expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 3 de abril de 2018

FINIS PATRIAE -Portugal roubado e vendido por vendilhões e traidores- - Faltam-nos patriotas com a garra de Guerra Junqueiro: “depois de Nun'Álvares, um herói e um santo, foi uma sucessão de intrigantes mesquinhos, de maus doidos, ou de egoístas vulgares. A grande herança do herói esmagou os seus descendentes” - Depois de caçados por tiranos Vamos caçar borboletas!


Falam os Hospitais:
Tossi, tossi, pulmões desfeitos,
Em vielas lôbregas sem ar!
Nos dormitórios faltam leitos...
Tossi, pulmões, nos largos peitos,
Tossi, que a Morte quer jantar!


Morrei de fome, no abandono,
Mendigos trôpegos, senis...
E invejai, não o rei no trono,
Mas os cães grandes que têm dono
E as feras más que têm covis!.
..


13/10/2016  Portugal tem maior incidência de tuberculose do que o resto da Europa ...

COM OS MELHORES NEGÓCIOS NAS MÃOS DE CHINESES, INDIANOS, PAQUISTANESES  E ANGOLANOS,  E O INTERIOR DE PORTUGAL, QUEIMADO E DESPOVOADO – O QUE RESTA AOS PORTUGUESES


"Crianças rotas, sem abrigo...
A enxerga é pobre e a roupa é leve...
Quarto sem luz, mesa sem trigo...
Quem é que bate no meu postigo?
    - A Neve!

A usura rouba a luz e o ar
E o negro pão que a gente come...
Inverno vil... Parou o tear...
Quem vez sentar-se no meu lar?
    - A Fome!!~


16/05/2017 Quase 2,6 milhões de portugueses em risco de pobreza


LEMBRANDO A OBRA E A CORAGEM DO POETA GUERRA JUNQUEIRO -  EM TEMPO DE VENDILHÕES E TRAIDORES DA PÁTRIA  - Diz em Finis Patrie, que depois de Nun'Álvares, um herói e um santo, foi uma sucessão de intrigantes mesquinhos, de maus doidos, ou de egoístas vulgares. A grande herança do herói esmagou os seus descendentes


Falam Condenados:
"Faminto, nu, sem mãe, sem leito,
    Roubei um pão.
Quem vai além de farda e de grã-cruz ao peito?
    - Um ladrão!
Todos os crimes da Desgraça
    Em mim reúno.
Quem vai além tirado a parelhas de raça?
    - Um gatuno!""




HORAS DE LUTA. HORAS DE COMBATE – GUERRA JUNQUEIRO


"Depois de caçar tiranos
Vamos caçar borboletas!"

“A sociedade portuguesa está organizada para o mal. Não é já o mal esporádico e fortuito, em casos isolados que rapidamente se combatem. Não; é o mal colectivo, o mal em norma de vida, o mal em sistema de governo. Os poderes funcionam deliberadamente, com um fim: produzir o mal. Porquê e para quê? Porque o mal são eles e querem conservar-se. Um regímen corrupto só na corrupção subsiste. Mantém-se na corrupção, como alguns bacilos na porcaria. O seu ódio ao bem é fundamental e orgânico.
A filosofia da vida dum tal regime é a filosofia do porco: devorar” [ibidem]

"Então o povo que deixa prostituir a consciência, roubar os direitos, vilipendiar a história, o povo cobarde que não defende a honra, quer defender a camisa?
Que lha levem, com o último pão, os últimos andrajos! Que ruja de frio, que estoire de fome! A fome é como o fogo: abrasa e depura. Os que aviltam gozando, só se regeneram sofrendo. Não venham libras, venham desastres. Sobre a nossa infâmia chovam calamidades e tormentos" [ibidem]

Guerra Junqueiro
, in Horas de Luta (Livraria Lello) e Horas de Combate(Livraria Chardron)  https://portuga-coruche.blogs.sapo.pt/534908.html


É negra a terra, é negra a noite, é negro o luar.
Na escuridão, ouvi! há sombras a falar: 

(...) Uma Voz na Treva:

Já Deus, coveiro de colossos, 
Ó Portugal, ó maldição!,
Dia e noite martela a tumba onde os teus ossos
Na cripta do silêncio eterno dormirão!

 Com fúria doida, ó vento, escarvas
 Na poeira triste.... Em vão, em vão!
Tudo é morto! Na terra há unicamente larvas,
E a luz que fosforeja ainda é podridão!



Mas que castelo sobranceiro
 Ao mar profundo erguendo estão?...
É reduto d'heróis, que em transe derradeiro
Querem bater-se com as feras bravas



Rendas em Lisboa. Antes do despejo, vem o “bullying imobiliário .......«Lei dos despejos» de Cristas continua a agravar rendas mento das rendas desgasta famílias, afirma Associação dos Inquilinos… Rendas altas, inquilinos sem direitos, despejos - gasta famílias, afirma Associação do

SEM VERGONHA E SEM ESCRÚPULOS -  Mas como é possível que bilionários de uma das mais ferozes ditaduras do mundo, passem a controlar a imprensa de um pais democrático? - Erradicar com o diário mais antigo de Portugal?!!...  ~

Obviamente para se servirem como alavanca de controlo e de pressão: -   Chineses querem passar DN a semanário e criar uma web TV no grupo- A alteração da periodicidade do Diário de Notícias vai implicar também uma reestruturação da redacção.  Chineses querem passar DN a semanário e criar uma web TV no grupo


O LIBERALISMO SELVAGEM – SEM IDEAIS - SÓ OLHA AOS CIFRÕES  PRIVADOS . VENDERAM A ALMA AO VIL METAL - Macron rejeita dar “lições” à China sobre Direitos Humanos… G1 - China prendeu quase mil defensores dos direitos humanos



Os casinos, a banca, os seguros, os hospitais privados,  a EDP, a empresa mais lucrativa nacional, nas mãos dos gulosos bilionários chineses - Quando algum  realizador português, pretender realizar um filme, nao encontra apoio de nenhuma fundação ou empresa privada, já que está tudo sob controlo materialista chino



BRANQUEARAM A DÍVIDA AOS CALOTEIROS QUE NOS COMPRARAM O PATRIMÓNIO COM O NOSSO DINHEIRO


Em 29/11/2011 -  a dívida de Angola a Portugal totalizava 1,04 mil milhões de euros, anunciou o ministro das Finanças angolano, citado hoje pela agência - Nunca mais de falou  - Angola dívida a Portugal soma eur1,04 mil milhões - Expresso.pt




A Fundação tem recrutado para a sua Administração gente oriunda da vida política e "banqueiros" (melhor seria dizer gestores bancários): Isabel Mota, Teresa Gouveia, Marçal Grilo, André Gonçalves Pereira, Artur Santos Silva, Diogo Lucena, Rui Vilar. Nenhum destes gestores tem a menor sensibilidade ou currículo académico na área cultural." Gulbenkian- uma nota - Crítico

ALGUMA VEZ ISTO ACONTECERIA COM AZEREDO PERDIGÃO VIVO? -


Entrevista que me concedeu um homem dedicado e honrado

Fundação Gulbenkian vai sair do negócio do petróleo. Negociações em curso com investidores chineses Fundação Gulbenkian vai sair do negócio do petróleo. Negociações .... Quem são os chineses que querem comprar o petróleo da Gulbenkian ..... Gulbenkian prepara-se para abandonar negócio do petróleo > TVI2

Falam Estátuas d'Heróis:
Ó raça triste, ó raça espúria
De miseráveis sem valor!
Sob o azorrague e sob a injúria,
É de comédia a vossa fúria,
É de entremez a vossa dor!


Vergonha ignóbil! O que importa
Contra um Leopardo a indignação,
Se consentis que à vossa porta
A Liberdade seja morta,
Estrangulada por um cão?!

Que admira enfim que uma pantera
De garras d’aço e olhar sombrio
Coma, num bom jantar de fera,
Um povo podre, que tolera
Os dentes maus dum cão vadio?!






Pois esse povo agonizante, 
Quando revive para a história,
E vai, frenético e radiante,
Saudar a estátua do gigante
Cantor da sua eterna glória,



Deita a fugir, (como é fictícia 
Vossa bravura, homens venais!) 
Vendo um corcunda, que imundícia! 
E um rei d'espadas (de polícia) 

Com quatro esbirros, nada mais!..

E ousais falar, bocas impuras,
Em glória, em honra, em pátria, em Deus!
E ousais erguer das sepulturas
Nossas hercúleas armaduras,
Chatins! chatins! pigmeus! pigmeus!


OBVIAMENTE QUEM QUEM LUCRA COM OS NEGÓCIOS ORIENTAIS NÃO É  O MEXILHÃO CHINÊS, QUE É POVO E QUE TAMBÉM É ESCRAVIZADO COM HORÁRIOS PESADÍSSIMOS MAS UM PUNHADO DE BILIONÁRIOS E OS SEUS TESTAS DE FERRO,




A RESTAURAÇÃO DA BAIXA LISBOETA ESTÁ NAS MÃOS DE PAQUISTANESES, CHINESES  E DE UMA CEITA RELIGIOSA BRASILEIRA – QUE DETÊM 64 RESTAURANTES –

Depois das lojas do comércio (para já não falar da EDP, REN e por aí adiante) os chineses, indianos, paquistaneses espalharam lojas de fruta por toda a cidade de Lisboa - E certamente o mesmo estará acontecer no Porto e noutras cidades. Se o português quiser estabelecer-se, debate-se com mil dificuldades. Não lhe resta outra solução que ficar no desemprego ou arrumador de carros.Se quiser emigrar para Angola, tem de fazer sociedade tipo cambalacho, com mafiosos locais,  à semelhança do que sucede na Rússia; de outro modo não se safa. E, aqui, em Portugal, é capaz de haver esquemas semelhantes (com mafiosos no poder local ou central) para privilegiar  negócios estrangeiros. Instalam-se por todo o lado e vão deixando os mercados tradicionais às moscas. O Mercado de Arróios é um dos exemplos. As rendas são caras, e, então, agora com as  lojas de fruta de chineses e indianos à volta, cada vez o mercado vai ficando mais deserto e a vida mais difícil às pequenas bancas. Muitas dessas lojas ou fecham às oito da noite ou estão mesmo abertas até à meia-noite. Operam quase ao estilo de mine-mercados ou de tabernas: pois vendem de tudo. Até bebidas.Criando, muitas vezes, junto da vizinhança, mau ambiente. 

(...)
Dizei, portões, dizei, cevados, 
Que resta enfim da nossa glória? 
Que é da altivez? - Jogou-se aos dados... 
Que é do estandarte? - Ei-lo em bocados... 
Que é da nação? - Morreu na história!

Do imenso império extraordinário
Só aos ladrões ficou defeso
O espaço triste e necessário
Onde o Bretão erga um Calvário
E cuspa, rindo, o seu desprezo!

E o povo? Inerte. E o rei? À caça.
Quem é que impera? O Deus Milhão...
Ah! Como é bom em tumba escassa,
Longe do Sol que vê tal raça,
Dormir, dormir na escuridão!...

Mas nem no túmulo cativos,
Dormimos bem!... Repouso atroz!...
Porque, ante os lances aflitivos,
Nós afinal somos os vivos,
E os mortos pútridos sois vós!

Sois vós os mortos ambulantes,
Tristes autómatos de pé,
Articulando por instantes,
Ocas palavras vacilantes,
Gritos sem dor, juras sem fé!

Lobos, abutres, corvos, hienas,
Panteras, linces e chacais,
Monstros vorazes de gangrenas,
Lúculos ímpios das obscenas
Larvadas carnes sepulcrais;

ENQUANTO O NEGÓCIO CHINÊS PROSPERA -Quase 6.700 empresas foram à falência em Portugal em 2012 Mas, afinal, o que o que é que estão os chineses a fazer em Portugal senão a fazer o seu negócio? Contribuindo para  o encerramento de lojas e fábricas e o desemprego - O grave de tudo isto é haver portugueses que não se importam de entrar no mesmo jogo.


A venda da EDP aos chineses da THREE GORGES - ficou prevista desde o momento em que a máfia chinesa se envolveu nas eleições presidências - Ou não é sabido quem apoiaram?!...   Os dirigentes chineses atuam com a maior frieza espartana - O comunismo neles é apenas um rótulo - É senão a capa do Capitalismo do Estado que explora as fraquezas do capitalismo liberal. 29/12/2010  Liga dos Chineses em Portugal anuncia apoio a Cavaco Silva - Destak

Vinde em tropel, em chusma, em bando,
Vinde às centenas e aos milhões,
Para o banquete miserando
Dum povo morto, fermentando
Numa estrumeira d'abjecções!


Monturo d'almas!... Excrementos
De tal baixeja e vilania,
Que nos esgotos mais nojentos
Fariam volvos truculentos
Ânsias de peste e d'agonia!

Catroga vai ganhar eur 45 mil por mês.....Catroga: "Se representasse o Estado não teria aceite...eduardo. por apenas 45 mil pentelhos por mês....Um salário desta natureza é mais ou menos pornográfico".....


Monturo d'almas!... Excrementos
De tal baixeja e vilania,
Que nos esgotos mais nojentos
Fariam volvos truculentos
Ânsias de peste e d'agonia!



Não há latrina que suporte
Tão baixo e cínico jantar!
Seu cheiro pútrido é tão forte,
Que a campa, estômago da Morte,
Era capaz de o vomitar!

Famílias vão ter a eletricidade mais cara da Europa....Electricidade vai ficar mais cara?...Um milhão de clientes com terceiro aumento... Consumidor já paga custos da supervisão dos serviços de gás e 


Vede lá, pois, corvos funéreos,
Que orgia opípara de rei!
Goelas sinistras de Tibérios,
Roucos glutões de cemitérios,
Comei! comei! comei! comei!

O garfo e a faca, o dente e a presa,
Cravai, cravai nesse festim!
Comei, limpai de todo a mesa!
Que nem suspeita d'impureza
Dessas carcaças reste enfim!

E em vez da raça digerida
Por ventre podres d'urubus,
Que dê a terra erva homicida,
Com mais nobreza para a vida,
Com mais direito ao ar e à luz!

E, por padrões assinalados
De tantas glórias imortais,
Basta que o ferro dos arados
Encontre um dia entre os silvados
Blocos dos nossos pedestais! 





A PROPÓSITO DO ULTIMATUM

À Inglaterra
(Fragmento)

Ó cínica Inglaterra, ó bêbeda impudente,
Que tens levado, tu, ao negro e à escravidão?
Chitas e hipocrisia, evangelho e aguardente,
Repartindo por todo o escuro continente
A mortalha de Cristo em tangas d'algodão.

Vendes o amor ao metro e a caridade às jardas,
E trocas o teu Deus a borracha e marfim,
Reduzindo-lhe o lenho a c'ronhas d'espingardas,
Convertendo-lhe o sangue em pólvora e bombardass,
Transformando-lhe o sangue em aguarrás e em gim!

Se é verdade ser o povo que faz os governos, não é menos verdade que a fraqueza dos príncipes e ministros, entibia as energias dos povos. Éramos a mesma gente quando, levados pela mão de Pombal, contínhamos em respeito essa própia Inglaterra que, umas dezenas de anos depois, nos dava Beresford como procônsul.- Guerra Junqueiro - Finis Patriae - Nautilus-FIS-UC-PT


Pirataria e falsificação da China ganham prémio e reconhecimento

De acordo com Departamento de Segurança Interna dos EUA, a China continental continua sendo a fonte mundial primária de produtos falsificados e pirataria por anos. Apenas em 2013, mais de US$ 1,1 bilhão em produtos falsificados jorraram da China, o que representa 68% de todas as apreensões feitas pelas autoridades aduaneiras dos Estados Unidos.
Em todo o mundo, 75% dos produtos falsificados apreendidos são provenientes da China, segundo dados de 2006-2010 coletados pela Organização Mundial das Alfândegas.
Há falsificadores chineses dos mais diversos e inconcebíveis, produzindo desde produtos alimentares engenhosos por baixo preço mas destrutivos para a saúde, como carne de carneiro comumente vendida por ambulantes que na verdade é feita com carne de pato ou porco temperada com química pesada, e que se tornou um item básico na indústria de espetinhos de carne, segundo a imprensa chinesa em artigos recente.
Nos últimos anos, os criativos falsificadores de alimentos inventaram uvas e ovos falsos. No ano passado a notícia foi a carne falsa feita a partir de carne de porco barata tratada com produtos químicos, incluindo cera de parafina e sais industriais, para torná-la mais suculenta e ‘fresca’, além da carne de carneiro falsa feita com carne de rato, marta ou raposa quimicamente tratada. Excerto de  https://www.epochtimes.com.br/pirataria-falsificacao-china-ganham-premio-reconhecimento/


FALTAM-NOS HOMENS DESTE TÊMPERA 

 Abílio Manuel Guerra Junqueiro nasceu em Freixo de Espada à Cinta a 17 de setembro de 1850. Fez os estudos os preparatórios no Liceu de Bragança e frequentou o curso de Teologia da Universidade de Coimbra durante dois anos. Compreendendo que não tinha vocação para a vida religiosa, transferiu-se para o curso de Direito daquela universidade, concluindo-o em 1873. Ainda durante o curso de Direito, começou a manifestar notável talento poético, sendo considerado um dos nomes mais promissores da nova geração de poetas portugueses da época. Em 1868, publicou o opúsculoO Aristarco Português e a obra Baptismo de Amor. Sendo antimonárquico, manifestou as suas ideias republicanas em 1873, publicando o poemeto À Hespanha Livre, em que celebrou a proclamação da república espanhola. Em 1874, publicou A Morte de D. João, obra que obteve um enorme sucesso, recebendo apreciações críticas de escritores de grande renome como Camilo Castelo Branco e Joaquim Pedro de Oliveira Martins. Em Coimbra, começou a sua carreira literária promissora como redator do jornal literário A Folha. Transferindo-se posteriormente para Lisboa, foi colaborador de jornais políticos e artísticos, como o jornal A Lanterna Mágica. Entrou para o funcionalismo público e tornou-se secretário-geral do governador civil dos distritos de Angra do Heroísmo e de Viana do Castelo. Em 1878, foi eleito deputado pelo círculo de Macedo de Cavaleiros, nunca deixando de se dedicar, entretanto, à literatura. Publicou, em 1879, a obra A musa em Férias, que reúne grande parte das suas poesias. Faleceu em Lisboa a 7 de julho de 1923.

Guerra Junqueiro teve um papel extremamente importante no cenário cultural de Portugal. Foi classificado o "Victor Hugo português" devido à sua importância e foi considerado, por muitos, o maior poeta social português do século XIX. Recebeu o reconhecimento de escritores contemporâneos importantes, como Eça de Queirós, que o considerou "o grande poeta da Península", como Sampaio Bruno, que viu nele o maior poeta da contemporaneidade, e como Teixeira de Pascoais, que o classificou "um poeta genial". Fernando Pessoa também manifestou a sua admiração por Guerra Junqueiro, classificando Pátria uma obra "superior aos Lusíadas". Da mesma forma, Miguel de Unamuno, escritor espanhol, também considerou-o "um dos maiores poetas do mundo".
A sua obra poética aborda temas sociais que refletem o panorama da sociedade portuguesa dos finais do século XIX e do início do século XX. O anticlericalismo e o ataque à burguesia corrupta são temas marcantes da obra de Guerra Junqueiro, que apresenta um profundo descontentamento com a decadência de Portugal e com postura do rei Dom Carlos e de toda a dinastia Bragança face ao destino do país. Considerava que Portugal estava entregue a uma monarquia que indiferente ao desenvolvimento do país, e desprovida de moral, porquanto entregue aos interesses ingleses. Junqueiro considerava, portanto, que o país havia entrado numa decadência moral e que só poderia se reerguer quando conseguisse redefinir a sua própria identidade, através da revolução moral.

Nenhum comentário: