever que haveria de perder 100 milhões de dólares que o deixaria em dificuldades financeirasMbakassy à caminho da falência?


NÃO SE SAFOU NO PETRÓLEO MAS O JOSÉ DOS SANTOS DEU-LHE UMA MINA DE DIAMANTES -QUEM NÃO SE SAFA SÃO OS MILHARES DE CRIANÇAS A MORREREM DE FOME E POR FALTA DE ASSISTÊNCIA MÉDICA

 A “paixão” do Mosquito é, porém, pelo sector mineiro – diamantes em especial. A inclinação foi conhecida há cerca de 15 anos, quando ante uma hipótese de alienação da participação da SPE-Sociedade Portuguesa de Empreendimentos na SML-Sociedade Mineira do Lucapa se apresentou como candidato ao negócio. – Mais pormenores das suas façanhas e António Mosquito « Pitigrili


Enquanto esses gananciosos  estoiram milhões em jornais (entre outras jogadas) para se promoverem e pavonearem a sua vaidade, branquearem a acção dos governantes que lhe servem de guarda-chuva aos seus negócios, quer em Angola quer em Portugal, silenciando vozes incómodas - Obviamente que o futuro do cavaquismo joga-se também em Angola: quando o regime de José Eduardo dos Santos, cair  ou for derrubado, é suposto que, por cá, os seus maiores amigos,  também levem a  machadada


SINDICATO DOS JORNALISTAS  CHEGOU A PEDIR INSPEÇÃO À RÁDIO CAPITAL - E QUEM É O PATRÃO DA CAPITAL? ... UM DOS QUE AGORA CONTROLA A TSF DA CONTROLINVESTE  SJ pede inspecção na Rádio Capital - Sindicato dos Jornalistas


“Vai comprar a rádio TSF?” -   Do que ouvi, o sr. Joaquim Oliveira não vai alienar nenhum activo. Mas se mudar de ideias estarei disponível para falar com ele" Luis Montez

"Quem não gostaria de ter uma rádio como a TSF?" - dn - DN



"Um insuspeito empresário do meio, Luís Montez, fez a análise do mercado: falta um semanário de esquerda. Se a comunicação social se regesse pelas regras frias do lucro, estaríamos perante um contra-senso Arrastão: Prejuízo com - Set. 2006




   















 


 PURGA SELETIVA NOS JORNAIS SOB CONTROLO DE LUIS MONTEZ E DO ANGOLANO ANTÓNIO MOSQUITO    - DESPEDE DE UMA ASSENTADA 140 TRABLHADORES, 64 DOS QUAIS JORNALISTAS

O grupo de comunicação social Controlinveste, detentor do Jornal de Notícias, Diário de Notícias, TSF, O Jogo, Notícias Magazine”  e Global Imagens anunciou que vai despedir 140 trabalhadores e negociar a saída de mais 20 – 
Cavaco vetou a lei do pluralismo e da não concentração dos meios de comunicação social, aprovada na Assembleia da República -Cavaco Silva veta lei do pluralismo e da não concentração dos ... Alegando não haver motivo que justifique a urgência na publicação de um diploma desta natureza e deste alcance. Pudera! Claro: unicamente para proteger os interesses dos grupos económicos que o elegeram e voltaram   a eleger - E até os do próprio genro, Luís Montez – tal como ressalta à vista , que, com o irmão, detêm mais de uma dezena de canais de rádios.


POR QUE RAZÃO  CAVACO SILVA  AGORA NAO FAZ O MESMO? 

Cavaco: PT deve explicar negócio com Media Capital - TV & Media - DN«Face às dúvidas fortes que neste momento estão instaladas na sociedade portuguesa, é importante que os responsáveis da empresa de telecomunicações expliquem aos portugueses o que está a acontecer entre a PT e a TVI. É uma questão de transparência», disse Cavaco Silva -Recordando que em princípio não faz «declarações públicas sobre negócios das empresas», Cavaco Silva entendeu que neste caso deve «abrir uma excepção», «pela natureza do sector que está causa e pela importância nacional da empresa de telecomunicações»

O Presidente da República recordou já ter «tido a ocasião de dizer publicamente que uma das lições mais importantes que se deve tirar desta crise económica e financeira que se vive é a de que deve existir transparência e ética nos negócios».

TUDO DECIDIDO DESDE SETEMBRO DO ANO PASSADO - Empresário angolano representa Carlos Dias, da Sonangol, e Manuel Vicente, actual vice-presidente. Ricardo Salgado escolheu Luís Montez

A reestruturação da Controlinveste, proprietária do "Diário de Notícias", "Jornal de Notícias", "Jogo" e da rádio TSF, passa pela entrada no capital do grupo dos bancos BCP e BES, principais credores, do empresário angolano António Mosquito e de Luís Montez, dono de várias rádios e accionista do grupo que comprou recentemente ao Estado o Pavilhão Atlântico.BCP e BES garantem Mosquito e Montez na Controlinveste |

 











ADMINISTRADOR DA CONTROLINVESTE, PROENÇA DE CARVALHO – O MAIOR CENSOR DA RTP DE  TODOS OS TEMPOS – Considera indispensável o saneamento de quem não lhe ofereça confiança política – Isto porque, as  medidas, “embora dolorosas”, não lhe afetam o seu ego ganancioso nem o seu chorudo  ordenado.

O presidente do conselho de administração do grupo Controlinveste Conteúdos, Daniel Proença de Carvalho, afirmou  que "as medidas agora anunciadas, embora dolorosas, são indispensáveis para que o grupo possa crescer sustentadamente no futuro próximo Proença de Carvalho afirma que despedimentos na .

PROENÇA DE CARVALHO - OUTRO VIRA COLETES "Após o 25 de Abril, aderiu ao PS, assumiu a direção do Jornal Novo, em Novembro de 1975. Em 1978 é nomeado Ministro da Comunicação Social do IV Governo Constitucional, de Carlos Alberto da Mota Pinto. Em 1979 torna-se presidente do Conselho de Administração da Radiotelevisão Portuguesa. Afastado do PS, dirigiu a campanha de Diogo Freitas do Amaral para Presidente da República, em 1986, e foi mandatário nacional da candidatura presidencial de Cavaco Silva, em 1996".


PODER ECONÓMICO NÃO OLHA A MEIOS PARA ATINGIR OS SEUS OBJETIVOS


Como é do conhecimento público,  O grupo Controlinveste, que detém o Diário de Notícias, o Jornal de Notícias, O Jogo e a TSF foi vendido a um fundo de capital de risco, liderado pelo empresário angolano António Mosquito, que passou a deter mais de 50% do capital da  Controlinveste. (...)

 Nessa altura, adiantava também o jornal i, que os novos donos do grupo de comunicação social ponderavam  a saída de 200 trabalhadores. Prevendo que a criação do fundo pudesse  ainda implicar a venda de activos como o Jornal de Notícias, O Jogo e a TSF, para amortizar a dívida -  Quanto ao DN, será alvo de uma “profunda reestruturação”. - E aí está, não propriamente uma reestruturação, mas a liquidação daquele que foi um dos principais jornais de referência.

Numa primeira análise, poder-se-á dizer que este matutino  entrou em casa de milhões de portugueses e participou na formatação da opinião publica nem sempre foi  um lídimo defensor da verdade e da justiça e da informação isenta, cabendo – lhe por isso uma importante quota parte na responsabilidade  da construção do futuro deste Pais.

Assim se constata que o que se aguardava e será dominante nos próximos tempos; a defesa da classe politica que domina e estrangula a sociedade portuguesa e das varias correntes dominantes continuará esta  estratégica devastação  .

Não podemos deixar de lamentar o despedimento dos obreiros do jornal e dos sacrifícios que as suas famílias irão enfrentar, mas não será despiciente dizer–se que  alguns dos quais morrem vitimas do veneno que semearam - De se terem vergado ao patrãozinho, que agora os chuta, sem piedade e sem contemplações.


CONCENTRAÇÃO DOS MEDIA UMA AMEAÇA ÀS PRÓPRIAS INSTITUIÇÕES SINDICAIS E SOCIAIS DOS JORNALISTAS. – DEPOIS DA EXTINÇÃO DA CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ABONO DE FAMÍLIA DOS JORNALISTAS – QUALQUER DIA VAI A CASA DA IMPRENSA E O SINDICATO

A Casa da Imprensa e o Sindicato dos jornalistas vive da carolice e do esforço de alguns associados. Os mais novos, a termo precário, quase nem aparecem – Talvez receosos dos fantasmas levantados, contra estas instituições, pela entidade patronal  - Muitos deles só se lembram quando o patrão os chuta ou os pisa – E é pena que a coragem não se sobreponha ao medo.

Foi dito, a última Assembleia Geral da Casa da Imprensa, que, as entradas e saídas de associados, ou por morte ou despedimento, andam ela por ala. Todavia, foi sublinhado que a maioria das saídas é por motivos de emigração.

O primeiro golpe da Casa da Imprensa, começou com o corte dos fundos provenientes da publicidade Entre agosto de 1995 e setembro de 1997, por recomendação da Associação da Imprensa Diária (AID), as empresas proprietárias dos jornais diários boicotaram o adicional, o qual veio a ser extinto em 1998. O decreto-lei que o extinguiu previa no entanto que o cumprimento das obrigações em dívida pudesse ser realizado por troca com publicidade em favor do sistema de Segurança Social, em termos a fixar em protocolo entre o IGFSS e a .AID.
 
Por desinteresse da Associação da Imprensa Diária, este protocolo nunca foi celebrado, mas

em novembro de 2000 a AID reconheceu a dívida e quantificou-a em 2.075.398,69 euros – Excerto Casa da Imprensa contesta Segurança Social em tribunal

SEGUIU-SE A EXTINÇÃO DA CAIXA DOS JORNALISTAS


Publicado a 12/03/2007 "O Sindicato dos Jornalistas (SJ) interpôs no Tribunal Administrativo de Lisboa uma acção administrativa especial contra o Estado português, o Ministério da Saúde e a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, para impugnar os actos administrativos que determinaram o fim do sistema de reembolso das despesas de saúde dos jornalistas Sindicato dos Jornalistas interpõe acção judicial contra o Estado Português 

Sobre a história da Caixa de Previdência e Abono de Família dos Jornalistas
"Uma viagem breve pela história do associativismo dos trabalhadores da imprensa e dos jornalistas mostra que a luta pela protecção da saúde tem mais de um século e que, desde 1924, ano da fundação do Sindicato dos Profissionais da Imprensa de Lisboa, ela tem estado sempre no centro das acções sindicais. Caixa dos Jornalistas - Sindicato dos Jornalistas


LIBERDADE DE EXPRESSÃO CADA DIA MAIS AFUNILADA

A liberdade de imprensa é fundamental numa sociedade democrática - O direito de informar e ser informado está consagrado na nossa constituição. Mas o seu exercício é que nem sempre é desempenhado da forma mais isenta e rigorosa - E o preocupante é que cada vez mais tenda agravar-se: prestando-se à manipulação da opinião pública e a uma informação instrumentalizada e distorcida. As linhas editoriais são traçadas pelos donos dos media e as pressões dos editores sobre os jornalistas são indisfarçáveis.

Um estudo publicado nas conclusões, teses e documentos do 3º Congresso dos jornalistas portugueses, revelava que “mais de 90% dos jornalistas se sentiu ou sente pressionado no seu trabalho”.

"É uma conclusão pouco abonatória, sobretudo se tivermos de reconhecer que as pressões funcionam e alcançam os seus objectivos. E que o poder político ou económico não hesita nos meios de persuasão para garantir uma boa imprensa ou um telejornal reverente e compreensivo” - escreve Dinis de Abreu, autor do referido contributo.




Dificilmente um governo poderá manter-se durante muito tempo no poder se não tiver uma certa base de apoio junto da comunicação social. Em Portugal só a direita goza desse privilégio. Teve-o antes do 25 de Abril e voltou assumir o seu controlo absoluto a partir da ascensão do cavaquismo.

Só deste modo se  compreende a permanência dos governos de Cavaco com duas maiorias absolutas. Que dispunham da grande panóplia de apoio dos jornais nacionalizados, os canais da RTP e da RDP . O Grupo Renascença da igreja católica, o Expresso e outros. Com o aparecimento do semanário Independente e dos canais privados de rádio e televisão, e devido à concorrência que então se instalou, as coisas complicaram-se para Cavaco Silva. À terceira eleição não logrou a maioria e não ficou lá mais do que dois anos. Até porque sempre se deu mal com os jornalistas e revela fraco espírito de tolerância com a crítica.


DIVERSIDADE EM XEQUE
A concentração da mídia em Portugal
Por Jack Soifer, do Algarve (Portugal) em 14/12/2004

Só há livre informação, diversidade política, económica e cultural onde a mídia é descentralizada. Quando um grupo económico tem o poder da mídia, usa essa força para dominar mercados e limitar a concorrência, o que aumenta seus lucros. -"Sem plena livre concorrência não há democracia económica. Sem ela não há democracia. A concentração da mídia levou ao centralismo e corporativismo, que levou à limitação da opinião e da democracia, que levou ao nazi-fascismo. O big brother já chegou, com o controle ao terrorismo e escutas telefónicas, mas sem abrir as contas dos políticos e banqueiros de tráfico". - Excerto  A concentração da mídia em Portugal
 


Informação na Internet em Portugal: concentração empresarial e alternativas “

http://argumentumignorantiam.blogspot.com/2007/02/informao-na-internet-em-portugal.html

"A ideia de que a Rede poderia de alguma forma mitigar os efeitos da concentração dos meios de comunicação social, as tendências homogeneizadoras da informação, resultantes dessa mesma concentração, e nivelar algumas das desigualdades sociais no acesso à informação parece estar ainda longe de se ter concretizado."

"A paisagem informativa do espaço digital português é dominada pelos jornais que já têm edições em papel. A esmagadora maioria dos jornais com edições online pertence aos grupos que dominam o campo mediático português: a Impresa, a Cofina, a Controlinvest e a Media Capital. A edição online do jornal Público, alcançando mais de seis vezes a audiência registada pela edição em formato papel, encontra-se na segunda posição do ranking dos sítios de jornais com maior audiência online, sendo apenas batido pelo jornal A Bola."
(….)
"Olhando com atenção o espaço informativo digital, é impossível deixar de reparar no modo como a Igreja vem aproveitando as potencialidades do universo virtual"

O jornalismo em Portugal
por Fernando Correia

A situação actual do jornalismo e dos jornalistas no nosso país é motivo de justificadas preocupações, na sequência de uma evolução que se prolonga e vem agravando desde há vários anos e cujo desenlace não é possível prever.
(…)
CONCENTRAÇÃO DA PROPRIEDADE
"O movimento de concentração da propriedade dos media, iniciado, na sua actual fase, há cerca de uma década e meia no nosso país [1] , é a face mais visível, mais significativa e com maiores repercussões do predomínio do factor económico no campo mediático.- Excertos    O jornalismo em Portugal - Resistir.info
  

A TENDÊNCIA PARA A CONCENTRAÇÃO DOS MEDIA É GLOBAL MAS EM PORTUGAL ULTRAPASSA O ADMISSÍVEL -

 Até 1974, em Portugal só havia a mídia do Estado ou por ele tolerado - escreve Jack Soifer, no Observatório Imprensa http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=307MON001. Dizendo que, “além da Rádio Televisão Portuguesa (RTP), com um canal de rádio geral e um de música clássica, havia a Rádio Renascença, ligada à Igreja; televisão, só do Estado. Uns poucos diários cobriam o Norte, sede no Porto, e Centro, sede em Lisboa. Em cada região havia dois semanários com notícias e eventos locais, sem cunho político nacional ou local. A revolução de 25 de Abril trouxe plena liberdade, politização das massas e uma grande diversidade de jornais e revistas. (…) “Com a entrada de Portugal na União Europeia, em 1986, em pleno neoliberalismo tacheriano, e a troca de um governo de esquerda por outro de direita, retirou-se o subsídio ao papel de imprensa, abriram-se frequências para rádios regionais e até uma TV nacional privada. Alguns diários viraram semanários ou revistas, as potentes rádios (o lobby garantiu não haver exigência de conteúdo nem residência local para os futuros proprietários) passaram para as mãos de uns poucos e a TV comercial (SIC), ainda sem grande capacidade de produção, transmitia à noite, afora o noticiário, todas as novelas da Globo.” 

Actualmente o panorama é realmente preocupante - E os tentáculos dos grandes grupos económicos não param de se estender e de se constituir como uma séria ameaça à própria democracia


 De interesse: Sindicatos convocam vigília contra despedimentos  ....Trabalhadores da Controlinveste em vigília contra ...Vítor Bento admite que BES precisa de aumentar capital

Nenhum comentário: