expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Incêndios 2017 - Portugal Queimado e vai Arder Mais – Previmos Tragédia de Setembro em Chamas - Televisões. Incentivam pirómanos e indústria incendiária - Espetáculo Televisivo politico e sensacionalista da media liberal, estimula a mente doentia dos pirómanos, a perversa ambição dos políticos de terra queimada para promoverem a sua demagogia e facilitar em a indústria do fogo nos matagais de um país de oportunistas e preguiçosos: desde a irresistível chulice dos subsídios estatais, passando pelos chorudos lucros dos madeireiros e das celuloses, especulação imobiliária, aos controversos negócios dos meios aéreos e viaturas de combate

Por Jorge Trabulo Marques - Jornalista -Informação e análise 



Estas palavras foram escritas por nós, neste site, em 17/07/2017 , sob o título: “SUBSÍDIOS VÃO INCENDIAR O PAIS  - Espanha limpa as florestas, Portugal cultiva o mato - Incêndios – Pedrogão Grande, Alijó, Oleiros, Mangualde e por aí adiante – A devastação  incendiária vai continuar porque há subsídios na mira para sacar  e a industria dos incêndios  para alimentar - Um pais arder porque  ninguém quer limpar o mato à volta das casas,  imersas por arvoredo e capinzal,  nem as bermas das estradas e proprietários, absentistas, esperam que seja o Estado a encher-lhes os cofres – Os madeireiros, que empregam mão-de-obra precária e mal paga, agora falam em postos de trabalho que não promovem” 17/07/2017 - SUBSIDIOS VÃO INCENDIAR O PAIS - templos do sol - tambores ...






Este vídeo previu a tragédia de Setembro – Foi gravado no dia 20 de Agosto  - E o autor já imaginava  que a tirania do espetáculo mediático sensacionalista, sob controlo do liberalismo selvagem, iria promover os instintos dos incendiários: pirómanos, de criminosos políticos e da industria incendiária nas zonas do pais onde não se limpam as matas, nem o mato à volta das fábricas e das casas – Para depois o estado ser responsabilizado – Quando o bandido rouba a culpa é do policia; quando as matas ardem, atira-se a culpa aos bombeiros e ao Governo que não  fizeram o trabalho que competia às autarquias de fazer cumprir as leis,  que impõem que a “A limpeza de terrenos junto de habitações é obrigatória” http://www.icnf.pt/portal/icnf/faqs/dfci/obrigat-limp-habi


NÃO RETIRAMOS UMA PALAVRA DO QUE ESCREVEMOS NO DIA 17 E JULHO PASSADO

grande parte de Portugal é um um enorme matagal

 PIOR A EMENDA QUE O SONETO - VAI HAVER MUITOS FOGOS PARA SE CANDIDATAREM AOS SUBSÍDIOS  E CHAMUSCAREM O GOVERNO

16/06/2015 Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países Inquérito sobre fraude e corrupção em 38 países coloca Portugal na 5.ª posição dos mais corruptos, a seguir à Croácia, Quénia, Eslovénia e Sérvia, e depois da Índia e Ucrânia. Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países - Diário de Notícias  03/12/2013 -Corrupção em Portugal é "dramática" e está ligada à política 03/12/2013 - Corrupção continua a ser um dos principais problemas em Portugal16/11/2016 

A GRANDE DEVASTAÇÃO AINDA MAL COMEÇOU 


Com as profundas alterações climatéricas, devido às agressões da poluição, pelos países asiáticos, e ainda para mais com eleições à porta, tudo se conjuga para que a devastação incendiária seja galopante: até porque, cortar as árvores dá muito trabalho, pelo que, nestas coisas, a criminosa indústria incendiária ou através de mentes perversas, está sempre a salvo, menos as vidas que são apanhadas pelas labaredas



Com as profundas alterações climatéricas, devido às agressões da poluição, pelos países asiáticos, e ainda para mais com eleições à porta, tudo se conjuga para que a devastação incendiária seja galopante: até porque, cortar as árvores dá muito trabalho, pelo que, nestas coisas, a criminosa indústria incendiária ou através de mentes perversas, está sempre a salvo, menos as vidas que são apanhadas pelas labaredas

SUBSÍDIOS VÃO INCENDIAR O PAIS  - Espanha limpa as florestas, Portugal cultiva o mato - Incêndios – Pedrogão Grande, Alijó, Oleiros, Mangualde e por aí adiante – A devastação  incendiária vai continuar porque há subsídios na mira para sacar  e a industria dos incêndios  para alimentar - Um pais arder porque  ninguém quer limpar o mato à volta das casas,  imersas por arvoredo e capinzal,  nem as bermas das estradas e proprietários, absentistas, esperam que seja o Estado a encher-lhes os cofres – Os madeireiros, que empregam mão-de-obra precária e mal paga, agora falam em postos de trabalho que não promovem

Vão ver, como vamos assistir através dos telejornais, ao corrupio  da pedinchice dos subsídios do Estado e da CEE para depois, além de queimados, ainda   ficarmos mais depenados: como se o dinheiro não viesse  dos impostos dos contribuintes - Nomeadamente da classe media, já que, o tecido empresarial, sejam medias ou  grandes empresas, sabem muito bem como furtarem-se ao fisco

Espanha
ESPANHA HÁ MUITO DEFENDEU  A PRESERVAÇÃO FLORESTAL - Política Florestal na Espanha desenvolve através de um programa florestal, conforme definido no Painel Intergovernamental sobre Florestas das Nações Unidas em 1997, tendo os principais objectivos contribuir para o desenvolvimento rural da silvicultura manter e melhorar o estado de conservação as montanhas e seu potencial económico.

Para determinar o grau de cumprimento das metas existentes no programa silvicultura e planejando uma série de relatórios nacionais e internacionais disponíveis no monitoramento seção são usados. Política Forestal en España - Planificación forestal - Política forestal .... Agentes Forestales y Medioambientales de España - APAF-Madrid

A GRANDE DEVASTAÇÃO AINDA MAL COMEÇOU  - 17 -07- 2017



Com as profundas alterações climatéricas, devido às agressões da poluição, pelos países asiáticos, e ainda para mais com eleições à porta, tudo se conjuga para que a devastação incendiária seja galopante: até porque, cortar as árvores dá muito trabalho, pelo que, nestas coisas, a criminosa indústria incendiária ou através de mentes perversas, está sempre a salvo, menos as vidas que são apanhadas pelas labaredas



Com as profundas alterações climatéricas, devido às agressões da poluição, pelos países asiáticos, e ainda para mais com eleições à porta, tudo se conjuga para que a devastação incendiária seja galopante: até porque, cortar as árvores dá muito trabalho, pelo que, nestas coisas, a criminosa indústria incendiária ou através de mentes perversas, está sempre a salvo, menos as vidas que são apanhadas pelas l

Espetáculo Televisivo estimula a mente dos pirómanos e dos políticos de terra queimada para promoverem a sua demagogia

"Verão de 2005, o país a arder, e a cobertura dos incêndios não descolava dos ecrãs: era uma questão de “share incendiário”, como lhe chamou Eduardo Cintra Torres num artigo de opinião divulgado no “Público”. Os canais generalistas chegaram a sentar-se para tentar um acordo sobre o tempo dado à cobertura. E o então ministro da Administração Interna, António Costa, sublinhava as “diferenças da cobertura dos incêndios noutros países: menos duração, menos chamas”.

Não chegou a haver acordo e, prossegue Cintra Torres - que atualmente é comentador da CMTV -, esta nem era a primeira vez que se discutia a contenção. Já em 2004 houve uma “tentativa de acordo por parte de Sevinate Pinto, ministro da Agricultura”. 
Portugal em chamas, bombeiros “exaustos”. As equipas de reportagem dos vários canais espalham--se pelo terreno - desde o Funchal a Ponte da Barca, passando por Silves, Arouca, Gouveia... A lista continua, tão longa quanto o número de fogos. 

Nos diretos fez-se o ponto das situações e da área ardida. E como de costume, muitas das imagens mostravam não só o combate às chamas como os populares em desespero pela possibilidade de perderem as suas casas e terrenos. A pergunta de 2005 mantém-se este ano e manter-se-á em todos os verões em que os incêndios persistirem: será esta a cobertura mediática adequada nestas matérias? Poderá o excesso de imagens incentivar pirómanos em potência?10/08/2016 Cobertura dos incêndios pode ter “um efeito de contágio” - 

NÃO BASTA LEGISLAÇÃO PARA CONDENAR OU ENCLAUSURAR OS  PIRÓMANOS MANÍACOS – Estes são apenas parte do problema: porque também haverá quem os ateia para ganhar dinheiro  e até com fins políticos de arranjarem argumentos para verberarem ódios, calúnias e  acusações.

Todas as semanas, milhares de pessoas em todo o mundo são vítimas de incêndio criminoso.”, dizem especialistas" Nós descobrimos que os incendiários tendem a concordar com frases como 'fogo faz parte da minha vida , ' 'não seria nada sem fogo' ou 'faz parte da minha personalidade ,disse Gannon a BBC Health Check . La mente de un pirómano | Noticias generales | elmundo.es

Em Portugal, a percentagem de pessoas com problemas clínicos envolvidas em crimes de incêndio tem vindo a aumentar: em 2007 e 2008, passou a ser a categoria dominante (55,5 por cento), enquanto, anteriormente, eram maioritários os casos de pessoas que agiam por vingança ou retaliação. Os dados resultam de um importante estudo sobre o perfil do incendiário coordenado por Cristina Soeiro, psicóloga e professora no Instituto Superior da Polícia Judiciária e Ciências Criminais (ISPJCC)(…) no qual se revelam traços de alcoolismo, esquizofrenia e atrasos mentais.Mentes em chamas

Sim, não basta legislar:  “a medida integra um pacote mais vasto de alterações ao Código Penal que, se forem por diante, permitirão que as pessoas condenadas a penas até dois anos de cadeia fiquem em casa com pulseira electrónica durante esse período, podendo eventualmente sair para irem trabalhar – uma prerrogativa aplicável não só aos incendiários mas aos autores de outros crimes, assim o entenda o juiz encarregue de analisar cada caso concreto. Governo quer prender incendiários em casa no Verão - PÚBLICO

"Há, sobre o incêndio de Pedrógão, uma investigação em curso. Ministério Público e Polícia Judiciária terão de ouvir todas as testemunhas com relevância e informação. Mas espera-se que quem na praça pública tem repetido não ter dúvidas de que houve origem criminosa tenha dados concretos para apresentar. O contrário seria de uma irresponsabilidade preocupante. Um país de incendiários - Jornal de Notícias

 TERRORISMO MEDIÁTICO INCENDIÁRIO 

A Media em Portugal não informa. Não faz jornalismo, faz terrorismo e do mais descarado e persecutório. Cada vez mais cai no descrédito e se assemelha à tipologia dos jornais do crime – Já não há jornais sérios ou TVs de referência: é tudo  da mesma família politica e todos se imitam-se até à náusea e à vertigem pela mesma cartilha.

Sob o pretexto de informar, ateia ainda mais os fogos: já não lha bastam as fontes credíveis, ouvir as emoções  das pessoas atingidas, as opiniões e o ponto da situação dos   comandos dos bombeiros ou outras entidades,  lançam ainda mais  a  confusão incendiária e o alarme social, satisfazendo o ego dos pirómanos e dando  visibilidade a todo o tipo de oportunistas e charlatães, com propósitos inconfessáveis.

Contribuindo para a propagação de  extensas áreas florestais  ardidas, quer as de difíceis acessos, quer   mesmo as manchas arbóreas e de mato, que ladeiam caminhos e estradas públicas,  que os proprietários absentistas não  limpam, mas esperam pela fatia dos subsídios, tal como  são descuradas as bermas dessas vias, por parte das autarquias e concecionárias, o mesmo sucedendo aos matagais envolvendo as   habitações,  cuja limpeza é descurada pelos seus moradores, que, só depois, quando as chamas as ameaçam,  se lembram de Santa Bárbara:  vociferam pela presença dos bombeiros, que não podem chegar a todo o lado ou pegam numa mangueira ou num bale de água, se é que já dispõem de tempo para o fazer -  Quando é que se responsabiliza e pune esta lamentável incúria

ELITES RUINS E O POVO PASMADO POR FALTA DE LIDERANÇAS SÉRIAS E RESPONSÁVEIS  -  O que esperam os donos das casas que nem sequer limpam o mato em redor das suas casas? – Que sejam os bombeiros a ocuparem-se dessa elementar obrigação?.... Basta transpor a fronteira de Portugal para Espanha, ou vice-versa, por via área ou terrestre, para constatar que o dito jardim à beira-mar plantado, dominado pelo caciquismo parasita, tem mais semelhanças com a negligência dos países africanos ou do terceiro mundo, que com o resto da Europa  - Descendentes de selvagens  pastores de Viriato,  que os romanos se viram gregos para domesticar, tendência agravada mais tarde com a expansão colonial, assim parece persistir a mentalidade ancestral dos chamados lusitanos. 

NÃO RETIRAMOS UMA PALAVRA DO QUE ESCREVEMOS NO DIA 17 E JULHO PASSADO
grande parte de Portugal é um um enorme matagal

 PIOR A EMENDA QUE O SONETO - VAI HAVER MUITOS FOGOS PARA SE CANDIDATAREM AOS SUBSÍDIOS  E CHAMUSCAREM O GOVERNO

16/06/2015 Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países Inquérito sobre fraude e corrupção em 38 países coloca Portugal na 5.ª posição dos mais corruptos, a seguir à Croácia, Quénia, Eslovénia e Sérvia, e depois da Índia e Ucrânia. Portugal é o 5.º mais corrupto entre 38 países - Diário de Notícias  03/12/2013 -Corrupção em Portugal é "dramática" e está ligada à política 03/12/2013 - Corrupção continua a ser um dos principais problemas em Portugal16/11/2016 



Basta transpor a fronteira espanhola para ver como o território espanhol está limpo e bem aproveitado  - Em Portugal, cultivam-se  o absentismo, a irresponsabilidade e a mama dos subsídios – Patrocinada pelo espetáculo macabro das televisões, que, em   vez de contribuirem para o esclarecimento público e do combate aos incêndios criminosos, bem pelo contrário, lançam nuvens de labaredas de fumaça e de confusão, através de todo um chorrilho de palavreados pelos seus ecrãs: propaga-os, deixando ainda mais o país arder:

EFEITOS DEVASTADORES DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS: desertificação  e o esgotamento dos solos por via das secas e diminuição da humidade, drásticos golpes na diversidade da flora, que a predispões ao aparecimento de  doenças e pragas e consequente redução da vida selvagem


09-08-2016 por João Brandão Ferreira Este problema tem basicamente 42 anos, mas o país inteiro tem sido absolutamente incapaz de o resolver. Convenhamos que é uma grande incompetência colectiva!

(….) Desde sempre que houve florestas; desde sempre que houve pessoas – e o seu grau de educação sempre tem evoluído; sempre houve pirómanos e desequilibrados; sempre houve calor e outros fenómenos meteorológicos propiciadores a fogos; as preocupações com o ambiente têm aumentado (e bem) exponencialmente; os meios tecnológicos à disposição são cada vez mais e melhores, etc.; tem havido tudo isto, mas o número de incêndios florestais (é desses que estamos a tratar), não cessa de aumentar!

Outra constatação é que se trata de um fenómeno complexo e interdisciplinar (e por isso interministerial) e é tendo isto em conta que deve ser tratado. Aparentemente as investigações feitas a nível da Polícia Judiciária, não revelaram até agora nenhuma teia de nexos. Provavelmente a razão está no que dissemos atrás: não haverá apenas uma “teia”, mas várias...

Julgamos que a principal razão que leva a este aumento de fogos, cuja esmagadora maioria vem a público como tendo origem criminosa – embora sempre difusa – tem a ver com “negócios” a que se convencionou chamar “o negócio do fogo”, ou “a indústria do fogo”. Ou seja, quanto mais dinheiro o governo anunciar que vai injectar no combate aos fogos, mais fogos irá haver...
Sem querermos referir dados concretos iremos dissertar sobre algumas áreas onde o “negócio” do fogo pode ter lugar e noutras onde o “combate” não se está a fazer com a desejada eficácia. O assunto é melindroso, mas tem de ser tratado. Não se pretende lançar acusações ou generalizar, mas é preciso “podar os ramos podres” para não matar a árvore. A pergunta tem que ser posta e é esta: a quem interessará o fogo?

Nenhum comentário: