expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Espancado o Padre Manuel J Leal Domingues, natural de Chãs – À noite e por três desconhecidos na residência paroquial de Ferreirim – O episódio do bárbaro assalto, ocorrido em Julho, só agora foi conhecido e deixou a sua aldeia surpreendida e profundamente chocada.




Nestes  dias de Festa de Nossa Senhora de Assunção, nem toda a gente presta atenção às notícias da televisão. Foi o nosso caso: quem nos transmitiu a notícia da agressão ao Padre Manuel, foi pessoa amiga, domingo à noite,  E, pelo que, de seguida,  nos apercebemos, ainda nem toda a gente sabia - E quem soube, não escondeu, como nós,  o seu espanto e  indignação por se atentar, de forma tão covarde e selvática,  contra a vida de um sacerdote, tão pacífico e dedicado ao seu sacerdócio,que poderia estar em Roma, para onde, segundo apurámos,  chegou a ser convidado, mas que, como Bom Pastor,  preferiu a simplicidade e aproximação do envangelho com o seus paroquianos, numa terra tão próxima do seminário onde se ordenou.



Na verdade, a  violência campeia por todo o lado, em todo o Globo. Entra-nos, diariamente, pela televisão, desde os conflitos armados, até ao crime isolado ou organizado - A vida humana parece distuída de sentido e da sua origem sagrada, dos seus valores mais nobres e sobrenaturais, face à ganância dos bens materiais, do egoísmo destemperado e  do liberalismo selvagem - Já  ninguém escapa à barbárie e à ideologia individualista e cega dos novos tempos.


Cónego Manuel Jorge Leal Domingues, mais conhecido por Padre Manuel, foi barbaramente agredido por três desconhecidos, que o surpreenderam no quinteiro da sua residência em Ferreirim,  onde é o pároco desta mesma freguesia, oficio que exerce a par das suas funções do Secretariado Diocesano e Cooperação Missionária, de Lamego.

Segundo nos foi revelado por seu irmão, José Leal, a agressão ocorreu pouco depois da meia-noite do dia 10 de Julho, após a saída   do seu colega e antigo aluno, o Padre Peixoto, natural de Vila Nova de Foz Côa, que nesse dia o tinha ido visitar. Tendo-se esquecido  do comando da fechadura, ao voltar ao portão da garangem, no interior do quinteiro, e já sem a presença daquele sacerdote, é, então,  surpreendido por  três indivíduos encapuçados que  se atiraram imediatamente a ele aos murros e aos pontapés, após lhe terem deferido um violento golpe na cabeça - De tal monta foram os espancamentos, que, só, horas depois, por volta das cinco horas, conseguiu recuperar os sentidos e telefonar, pedindo para que fosse socorrido.

ELE QUE FALOU DA VIDA E DO SEU SIGNIFICADO COMO UM DOM DE DEUS, COMO DÁDIVA GRATUITA DE DEUS

Palavras ditas  no expressivo  sermão que proferiu na capela da padroeira,   a propósito  do dogma de Assunção de Maria  - Quem, pois, haveria de imaginar que, por um ato selvagem  e gratuito, a sua vida correria tão sério risco!... - E, no entanto, com que estoicismo sofre em silêncio, tão iníqua como  inqualificável barbaridade!


video
(Já nos estávamos a retirar, quando, ao ouvirmos-lhe  falar do sentido da vida, tais palavras nos fazem suster os passos e  registá-las  para vídeo, como que por um intuitivo e premonitório alerta ou aviso)

Estupefação, supressa e choque, estas as palavras com as quais se pode definir a notícia divulgada, pelo Correio da Manhã e CMTV, acerca do bárbaro ato. Não só por o referido sacerdote, além de  ser  um dos filhos mais estimados da aldeia de Chãs, como ainda pelo facto de  tal agressão  não ser do conhecimento público - Mesmo já tendo estado, depois dessa ocorrência, por duas vezes, na sua aldeia: uma para o funeral de um emigrante, e, agora, pela Festa de Nossa Senhora de Assunção, na qual fora incumbido de proferir   o sermão da padroeira . Não constou, aqui,  que  tivesse  desabafado, tamanha violência sobre a sua integridade física, senão aos seus colegas, aos paroquianos  e à Diocese, e ao seu irmão José Leal, o qual, soube-se agora, também se remetera ao silêncio.




É um facto que o Padre Manuel é já conhecido por ser um pessoa muito recatada e discreta, fora do seu oficio  - Que prefere viver as suas alegrias ou tristezas numa espécie de silêncio monástico e introvertido.



 
Se bem que  amável e  dialogante, 
 gostando do convívio, que foi o que notámos, no dia da festa à noite, numa roda de amigos e com o irmão, junto ao adro da igreja, todavia longe de imaginarmos, que, ainda, há tão pouco tempo, tivesse sido tão cobardemente agredido.



Diz o Correio da Manhã TV que ,“O padre Manuel Leal, de 47 anos, foi espancado quando entrava na garagem da casa paroquial, em  Ferreirim. Ninguém sabe porquê. Já ocorreram há mais de um mês mas ainda estão bem presentes na memória dos paroquianos de Ferreirim, de Lamego.


Adiantava a mesma notícia que o Padre, Manuel Leal, de 47 anos, foi atacado por três desconhecidos, quando entrava na garagem da sua habitação. Passavam poucos minutos da meia noite do dia 10 de Julho. Os agressores atacaram-no  no escuro, pelo que o sacerdote não teve hipóteses de os reconhecer. Deram-lhe muitos murros e pontapés, mesmo quando já estava no chão e implorava para que parassem com as agressões.



Os homens, depois fugiram e deixaram o padre prostrado no chão, quase inanimado. Depois pediu ajuda e foi transportado para o Hospital de Lamego, onde foi assistido. Sofreu ferimentos em todo o corpo mas com maior gravidade na zona da cabeça. Contatado pelo CMTV, o padre não quis gravar declarações. Confirmou o ataque mas garante desconhecer as razões que estiveram na sua origem.


Em Ferreirim, as pessoas estão em choque e evitam falar do caso. Dizem desconhecer as razões do ataque e elogiam o comportamento do sacerdote, que também é diretor do Lar de Idosos - Texto extraído de vídeo do CMTV.

Jorge Trabulo Marques - jornalista

Padre espancado por três dentro de casa - Exclusivo CM


Nenhum comentário: