expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

domingo, 21 de maio de 2017

Donald Trump, em Riad Arábia Saudita, dois dias para beijos e enormes negócios de armas e de petróleo onde participou na tradicional dança ardah, com espadas, com que são executados os cristãos e quem não professe o islão – No país que instaurou a pena de morte para quem carregar exemplar da Bíblia - Corolário do cinismo e da heresia – Presidente Americano, depois de passar por Tel Aviv, Jerusalém e Belém, vai ao Vaticano ao beija-mão ao Papa Francisco para ganhar fôlego para outras mascaradas.


Jorge Trabulo Marques . Jornalista - Informação e análise 


Pena de morte para quem carregar exemplar da Bíblia, nem mais nem menos  - E, para corolário da hipocrisia, depois do Beija- mão aos corruptos e opressores do reino saudita, ainda vai ao beija-mão no Vaticano Sim, todos os grandes impostores políticos  ocidentais (desde os pigméus aos gorilas)  vão ao aperto de mão do falcão chinês, em Pequim e servem-se da pomba branca da igreja pastoral, em Roma,  para tentarem lavar as suas mãos sujas e criminosas do mal


VÁ LÁ  QUE O PAPA FRANCISCO DÁ ALGUMAS TAMPONAS 


TEMER, NO BRASIL – TAL COMO PATRICE TROVOADA, EM S. TOMÉ – QUEREM VISTAS PAPAIS PARA  SANTIFICAREM AS SUAS FAÇANHAS    - “O chefe mundial da Igreja Católica, papa Francisco mandou carta resposta ao presidente Michel Temer (PMDB) que o convidou para vir ao Brasil por conta dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. -Francisco se negou a vir ao Brasil e ainda deu um puxão de orelha no presidente que tem o menor índice de aprovação da história. “Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, Papa recusa convite para vir ao Brasil e pede a Temer atenção


TRUMP – O SÍMBOLO DOS TENTÁCULOS  MAIS PERVERSOS DO LIBERALISMO SELVAGEM     - (…) As propriedades do presidente Donald Trump em todo o mundo trazem consigo parceiros de negócios de todo o mundo. Vários destes laços já estão sob escrutínio: Uma torre com a marca Trump em Baku, no Azerbaijão , colocou-o em negócios com funcionários supostamente corruptos, que são eles próprios ligados à Guarda Revolucionária Iraniana, por exemplo, enquanto duas propriedades na Indonésia ligá-lo a funcionários Implicado em um escândalo de suborno e uma tentativa de motivação racial para expulsar um governador sentado. Excerto  Donald Trump's Conflicts of Interest: A Crib Shee....A Organização Trump é uma empresa de guarda-chuva para centenas Donald Trump de investimentos em imóveis, marcas e outros negócios.

ATÉ ONDE VAI O DESASTROSO MARKETING - A AMÉRICA DA CIÊNCIA NÃO PRECISAVA DESTA GROSSEIRA HUMILHAÇÃO 


Rejeito o rótulo de "muçulmano moderado". Sempre me apresento como um "muçulmano radical" para recuperar o termo. (…) O mundo de fantasia perigoso de Trump é aquele onde a violência flui das fronteiras da América para um distante "mundo muçulmano" na forma de vendas de armas e operações militares, enquanto os empregos e os dólares e o petróleo fluem para os Estados Unidos. A violência que flui para a América pode ser bloqueada nas fronteiras simplesmente banin-do corpos muçulmanos. O mundo muçulmano é tolerado, desde que sirva aos interesses americanos de longe. Trump Addressed a 'Muslim World' That Does Not Exist 

ELES SÓ ENXERGAM CIFRÕES -NÃO IMPORTA QUE VENHAM DO DIABO  MAIS PINTADO  - DIRIGENTES LIBERAIS É TUDO DA MESMA MASSA 

 Mas quem é o politico, que olhando unicamente para os cifrões,  quer lá saber das crenças ou religiões? Sim, é  na Arábia Saudita, que se encontra Donald Trump, o Presidente do  pais que se considera a maior democracia do mundo , a vanguarda dos direitos humanos, e da ciência e do poder económico 


Trump vende armas a Riade e dança com espadas – Com que são executados os cristãos

O presidente norte-americano, Donald Trump, teve ontem uma calorosa receção em Riade, onde anunciou a assinatura de um acordo de 110 mil milhões de dólares para a venda de armas à Arábia Saudita - que pode chegar a 380 mil milhões nos próximos dez anos. À noite participou na tradicional dança ardah, com espadas, ao lado do rei Salman. http://www.dn.pt/mundo/interior/trump-vende-armas-a-riade-e-danca-com-espadas-8492283.html




DANÇAS COM AS MESMAS ESPADAS MANCHADAS DE SANGUE 







Como é possível, que num país, com a dimensão dos EUA, onde naturalmente não faltarão homens de saber, quer nas academias, quer até na vida social, politica, cultural, cientifica  e económica, se elege um Donald Trump?  Claro que através da fraude dos votos e da manipulação e alienação da opinião publica pelos órgãos sob controlo do grande capital. É que não se descortina que, na crista daquela  amarelada trunfa,  haja  o mínimo de sensatez e de competência para o desempenho de tão  altas responsabilidades, senão a tentação irresistível  para o perigoso belicismo mercenário e a esperteza para o golpismo desenfreado, servindo interesses particulares ou de grupos.


É noticia mundial, que, na  manhã deste último sábado,  20 de maio, o presidente norte-americano Donald Trump desembarcou em Riad , capital da Arábia Saudita,  para uma  visita de dois dias,  na sua primeira viagem oficial ao exterior como presidente dos EUA

A esperá-lo, ao fundo das escadas do avião presidencial,  estava o  rei saudita Salman bin Abdulazi rodeado da sua corte, com vista  assinar  um acordo de US $ 110 bilhões para a venda de armas de vários tipos dos Estados Unidos para a Arábia Saudita, negócio este que lhe valeu ser amedalhado com um luzente cordão de ouro ao pescoço


Trump partirá, no final de domingo,  para dois dias em Israel - em Tel Aviv, Jerusalém e Belém. A seguir será em Roma e no Vaticano - em 24 de maio, para se encontrar com o Papa Francis e o Presidente da República Sergio Mattarella - e em Bruxelas, Bélgica, onde em 25 de maio, se reunirá entre outros o novo presidente francês Emmanuel Macron. Em 26 e 27 de maio será vez na Sicília para se juntar ao G7 em Taormina e para visitar soldados americanos em uma base militar em Sigonella, a do famoso crise Sigonella, que começou com o sequestro do navio de cruzeiro italiano Achille Lauro Il primo viaggio all'estero del presidente Trump - Il Post

Execuções na Arábia Saudita atingem maior nível em 20 anos




09/11/2015 Amnistia Internacional denuncia que país executou pelo menos 151 pessoas em 2015, o maior número desde 1995
A Arábia Saudita executou pelo menos 151 pessoas neste ano, o maior número desde 1995 e muito acima do índice anual dos últimos anos, que raramente passou dos 90 prisioneiros executados, denunciou a Anistia Internacional nesta segunda-feira.
A decapitação é a forma mais comum de execução na Arábia Saudita. Já os fuzilamentos, embora praticados em alguns locais do país, não são frequentes. Execuções na Arábia Saudita atingem maior nível em 20 anos, di


Planeta Terra, dirigido pelo capitalismo egoísta, selvagem  e destrutivo, a caminho do abismo e da lei do mais forte – Na China, Poluição na China mata 1,6 milhão de pessoas por ano, cerca de 4,4 mil mortes por dia, revelou um estudo realizado pela Berkeley Earth e publicado pela revista "Plos One". Os maiores produtores do problema são as grandes fábricas que queimam carvão, diz o estudo. "Grande parte da poluição do ar de Pequim vem da produção industrial



A queda do muro de Berlim, que começou por ser um bom pronúncio, afinal, depressa de converteu na expressão – à escala universal de um desequilíbrio de forças em torno de um único poder:  o dos cifrões, venham donde vierem, não importa a origem a forma como são acomulados, mas a sua quantidade  Enfim, o campo aberto à  fulgurante ascensão   do mais despudorado  e desumano liberalismo  selvagem – E até mesmo aqueles países, que ainda mantêm a foice e o martelo, como símbolo, como a China, tudo isso não passa de um grosseiro disfarce para escudar a ganância e o expansionismo imperialista dos bilionários da elite politica e económica, poderem continuar a reprimir quem se lhe oponha e
  amealharem  á sua vontade.


ELES  NÃO DISTINGUEM  NEM A ORIGEM NEM A  COR DOS CIFRÕES - A VIDA HUMANA  PARA O LIBERALISMO SELVAGEM É ZERO - SEJA  ONDE FOR




A esmagadora maioria de governantes, em todo o mundo,  está ao lado dos grandes interesses económicos, das classes privilegiadas e não para  defenderem politicais sociais em prol das massas: ainda se ao menos fossem, governantes, minimamente competentes e honestos, bem pelo contrário: o seu cinismo raia a loucura, a vaidade e o despudor – Veja-se o beija-mão de Trump ao pais que  instaurou e a pena capital para quem carregar Bíblias para dentro da Arábia.

Já é proibido aos não muçulmanos entrarem naquela cidade. De modo geral, a perseguição religiosa só aumenta. Não há igrejas conhecidas e a maioria dos cristãos naquela nação são imigrantes estrangeiros.

Agora, o governo do país que já se diz regido pela lei sharia, anuncia modificações em uma lei sobre literatura. Isso poderá marcar o fim do cristianismo na região. O motivo é simples: está prevista pena capital para quem carregar Bíblias para dentro da Arábia. Ou seja, o que já era considerado contrabando, agora chega ao extremo. Não se pode comprar legalmente uma cópia das Escrituras por http://www.bbc.com/portuguese/noticias/000000_parabiasaudita.shtml

Arábia Saudita intensifica repressão contra ativistas de direitos humanos


As autoridades da Arábia Saudita deram início ao ano de 2017 com o intensificar da repressão contra os ativistas de direitos humanos, desferindo um novo golpe brutal contra os derradeiros vestígios da já muito atacada sociedade civil no país, alerta a Amnistia Internacional.

Vários ativistas foram detidos ou levados a tribunal nas semanas recentes em processos que estão relacionados com o trabalho pacífico de defesa dos direitos humanos que desenvolvem, o que indicia que as autoridades sauditas planeiam continuar com a brutal repressão contra a dissidência pacífica no país, que a Amnistia Internacional tem documentado exaustivamente – incluindo o caso do blogger e ativista Raif Badawi, condenado em 2014 a dez anos de prisão e mil chicotadas. Arábia Saudita intensifica repressão brutal contra ativistas de direitos .

Arábia Saudita executa 47 pessoas e corta relações com o Irão

4 de Janeiro, 2016  A ditadura saudita anunciou a execução de 47 pessoas, incluindo um líder religioso xiita. Em Teerão, os protestos não se fizeram esperar e os sauditas cortaram relações com o Irão. Amnistia e ONU condenam execuções. Robert Fisk diz que execuções são dignas do Estado Islâmico. Recorde a visita de Paulo Portas à Arábia Saudita. Arábia Saudita executa 47 pessoas e corta relações com o IrãoLíder da Câmara de Comércio luso-saudita envolvido em desvio d

Escândalo de corrupção EUA-Arábia Saudit – Príncipe saudita Bandar recorre à Opus Dei


O maior escândalo de corrupção da História – o caso Al-Yamamah – continua a abalar os Estados anglo-saxónicos. O príncipe saudita Bandar bin Sultan, filho adoptivo dos Bush, é acusado de ter cobrado e distribuído grandes comissões ocultas sobre as vendas de armas da empresa anglo-estadunidense BAE Systems à Arábia Saudita.  -
Numerosos observadores consideram que as quantias astronómicas que circularam por baixo das mesas eram utilizadas para o financiamento das “operações secretas da CIA nos meios sunitas”, o que geralmente designa a ligação da CIA à Al Qaeda  Escândalo de corrupção EUA-Arábia Saudita - J


A falsa guerra da coalizão ocidental contra o terror no Oriente Médio
A Coalizão Internacional contra Daesh, liderado pelos Estados Unidos e os seus fiéis fantoches europeus e do Oriente Médio, na sua aparente luta contra os terroristas takfiríes não tem sido um fracasso, nem é um erro, não um fiasco premeditado. É uma operação bem planejada da ordem de longo alcance e sustentado para derrubar o governo sírio, fragmentando Iraque, enfraquecendo o poder regional do Irã e impedir o avanço russo ao sul e a Europa do leste e os seus aliados praticam assim um perigoso jogo duplo, tão imoral como o suicídio, que significa, por exemplo, que a Turquia é hoje um dos países por onde passa o maior número de combatentes estrangeiros, que se juntam às fileiras de Daesh, atravessando a fronteira Turco-Síria, sem que haja tomado contra Ancara qualquer medida de contenção ou deu qualquer tipo de críticas por violar o direito internacional, uma resolução condenatória do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) e o estabelecimento de sanções por apoio ao terrorismo.

Certamente o contrabando lucrativo de petróleo, roubado dos poços de Mosul, Baiji, Mayadin, Deir al-Zur ou Al-Raqa são um poderoso incentivo que, o governo de Erdogan continua a apoiar o terrorismo salafista, enquanto dedica seus esforços militares para combater as forças curdas ou ocupação militar de grandes partes do norte do Iraque em busca de seu objetivo de política neo-otomano. http://www.iranews.com.br/a-falsa-guerra-da-coalizao-ocidental-contra-o-terror-no-oriente-medio/

Nenhum comentário: