expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Pobreza em Portugal a galope – E quando esta se junta à deficiência e ao desemprego, só resta o suicídio – cuja taxa dispara por toda a Europa





"Com o desemprego a aumentar e com os salários a recuar, consequências da crise financeira, para muitos o suicídio é a única saída possível" Crise leva a mais de 10 mil suicídios na Europa e nos EUUnião Europeia tem 26,5 milhões de desempregados . ....Crise financeira faz disparar taxas de suicídio - 







Um país mais pobre e mais endividado. E o Estado defraudado do seu melhor património – Isto porque, a ideologia neoliberal, que está implantada nos governo de Portugal e na Europa, não visa o bem comum mas a apologia do  individualismo egoísta e hedonista, o  favorecimento do capitalismo selvagem – Não há um sentido, nem patriótico nem social, mas apátrida, ferozmente egoísta e especulativo
.
Por isso, não são de estranhar estas noticias, de que “Portugal voltou aos níveis de pobreza e exclusão social de há dez anos. Agora, como em 2003 ou 2004, uma em cada cinco pessoas é pobre. Dois milhões de portugueses. É este o retrato cru que se retira do inquérito às condições de vida e rendimento, publicado nesta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Alguns números dizem respeito a 2013, outros já são de 2014. Mas as tendências vão no mesmo sentido. A desigualdade na distribuição de rendimentos agrava-se. A taxa de privação material cresce. Há mais pessoas em risco de exclusão social. Mais crianças pobres. E quem é pobre está mais longe de deixar de o ser"Portugal voltou aos níveis de pobreza de há dez anos

 DESEMPREGO EM QUEDA?

Victor Gaspar, bateu com a porta e, depois dele, tudo foi permitido – Com ele as estatísticas ainda tinham pelo menos algum grau de fiabilidade. Com a sua saída, verificou-se um fenómeno curioso: por artes mágicas, o desemprego passou a diminuir –  Mesmo tendo em conta a sangria da emigração, a realidade é bem mais negra de que aquela que nos querem impingir.  

A ideologia liberal não produz riqueza mas desigualdades  - O liberal não é sinónimo de liberdade mas de posse: em que, uns poucos, se aproveitam do trabalho de milhares.   
Só leis antissociais: aprovação da lei dos despejos, que lançou para as ruas da amargura milhares de famílias, Arrendamento: chegou o "despejo na hora" : chumbo   aos apoios a crianças deficientes, PSD e CDS "chumbam" apoios a crianças deficientes - Chumbo à suspensão  de penhoras de casas por dívidas fiscais. Maioria chumba suspensão de penhoras de casas pelo Fisco


NOVA ORDEM MUNDIAL EM MARCHA 

Bush, o grande ideólogo de Durão Barroso, dizia que era preciso paciência para instaurar a Nova Ordem Mundial Financeira - Não foi preciso muito tempo, até para o próprio Barroso vir botar discurso sobre a mesma filosofia - Em 2012, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, no seu discurso sobre o Estado da União, apelou que esta  lidere uma “Nova Ordem Mundial” Barroso fala numa nova “nova ordem mundial” – Aí a temos, com toda a brutalidade dos seus tentáculos à escala global.  

Segundo estudiosos , a “ Nova Ordem Mundial (NOM), é uma teoria conspiratória, na qual um grupo poderoso e secreto está planejando dominar e escravizar o mundo através de um governo mundial único. A Nova Ordem Mundial seria um plano com o objetivo de derrubar governos de todo o mundo, bem como erradicar em todo o mundo todas as religiões e crenças, para unificar a humanidade sob uma “nova ordem”, que seria baseada em uma ideologia extremamente uniforme, uma moeda única e uma religião universal”

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Jean-Claude Juncker, “Pecámos?! contra a dignidade de Portugal – Num dia em que fez o papel de lobo-bom - Também Durão Barroso reconhecera o mesmo pecado e fora cilindrado pelos alemães – Conversa fiada de um servo de Merkel


De que serve o  Presidente da Comissão Europeia, antigo líder do Partido Popular Social Cristão (talvez num daqueles dias em que teria ido a alguma missa) vir reconhecer publicamente que "Pecámos contra a dignidade dos cidadãos da Grécia, Portugal e, muitas vezes, da Irlanda também” se o que contam não é a retórica, não meras palavras de circunstância (pois de boas intenções está o inferno cheio)  mas de ações concretas

E o que agora diz, embora deva ser acolhido como uma boa noticia, não é de molde a gerar grandes ilusões – Pois quem manda é Alemanha  e ele  foi lá colocado, no alto posto que ocupa,  por merecer a  sua confiança política  e não para a trair


"O luxemburguês admitiu ainda que a troika carece legitimidade democrática pelo que, avisa, “quando chegar o momento tudo isto deve ser revisto”. O protocolo e a forma como se sucedem os contactos e negociações entre instituições e países também mereceram um reparo pelo presidente da Comissão Europeia. “Não critico os funcionários, mas não se coloca um alto funcionário perante um primeiro-ministro ou um ministro. Há que colocar frente a eles um comissário ou um ministro sob a autoridade do presidente do EurogrupoJuncker. "Pecámos contra a dignidade de Portugal"
 
Vê-se que há algo que está a agitar as águas turvas de Bruxelas, muito por via da posição determinada da Grécia, que pelo menos tem tido o condão de gerar  algum mal-estar nos servos do grande liberalismo europeu, que até agora nunca foram confrontados com tamanha ousadia. Mas não se alimentem ilusões: o euro serve os interesses alemães e, enquanto a farsa desta moeda existir, e não abrir uma brecha, as decisões partem de Berlim e não de Bruxelas

JOSÉ DURÃO BARROSO TAMBÉM CHEGOU A CRITICAR O EIXO BERLIM PARIS – ANGELA – SARKOZY – PARA DOMINAR A EUROPA MAS FOI CILINDRADO - 


A margem de manobra de Durão Barroso, na sua qualidade e mordomo de Ângela Merkel, era de subserviência absoluta.Durão Barroso isenta troika de responsabilidade pela austeridade

Um dia quis mandar umas bocas aos alemães e franceses, e não tardou atirarem-se contra ele como lobos, pervertendo-lhe, inclusivamente, as suas palavras, acusando-o de que ele, afinal, é que  era o grande culpado das medidas de austeridade.

30 Setembro 2011 Durão Barroso critica proposta de Berlim e Paris para governo económico na zona euro

"É uma ilusão pensar que a zona euro pode ser governada ao pormenor com dois encontros anuais dos chefes de governo", disse o presidente da Comissão Europeia em entrevista publicada hoje no matutino alemão Sueddeutsche Zeitung.


"Já temos um governo económico há muito tempo, a Comissão Europeia, mas a chanceler Angela Merkel e o presidente Sarkozy têm outra opinião, querem um governo para o clube dos 17 países do euro, mas só a Comissão, e nenhuma outra instituição, pode propor legislação europeia", lembrou Barroso.

O político português sublinhou ainda que "é preciso impedir que se crie um fosso" entre os países da zona euro e os restantes estados da União Europeia, "porque estão ligados pelo mercado interno, e o euro perderia uma  importante bas
e
Durão Barroso critica proposta de Berlim e Paris para

QUANDO BARROSO PISAVA O RISCO, SALTAVAM-LHE LOGO EM CIMA 

04 agosto 2011 "O governo alemão criticou  o apelo de Durão Barroso aos líderes da zona euro para reavaliação do fundo de resgate, sublinhando que a proposta do presidente da Comissão Europeia não serve para acalmar os mercados. Alemanha critica apelo de Durão Barroso - Economia - DN


16/05/2013 Berlim demarca-se da austeridade da troika e critica Durão Barroso
Responsáveis alemães demarcam-se da austeridade imposta aos países periféricos como Portugal, dirigindo críticas particularmente duras contra a Comissão Europeia e o seu presidente, Durão Barroso. 

 
De acordo com jornal Público, já não é só em Portugal, Grécia ou Irlanda que as receitas de austeridade impostas pelas troikas de credores internacionais estão a ser criticadas: na Alemanha, as equipas da Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) também são acusadas de impor receitas erradas aos países sob programa de ajuda externa.

A irritação de Berlim, esscreve o diário português, dirige-se sobretudo contra a Comissão Europeia, incluindo o seu presidente, Durão Barroso, «o que não deixa de ser paradoxal quando muitas das exigências de austeridade aplicadas aos países sob programa de ajuda são implicitamente apresentadas em Bruxelas como resultantes de exigências alemã
Berlim demarca-se da austeridade da troika e critica Durão

Abril – 2009 Hoje nasce nova ordem financeira mundial', diz Brown

 
A nova Ordem Financeira Global em Marcha - Parida em 2009 - 'Hoje nasce nova ordem financeira mundial', diz Brown -

Bush, o grande ideólogo de Durão Barroso, dizia que era preciso paciência para instaurar a Nova Ordem Mundial Financeira - Não foi preciso muito tempo - Agora é apenas uma questão de meter mais uns golos na própria baliza das vítimas, encostar às redes a Grécia, Portugal e Espanha - Os países do leste, esses, já estão mais de que abocanhados, visto terem passado de um extremo ao outro - Os países árabes já se passaram quase todos para a "Primavera da Nato" - Os mais renitentes,o Irão e a Síria, lá irão a seu tempo.A China e o Japão controlam o oriente  - e já dominam praticamente as economias do resto do mundo - A Europa mantém aparência de uma comunidade, mas é fogo de vista: quem mandam são os alemães,liderados pela  dama implacável


O CAPITALISMO MUNDIAL OCUPOU E PERVERTEU TODAS AS INSTITUIÇÕES -  ACONTECE EM PORTUGAL E EM TODA A PARTE  - E ATÉ COM O PRÉMIO NOBEL QUE NÃO PASSA DE MERA ALAVANCA 



2012 - Mas o que é que  o grupo dos 27 do liberalismo selvagem  fez em nome da paz  para merecer tal distinção?  União Europeia - Prêmio Nobel da Paz 2012 - Europa

A atribuição do prémio à União Europeia foi apenas um dos muitos sinais de que a nova ordem financeira mundial tomou conta do planeta, dos Governos e das Instituições.  E de que algo terá de mudar  - Através das forças naturais e intervenção humana para que se abram novos tempos e surja a aurora de um novo recomeço mais promissor

COMO OS ALEMÃES SÃO BONS SAMARITANOS PARA COM A GRÉCIA

"O Ministério das Finanças alemão rejeitou a proposta grega de extensão do financiamento dos seus parceiros europeus considerando que a mesma não representa "uma solução substancial" e "não cumpre os critérios estabelecidos" pela zona euro".
"A carta não cumpre os critérios estabelecidos segunda-feira pelo Eurogrupo", adiantou, numa altura em que Atenas se vai reunir com os ministros das Finanças da zona do euro para propor uma extensão do apoio financeiro de seis meses aos seus parceiros. Ministério das finanças alemão rejeita proposta grega -

 O QUE NÃO LOGRARAM PELAS ARMAS, ESTÃO A CONSEGUI-LO ATRAVÉS DO EURO

O atual liberalismo económico alemão é ainda mais nefasto de que o “socialismo nacional” de Hitler – Este  quis apoderar-se da Europa e chegou mesmo a pensar invadir Portugal mas foi derrotado. A ideologia defendida pelo partido de Ângela Merkel. é mais perigosa porque vem disfarçada de mecenas.
Os ingleses fecham as fronteiras à imigração que não lhes interessa  Reino Unido quer limitar imigração reduzindo direitos de recém ...– Defendem-se dos oportunistas, ladrões  e parasitas – Uma coisa são aqueles que emigram para trabalhar e, outra, completamente diferente, para roubar e se aproveitarem da generosidade das instituições –  É um fato que muitos portugueses são forçados a abandonar o seu país e a procurar o trabalho que a sua pátria lhes nega. Mas não menos verdade é o fato de que entra muita gente em Portugal que não vem nem para trabalhar nem para fazer turismo: para esmolar e roubar. 

REGRESSO ÀS ANTIGAS MOEDAS E FORA DO EURO LIBERAL E CONTRA NATURA – ALIÁS, ATÉ A ÂNGELA, NUM RARO RASGO DE   BOM SENSO O PRECONIZOU, EM 2010
Portugal, tal como a Grécia, Espanha e os países periféricos, a única alternativa para resolver o problema financeiro, a crise que nos impuseram a favor do bolso dos agiotas, é a saída da dita moeda única – Esse caminho, de resto, já tem sido pontada até no seio dos partidos liberais
Para os de memória curta – Atente-se nesta noticia: A União Social Cristã (CSU) da Baviera, partido coligado com a União Cristão Democrata (CDU) da chanceler Angela Merkel, exigiu que a Grécia abandone a união monetária europeia devido à crise financeira que enfrenta. Alemanha quer Grécia fora do euro 
Entretanto, outras vozes têm apontado  para o mesmo caminho Num artigo de opinião publicado no Financial Times, em 2011, Roubini afirmava  que "a Grécia está presa num ciclo vicioso de insolvência, baixa competitividade e uma depressão cada vez mais profunda".
Roubini, o economista que ficou conhecido por antecipar a crise financeira de 2008 dos EUA, defende que "a Grécia "deve começar já uma reestruturação ordeira, abandonar o euro de forma voluntária e regressar ao dracma". Grécia tem de sair do euro e Portugal deve fazer o mesmo