expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Seca e falta de água no Brasil ameaça vida vegetal e animal - Desmatação e queimas na Amazónia e poluição atmosférica do maior país da Ásia afetam clima nas Américas – Que não olha a meios para distribuir bazares por todo o mundo – Subida do nível do mar, tufões, tempestades, flagelos de frios extremos e de estiagens por agressões à natureza


No tempo da era da pedra, o homem vivia exclusivamente da natureza e com a natureza – Nos tempos que correm, vive-se contra a Natureza: as agressões ao meio ambiente são uma constante. Há cidades na China, irrespiráveis, onde tem que se andar de máscara. –

 
 

A vida é curta e a memória do homens ainda mais curta é: o advento liberal, com o privilégio dos grandes monopólios,  liderado por governantes fantoches, não trouxe apenas extrema pobreza, maiores desigualdades sociais  mas também as maiores agressões ambientais: a começar pelo capitalismo chinês, que passa pelo rótulo de comunista mas que apenas privilegia a elite dos milionários do partido – Polui as suas cidades, com as suas fábricas e aquelas que o ocidente lá instalou para se aproveitar da mão-de-obra barata, para depois os chineses a virem vender através dos seus milhões de lojas espalhadas pelo mundo inteiro –






Não há vila de Portugal – isto para já não falar das cidades – em que não haja lojas do grande país do sol nascente Pergunto: e quantas lojas já os portugueses abriram naquele longínquo país asiático? ... Julgo que poderão contar-se pelos dedos. E, em consequência, o que é que tem acontecido? Fábricas que fecham, comerciantes portugueses que, por não poderem competir com a concorrência dos produtos chineses (confecionados com mão-de-obra ao preço da chuva) enceram as portas e milhares de portugueses vão parar ao desemprego. Mas isto passa-se, tanto em Portugal, como no resto da Europa e em muitos outros países: uma verdadeira invasão económica. E sem que fosse necessário, usar as armas, dar um único tiro! - Aliás, os chineses até são muito pacíficos nos países para onde emigram. Passam grande parte do seu tempo nas lojas - Muitos deles até comem lá e ali reúnem o seu núcleo familiar. Porventura, outros até lá dormem. Preferem os seus a empregarem gente estranha aos seus hábitos e cultura




 ERA DE PREVER

 Dizem os especialistas que a “Poluição atmosférica na Ásia afetou clima na América do Norte”

 As mudanças climáticas estão deixando cada vez mais claro que não importa onde se dá a agressão ao meio ambiente, seus impactos serão sentidos em diferentes partes do planeta. Em uma nova pesquisa, cientistas da Nasa afirmaram que os invernos mais rigorosos na América do Norte são um dos efeitos da poluição atmosférica na Ásia.
Segundo o estudo, a grande quantidade de poluentes no ar de cidades como Nova Déli, na Índia, e Pequim, na China, alteraram os padrões de tempestades no Oceano Pacífico. Essas tormentas, por sua vez, tornaram os invernos nos Estados Unidos e no Canadá mais frios.Poluição atmosférica na Ásia afetou clima na América do



A desmatação e as queimas selvagens do maior pulmão do mundo tinha forçosamente que trazer graves consequências, não só para o Brasil, como para todo o planeta – Quem havia de imaginar que um país tropical, com tanta verdura, acabaria por se debater com o terrível flagelo da seca e de falta de água para alimentar florescer a vida vegetal (biodiversidade) e suprimir as necessidades humanas   -Pois é essa a dura realidade que ensombra o Brasil
  
Dizem as noticias que a “falta d'água ameaça segurança alimentar no Brasil, diz chefe da FAO
A crise hídrica que o Brasil atravessa põe em risco não só o abastecimento de suas cidades, mas também a oferta de alimentos nos mercados do país, diz o brasileiro José Graziano da Silva, diretor-geral da agência da ONU para agricultura e segurança alimentar (FAO).
Em entrevista à BBC Brasil, o chefe da FAO afirma ainda que o Brasil terá de ampliar seus estoques de alimentos e privilegiar culturas mais resistentes a secas, fenômeno que deve se tornar cada vez mais frequente por causa das mudanças climáticas.Falta d'água ameaça segurança alimentar no Brasil, diz chefe da FAO

AGRESSÕES AMBIENTAIS  E AS CONSEQUÊNCIAS IRREPARÁVEIS

"Centenas de peixes mortos se acumulam em um pequeno fio de água, no centro do leito do rio. A cena faz lembrar a seca que tomou conta da Amazônia em 2005. Em contraste com a cheia recorde que atingiu a região, a vazante intensa deixou o rio Manaquiri seco e matou milhares de peixes. Esta semana, ativistas do Greenpeace visitaram e documentaram a área e a visão é preocupante. Nas imagens aéreas, canoas e barcos ficam presos na areia. Milhares de peixes mortos causam mau cheiro e a bela Amazônia fica parecida com um lixão. A população que vive na região, totalmente dependente dos rios, sofre para se deslocar e o acesso a combustível, água potável e comida fica restrito.Como será o futuro da Amazônia

As mudanças climáticas ocorridas ao longo dos anos tiveram um papel fundamental na multiplicação ou desaparecimento de diversas espécies de animais e vegetais. Estas alterações continuam ocorrendo, cada dia mais, devido à poluição atmosférica e à falta de cuidado dos homens com o meio ambiente
O aumento das chuvas ácidas é outro problema causado pela poluição do ar. É causado pela emissão de gases ricos em partículas de enxofre que se acumulam no ar. Assim, quando chove, esses gases “grudam” na água, deixando a chuva ácida.
Escurecimento global
A poluição atmosférica também pode provar o escurecimento global. Esse fenômeno consiste na diminuição da visibilidade e luminosidade de uma determinada região. Assim como o escurecimento, a destilação global também é uma consequência da poluição do ar. Este, por sua vez, é caracterizado pelo transporte de agentes químicos por meio do ar das regiões quentes para as frias.
Principais problemas

No entanto, os dois principais problemas para o meio ambiente causados pela poluição atmosférica, que influência diretamente no clima das regiões, são: o efeito estufa e a diminuição da camada de ozónio. http://www.sevendesentupidora.com.br/blog/meio-ambiente/como-a-poluicao-atmosferica-influencia-no-clima/
SURPREENDENTE: POLUIÇÃO NO BRASIL MATA MAIS QUE ACIDENTES DE TRÂNSITO
Entre tantas notícias assustadoras, a população brasileira acaba de tomar conhecimento também que a poluição está matando mais que os acidentes de trânsito. É o que mostra um levantamento do Instituto Saúde e Sustentabilidade, ligado à Universidade de São Paulo (USP). No Estado do Rio, por exemplo, o número de mortes atribuídas à poluição, no último ano, foi de 4.566 enquanto os óbitos em acidentes de trânsito foram de 3.044. Já em São Paulo a poluição provocou o dobro de mortes (15.700), frente aos 7.867 do trânsito.
As mortes por poluição também vão ultrapassar os óbitos por câncer de mama, de próstata e por AIDS nos dois estados. Pela projeção do instituto, a poluição em São Paulo ainda vai matar 256 mil pessoas até 2030, mesmo que as emissões caiam 5% ao ano até lá. Para o Rio, os pesquisadores estimam que a má qualidade do ar causou a morte de 14 pessoas, em média, por dia, entre os anos de 2006 e 2012, totalizando 36.194 mortos.
A origem principal da poluição vem dos carros, ultrapassando em duas vezes o aceito pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre as causas mais prováveis de mortes estão doenças respiratórias, como asma e bronquite, e câncer de pulmão, além de infeções das vias aéreas e pneumonia  http://www.amapangeia.org.br/atuacao/ver/162/surpreendente-poluicao-no-brasil-mata-mais-que-acidentes-de-transito

“Um dos problemas mais graves do Brasil são os impactos ambientais, vistos que o Brasil é beneficiado com a maior biodiversidade mundial. A natureza sofre desde o inicio da colonização, quando nosso litoral foi devastado pelos colonizadores. Matas foram derrubadas, animais foram mortos. Estes estragos se estenderam ao interior rompendo o equilíbrio ecológico com atividades como mineração e criação de gado. E nas décadas de 1950 a 1970, a construção de Brasília causou fortes impactos ambientais nas regiões norte e centro oeste. Observe as paisagens de Cerrados e as agressões que essa vegetação vem sofrendo para dá lugar a pecuária e a agricultura. É a vegetação que depois da Mata Atlântica, mais agressão sofre. "


"O Brasil é um dos países recordistas mundiais em biodiversidade, mas não tem se esforçado suficientemente para manter-se como tal. A Mata Atlântica, por exemplo, possui cerca de 20 mil espécies de plantas, sendo 8 mil endêmicas, ou seja, só ocorrem nesse ecossistema e, se elas forem extintas aqui, desaparecerão do planeta. Apesar disso, a Mata Atlântica encontra-se hoje reduzida a cerca 7,3% de sua extensão original." 


Atualmente fala-se em outro tipo de agressão: o impacto ambiental urbano. As cidades estão ameaçadas pela degradação do ambiente. A degradação do ar pela poluição compromete a vida das cidadesImpactos ambientais em biomas brasileiros -



O Brasil é um dos países recordistas mundiais em biodiversidade, mas não tem se esforçado suficientemente para manter-se como tal. A Mata Atlântica, por exemplo, possui cerca de 20 mil espécies de plantas, sendo 8 mil endêmicas, ou seja, só ocorrem nesse ecossistema e, se elas forem extintas aqui, desaparecerão do planeta. Apesar disso, a Mata Atlântica encontra-se hoje reduzida a cerca 7,3% de sua extensão original. Agressões Frequentes » SOS Mata Atlântica


“A seca está cada vez pior. Até para para construir as cisternas temos que comprar água porque não tem onde pegar em hipótese alguma. Se a gente não comprar, para de construir. Nunca vi na isso na vida, é negócio impressionante”, contou o presidente da ASA (Articulação do Semiárido), organização que congrega mais de 700 instituições do sertão nordestinoSem chuva no inverno, seca se agrava e falta água no

Seca, corrupção e incompetência

Uma das maiores estiagens da história castiga 12 milhões de pessoas que vivem no semiárido brasileiro, enquanto R$ 9 bilhões repassados pelo governo para combatê-la se perdem na ineficiência - e até desvios de dinheiro - do poder públic.Seca, corrupção e incompetência - Isto É

A SECA QUE CASTIGA O BRASIL; ESTIAGEM SE ESPALHA NO PAÍS E CAUSA PREJUÍZO BILIONÁRIO

A estiagem que compromete importantes bacias hidrográficas pode prejudicar a já combalida economia nacional, simplesmente porque o País não está preparado para lidar com ela.A SECA QUE CASTIGA O BRASIL;ESTIAGEM SE

Por cá, nesta altura - ao mesmo tempo que a europa é varrida por tempestades e grandes nevões
 Os 18 distritos do continente estão entre hoje e sexta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de chuva, vento, neve, agitação marítima e temperaturas mínimas baixas, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).Frio, neve, chuva e vento deixam Portugal em alerta



Alguns estados e territórios insulares parecem ter os dias contados devido às mudanças climáticas. Os países que se estão a afundar - Visao.p

SERÁ PRECISO PARAR PARA REFLECTIR?

A vida não pára mas é preciso refectir e encontrar novos rumos. A sociedade, tal como vai, não vai no bom caminho . Num tempo em que, as aldeias se desertificam, as vilas estão a caminho de se transformarem em antigas aldeias, a vida nas cidades se torna cada dia mais difícil – Mais desumanidade, menos possibilidade de se arranjar um teto, devido às novas leis de arrendamento, menos empregos, mais desigualdades sociais, por força de um liberalismo selvagem que galopa e não conhece nem ética nem fronteiras, com as consequentes agressões sociais e climatéricas de toda a ordem, sim, fuja-se da gritaria das sirenes e da confusão citadina e procure-se o encontro com a natureza – No fundo, foi a peregrinação que, uma vez mais, ali procurei fazer.

(Actualização) ESTAS IMAGENS E NOTICIAS NÃO SÃO DE SURPREENDER
O tufão Irma atingiu o Caribe, com ventos de 185 mph que soavam como um trem de carga, os edifícios foram destruídos e os hotéis inundados.



O olho de Irma estava passando ao norte de Puerto Rico na quarta-feira, batendo a capital do país da ilha dos EUA, San Juan, com fortes chuvas e ventos fortes que dispersavam os membros das árvores através das estradas.

"Os ventos que estamos experimentando agora são como nada que já experimentamos antes", disse o governador de Puerto Rico, Ricardo Rossello, à CNN. "Esperamos muito dano, talvez não tanto quanto foi visto em Barbuda". http://www.telegraph.co.uk/news/2017/09/06/hurricane-irma-latest-live-news-strongest-ever-atlantic-storm/   …. http://www.dn.pt/mundo/interior/furacao-irma-esta-mais-forte-e-sobe-para-nivel-5-america-em-alerta-8749389.html



Nenhum comentário: