expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Incêndios: Ameaça planetária - quem nos socorre? … Alterações climáticas e a indústria incendiária estão a esturrar e a queimar o planeta azul - Em Portugal, área ardida mais do que duplicou este ano”

Por Jorge Trabulo Marques - O jornalista peregrino

 
Para onde nos levará a era do vazio e do culto das aparências e do individualismo?  - Quem acode a um planeta, que é a  maior maravilha do sistema planetário à volta do sol? – Sim, fora as longínquas formas de vida,  que a ciência desconhece na infinidade cósmica. 

Quem é que, nos dias que correm.  se surpreenderá com as noticias dos refugiados, que morrem às centenas tragados pelas águas ou que ficam asfixiados num camião destinado a frigorífico de carne de frango e é  usado para transportar seres humanos e reduzi-los a cadáveres? Refugiados morrem asfixiados dentro de caminhão na Áustria

Quem  é que  ficará chocado com as bombas a serem despejadas sobre aldeias, cidades, reduzindo-as as cinzas e a escombros, matando indiscriminadamente, crianças, idosos, homens e mulheres? – Quem fomenta o ódio e a guerra, senão o egoísmo e a ideologia dos petrodólares? 





A CULPA É  DE QUEM?



O planeta está enfermo ou é o homem, demente e avaro,  que o está a matar?  - É o lobo liberal. Nesta vertiginosa loucura, promovida pela chamada sociedade mediática, que o culto do vil metal fomenta,  não creio que, tão cedo se esperem melhores dias – 

Aí temos, a Tragédia do Verão Árabe dos Refugiados, depois da chamada Primavera Árabe: quem a fomentou? Os grandes interesses petrolíferos, situados do outro lado Atlântico  e a Norte – E quem agora tem que suportar com as legiões de refugiados,  além da miséria e destruição em que atualmente se encontram esses países? – Claro que não é a América da segunda guerra mundial?  Mas a Europa, belicista e liberal, que, após a perda do seu império colonial, não consegue distanciar-se, nem  a ocidente, nem a oriente –  O estertor dos ideais nobres,  da  solidariedade e do humanismo, é no que dão – Em crises, atrás de crises;  tragédias, umas atrás das outras. Agressões climáticas, imparáveis e de trágicas consequências.

 HÁ SEMPRE QUEM BENEFICIE COM OS INCÊNDIOS - EM SÃO TOMÉ SÃO AS REVOADAS DE FALCÕES, ATRÁS DOS INSETOS -


Mas o flagelo dos incêndios e da seca, é um fenómeno global  - A culpa, não é só dos incendiários e da indústria do fogo, mas consequência de terríveis agressões climáticas de vária ordem e a nível global. 



Portugal tem sido devastado por grandes incêndios, mas noutros países, sucede a mesma coisa,

Ainda há pouco tempo, aquando da minha estadia em São Tomé, vi deflagrar incêndios, como nunca tinha visto, há 40 anos – E não se pense que, tais queimadas, são apenas consequência de fogo posto ou do tempo seco da Gravana – Sim, mas de uma Gravana, bem mais seca e  marcada pela ausência de chuvas, que noutros tempos.

Terríveis secas, deixam milhares de hectares reduzidos a poeira, completamente torrados, onde já nem sequer vingam espinhos ou abrolhos, onde a vida vegetal, animal – irracional e humana, não encontra o mínimo de condições de existência. 

E não é por falta de alertas mas porque a insensatez se substitui ao equilíbrio e à harmonia Advertiam os observatórios, atentos às alterações climatéricas que "o   risco de incêndios florestais, em particular mega-incêndios, vai continuar a aumentar em Portugal e sul da Europa, assim como o risco de vendavais. Esta tendência, que ganhou uma forte proporção a partir dos anos 70, devido à acumulação de combustível, mudanças climáticas e eventos meteorológicos, vai estender-se a Portugal, França, Grécia, Espanha, Itália e Turquia.

 

Por outro lado, as inundações costeiras vão afectar até 5,5 milhões de pessoas no Sul e Norte da Europa, com custos directos que podem atingir os €17 mil milhões. O turismo de Verão no Mediterrâneo – e o turismo de Inverno nas montanhas – irá diminuir com o aumento da temperatura e, no Sul da Europa, as condições de saturação e drenagem associadas às chuvas ficarão restritas a determinados períodos no Inverno e Primavera.. Green Savers – Alterações climáticas: Portugal ameaçado
 
Ó CRISTO! - Ó  EXPOENTE  DA BONDADE INFINITA! - AFINAL, DE QUE TERÁ SERVIDO O TEU SUPREMO EXEMPLO NA CRUZ?  - SERÁ MESMO ESTE O RUMO PARA ONDE RESVALARÁ A HUMANIDADE?  - O DO SALVE-SE QUEM PUDER?


Perante tamanha aridez – do que era verde e ficou reduzido a cinzas – o que dizer? Condenar?... De nada serve porque os criminosos, depois de pegarem o fogo, sabem como escapar- Além disso, mesmo apanhados, não tardam a reincidir. E então que nos resta fazer? Orar ou clamar a nossa era ira invocando o exemplo daquele que se deixou sacrificar numa crus por Amor à Humanidade? – Harmonizar a nossa vida com a Mãe Natureza e não agredir ou maltratar
 
 




Tenho evitado ver os telejornais: não pelo facto de não ser informado mas para não ficar insensibilizado. E, quando  os vejo, dificilmente os vejo até ao fim.  Tenho que me defender deste autêntico carrocel macabro dos dias de hoje – Sim, longe vão os dias da minha adolescência, dos nostálgicos serões, do convívio familiar ou das conversas com o vizinho ao lado. O culto do individualismo, das aparências, do liberalismo e do fraguementarismo social, o distanciamento do homem dos  ritmos e dos ciclos da natureza, é crescente e avassalador – A bem dizer, vive-se numa sociedade do salve-se quem puder. 

O pior de todos os inimigos da Natureza, é o Homem - certos homens, aos quais se vão sobrepondo outros valores mais altos, de ordem iminentemente temporal, que propriamente os de ordem espiritual. Porém, como partícula de um  Todo, o seu destino, estará sempre, indissociavelmente, ligado ao da Terra e ao do  próprio Universo. Tudo o que, de mal fizer,  mesmo assim, em nada alterará o seu destino - Pese a sombra das grandes ameaças que pairam, tudo isso, comparado ao incomensurável poder da Inteligência Universal, não passará de mero acidente de percurso.

Nenhum comentário: