expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

domingo, 7 de junho de 2015

Gonçalo Cadilhe – Escritor, Sonhador e Viajante à Volta do Mundo – Autor português de mais de uma dezena de livros de viagens – Seja como o autor da Passagem Para o Horizonte: Viaje mas seja cauteloso


“Passagem Para o Horizonte”   É o mais recente livro de Gonçalo Cadilhe, que já tem mais de uma dezena de obras publicadas – Encontrámo-lo na Feira do Livro, de Lisboa, numa sessão de autógrafos no pavilhão  da sua editora. Clube  do Autor – Um livro que veio  ao encontro de um dos maiores sonhos da sua adolescência – Fruto de uma viagem que pôde realizar pouco depois de completar os 40 –  A chamada idade da prata mas que também pode ser o corolário da idade do ouro – E, pelos vistos, assim sucedeu para um dos autores portugueses mais viajados – Tudo o que escreve é fruto de observação direta e não produto de ficção ou imaginação: se bem que, muitos dos espantosos  episódios que nos relata, das imagens fotográficos ou descritivas que oferece aos seus leitores, sejam como que um grande apelo ao sonho e à imaginação, ao gosto de viajar e da  descoberta: de conhecer novos países e culturas, enfim, um pouco das imensas maravilhas oferecidas pelo Planeta Terra, em várias latitudes – Mas, tal como ele faz, viaje mas seja cauteloso.




"Uma volta ao mundo, a realização de um sonho, a celebração da vida"

Diz no prefácio de Passagem Para o Horizonte: -“Poucos dias depois de completar quarenta anos iniciei uma volta ao mundo de doze meses. O itinerário era simples: a partir de uma lista de doze ondas perfeitas, espalhadas pelo litoral dos cinco continentes, pretendia permanecer um mês a fazer surf em cada Uma delas. 

Esta viagem era um sonho que crescia comigo desde menino, e o ano dos meus quarenta anos parecia-me o ponto ideal para o concretizar. Na nossa sociedade, é perfeitamente lícito assumir como esperança média de vida os oitenta anos, logo os quarenta representam a barreira existencial subjectiva que divide a vida em duas metades. Eu queria celebrar a passagem dessa barreira da forma mais emblemática: concretizando um sonho grande e antigo. 

Na altura, um amigo argentino, o César, que é mais velho 'do que eu uns quinze anos, ofereceu-me uma «reflexão de percurso» com aquela falsa generosidade que os seres humanos sempre demonstram para com os amigos mais jovens, um desses conselhos que vêm embrulhados no suor da experiência e na mágoa da nostalgia: «Sabes, Gonçalo, é mesmo verdade isso que se diz de a vida só começar aos quarenta. A minha começou aí. Por isso, aproveita agora.» O César, depois de um silenciozinho malandro, acrescentou: «Ü que eu não entendo é porque é que nos fazem esperar tantos anos para começarmos - quarenta, precisamente.» “

Gonçalo Cadilhe nasceu na Figueira da Foz em 1968, cidade onde cresceu e que mantém como residência. Licenciou-se em Gestão de Empresas na Universidade Católica do Porto, em Setembro de 1992, fazendo parte da primeira "fornada" de licenciados deste curso. Durante os anos da Universidade frequentou também a Escola de Jazz do Porto. Depois de uma breve passagem pelo mundo da Gestão de Empresas, em Abril de 1993 começou a viajar e a escrever sobre viagens de forma profissional. Tem dez livros publicados e assinou três documentários de viagens para a RTP2. Organiza e acompanha mini-tours pelo globo em colaboração com a agência PLV- Excerto Gonçalo Cadilhe -Biografia

Nenhum comentário: