expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Lopetegui – O treinador-problema do Futebol Clube do Porto - Demasiado truculento e convencido – Jorge Nuno Pinto da Costa, tem agora oportunidade soberana de se livrar do maior enguiço das Antas



  Ele bem exorciza a relva, antes do jogo começar,  mas de nada lhe serve - Ele é o seu próprio enguiço  - Tal como tivemos ocasião de afirmar, neste site, no dia 19 de Maio 2015, do jogo Belenenses 1- Porto - templos do sol - , Lopetegui, não obstante os  seus méritos firmados, arrasta no trato  os seus pecadilhos, que é  o de ser demasiado convencido e truculento com os colegas do mesmo ofício – Não nos parece que sejam as qualidades mais recomendáveis para dirigir e incutir confiança e serenidade numa equipa de futebol . Obviamente, que um guia de homens tem de ser exemplo e espelho de virtudes e não o fomentador de azedumes, desavenças e instabilidade " - isto foi dito a propósito da troca de mimos que teve com Jorge Jesus

Jorge Nuno Pinto da Costa – o Presidente que tem dado as maiores glórias ao Clube da invicta capital do Norte, por certo, já terá ponderado – mesmo antes da humilhante e pesada derrota dos dragões, em sua casa,  com o Marítimo –FC Porto derrotado em casa pelo Marítimo por 3-1 de que, se há um problema na equipa portista, ele chama-se, Lopetegui – Não creio que ele acabe a temporada – O  mais sensato era aproveitar a nova oportunidade das contratações e despachá-lo a toda a velocidade. 

Naturalmente, que estas minhas palavras, não têm senão a expressão de um mero observador, que faz jornalismo e fotografia. Atualmente, olho para o futebol, única e exclusivamente como mero espetador, sem paixões de nenhuma espécie. Tenho idade para já me ter curado  dessas veleidades. Acima de tudo, prezo o espetáculo: quem joga melhor, é que merece a  minha admiração.

Lopetegui  - Não se entrosou no futebol português – Mas dececionou.

Julen Lopetegui, já quase nos 50.  natural de Asteasu, Guipúzcoa, no País Basco, em Espanha., tendo como currículo, um título de Campeão da Europa de Sub-21 (2013) e de Campeão da Europa de Sub-19 (2012) pelas selecções jovens de Espanha (onde esteve entre 2010 e 2013) e conta com passagens pelo Rayo Vallecano, na Segunda Liga espanhola (2003/2004) e pelo Real Madrid Castilla (2008/09). – Mas, em Portugal, tem sido um fiasco. 

Refere ainda o seu currículo, que, "Como jogador, actuou como guarda-redes e passou pela Real Sociedad, Real Madrid Castilla, Las Palmas, Real Madrid, Logroñes, Barcelona e, por fim, Rayo Vallecano, onde terminou a carreira. Conquistou, enquanto futebolista, uma Taça das Taças (pelo Barcelona, em 1996/97), um Campeonato espanhol (ao serviço do Real Madrid, em 1988/89), uma Taça do Rei (Barcelona, 1996/97) e quatro Supertaças espanholas (1989, 1990, 1994 e 1996, ao serviço de Real Madrid e de Barcelona).

Na sua passagem pelo Barcelona foi treinado por Bobby Robson (cujo adjunto era José Mourinho) e foi companheiro de equipa de Vítor Baí
a.




Nenhum comentário: