expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Taxistas mobilizados contra o saque dos califados da Uber e Cabify – Plataformas instaladas no Panamá, em paraísos fiscais: - Depois da invasão de lojas orientais – da bagunça desde o comércio à fruta, à banca, água e eletricidade, aí estão novas máfias organizadas, furtando-se aos impostos e às formalidades legais, prontas a engolir o último reduto onde os portugueses poderiam assegurar algum trabalho para sustento pessoal e da família, com a benevolência de politicas apátridas, que tomam os nacionais como estrangeiros no seu país.

O que está em causa na manifestação dos taxistas, não é apenas a defesa da sobrevivência de uma profissão mas de algo mais ameaçador e tentacular: o do açambarcamento de poderosos monopólios, para os quais não existem regras nem leis:  que esmagam milhares de postos de trabalho para que, meia dúzia de tubarões prosperem; daí a galopante vaga de desemprego e desespero:  - Desemprego é responsável por 9 vezes mais suicídios 


Jorge Trabulo Marques - Jornalista - Informação e Análise  - CLARO QUE EMPRESA QUE SE FURTA AOS IMPOSTOS, PODE FAZER O SERVIÇO MAIS BARATO - É SÓ LUCRO A ENTRAR NOS BOLSOS 

Obviamente que não se pode esperar do desespero, de quem  sente a corda na garganta, a sua vida profissional ameaçada, outras reações que não sejam mesmo os de atos desesperados  - Tanto a Uber como Cabify estão instaladas no Panamá, nos grandes paraísos fiscais: facilmente se furtam ao controlo fiscal  – Além disso, em todos os países onde se tem instalado, sempre com processos judiciais à perna por incumprimento das leis  - Pese os protestos -  Bom Dia Brasil - Protesto de taxistas contra o Uber congestiona as .

INTERNET - A SELVA DO SALVE-SE QUEM PUDER 

A Internet é hoje um vasto campo aproveitado por manobradores, vigaristas,  sacadores, descarados oportunistas, que facilmente se furtam ao controlo da lei, a  coberto do mais  fácil e  imediato acesso às novas tecnologias  – De vendas e de serviços, que o poder fiscal não controla, em detrimento de quem a cumpre e segue os seus trâmites - E maior ameaça ainda quando o ataque é proveniente de empresas multinacionais, equipadas para corromper e subverter as mais elementares regras,  com os seus lóbis ou testas de ferro, bem  implantados para irem ao encontro dos seus interesses

Esmagam-se profissões de pequenos ou médios empresários, que podiam constituir o sustento de algumas centenas ou milhares de  famílias, gerindo bem-estar e progresso social, para serem tomadas pelo oportunismo e parasitismo de dois ou três tubarões, que engrossam fortunas, gerando desemprego e fugindo ao fisco.

Primeiro instalam-se, de pedra e cal, depois é que vêm com a conversa de que pedem a sua regulamentação: (…) "No momento já fizeram uma carta às autoridades de assinalar a sua presença e tipo de operações realizadas.

Cabify está presente, Espanha, Peru, Chile, México, Portugal e Colômbia, e expandir a sua presença para diversos países da América Latina, incluindo Argentina, Brasil, Costa Rica, República Dominicana, Bolívia e Equador.

É uma empresa avaliada em US $ 320 milhões depois de receber um investimento de 12 milhões de dólares no ano passado e novos financiamentos para US $ 120 milhões neste 2016. Cabify llega a Panamá para competir con Uber Traduzir esta página

A empresa Uber, com sede em San Francisco, EUA), rapidamente se tornou um gigante, vale cerca de 40 bilhões de dólares, está presente em mais de 250 cidades em 50 países, em comparação com 61 cidades em 21 países onde operavam um ano atrás.

Uber opera na Colômbia desde o final de 2013, nas cidades de Bogotá e Cali, mas, apesar dos taxistas tradicionais, o Ministério dos Transportes alertou no mês passado que este serviço não é legal.

No Brasil Uber começou a operar em junho passado, e está presente em quatro cidades: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Belo Horizonte, até agora sem a interferência das autoridades, embora a lei prevê que os transportes públicos não pagos até sete passageiros é uma atividade exclusiva dos motoristas de táxi.

PROCESSOS JUDICIAIS À PERNA EM VÁRIOS PAÍSES

A cidade de Portland, Estados Unidos (EUA), um dos maiores do oeste dos Estados Unidos, também apresentou esta semana um processo contra Uber para operar a partir de "ilegal" e oferecer "um serviço de transporte não regulamentada". A empresa legalmente trabalhando em mais de 100 cidades dos EUA.

Na França, Uber opera coberto de um vazio jurídico desde fevereiro passado lançou seu negócio em seis cidades, usando um serviço de 160 mil pessoas. O Tribunal de Comércio de Paris decidirá na sexta-feira se a sua subsidiária UberPOP incorre em concorrência desleal com serviço de aluguer empresas de automóveis.

Em contrapartida, no Reino Unido e na Irlanda, Uber opera sob a égide das respectivas agências reguladoras de transporte público ou táxi.

Enquanto na Áustria, para evitar problemas, Uber é usada por serviços de limusina e pessoas licenciado de passageiros, não individuais Uber, en la mira de la justicia y reguladores de varios países - La Prensa

Obviamente, que os taxistas fazem muito bem em marchar, marchar,  em marcha lenta mas firmes dos seus propósitos e das razões que lhes assistem, contra a ilegalidade, a iniquidade, a desenvergonhada corrupção e cobertura   às negociatas, sem escrúpulos  - Em defender  os seus postos de trabalho, contra a indigência, o egoísmo dos apátridas e corruptos, sem rosto e sem alma,   que permitiram que este país  - onde não é preciso vergar a mola e o lucro é mais fácil – desde as cadeias de hotéis, lojas de comércio e de frutas, a banca, as companhias de água e de eletricidade e por aí adiante  – tais interesses fossem objeto da cobiça  de organizações de incalculável  poder económico, em detrimento do povo português  - Vindas de países ditatoriais ou de outros onde a democracia é mera fachada, já porque nas mãos de castas, que desde sempre foram donos e senhores das suas riquezas – E, que, agora, com as liberdades instauradas pela dita Nova Ordem Global, pelo mais despudorado e selvagem liberalismo, atuam impunemente, estendendo os seus tenebrosos tentáculos à escala planetária 


PORTUGAL UM PAÍS CADA VEZ MAIS À DERIVA E MENOS PORTUGUÊS - 


Portugal um pais cada vez mais à deriva e ao sabor da cobiça estrangeira - Lisboa é um bazar chinês. Em Portugal não há vila que não tenha lojas chinesas – Sim, porque não, mas com conta peso e medida. Favorecer o crédito aos jovens para se poderem estabelecer e evitar que houvesse concorrência desleal com o comércio local – em horários e no fisco. A distribuição da fruta, em Lisboa é dominada por redes de indianos e paquistaneses, que importam a fruta lá de fora, enquanto a nossa fica a apodrecer nos pomares; os antigos quiosques dos jornais, onde era tradicional empregaram-se deficientes, estão nas mãos de orientais – A banca e as grandes empresas, tudo sob controlo lá de fora. Ainda se ao menos fossem apenas de países da CPLP!... Mas vêm de ditaduras ou de países, que nada têm a ver com a nossa cultura. E então quais as oportunidades dadas aos portugueses? – A trabalhar no campo?!... – Se este também está votado ao abandono – Não lhe resta outro remédio senão emigrar - Quando é que teremos governantes que sejam amigos dos seus compatriotas e não se vendam aos milhões do oportunista e guloso estrangeiro? - Que nos dá uma morcela para levar um salpicão - Mas este é também o sinal da Nova Ordem Mundial, que permite o saque, sem fronteiras e à escala planetária

JN - O presidente da ANTRAL, Florêncio Almeida, recomendou a desmobilização, esta madrugada de terça-feira, e convocou novo protesto para segunda-feira

Cerca das 2.20 horas, Florêncio Almeida, Associação Nacional dos Transportadores Rodoviários em Automóveis Ligeiros (ANTRAL), alertou o taxistas que ainda permaneciam no protesto na rotunda da Relógio, junto ao aeroporto de Lisboa, de que a PSP o avisou que iria começar a bloquear e a rebocar as viaturas que ali se mantivessem.



Após este aviso, e depois de explicar que o bloqueamento e que o reboque teria custos legais, bem como uma comparência em tribunal ainda hoje, Florêncio Almeida aconselhou os taxistas a mudarem o protesto para a próxima segunda-feira, a partir das 8 horas, junto ao Palácio de Belém e às câmaras do Porto e de Faro. Taxistas desmobilizam em Lisboa a troco de novos protestos.Não é justa, porquê? Ministro diz que manifestação dos taxistas não é justa 


Nenhum comentário: