expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

terça-feira, 29 de maio de 2018

Rostos do Crime -Zé da tarada . O terror de Lisboa 1975 - 76 - MEMÓRIAS DE UM REPÓTER DA RÁDIO – UMA ARREPIANTE, OUTRA COMOVENTE ATÉ ÀS LÁGRIMAS - ENTREVISTA AO LENDÁRIO ZÉ DA TARADA, QUE APRENDEU A MATAR NA GUERRA COLONIAL – R


Jorge Trabulo Marques - Jornalista

ENTREVISTA REGISTADA, EM  PINHEIRO DE CRUZ, NUM DIA DE NATAL E OUTRA A UM JOVEM DE 17 ANOS – Preso por um pequeno delito , no Estabelecimento Prisional de Lisboa, pouco dias depois de ali ter sido encarcerado, muito triste, desorientado e desamparado, filho de um pescador e de uma peixeira – Foi jogador do Espinho   - ZÉ DA TARADA, DRAGÃO, MULETA NEGRA -  ENTREVISTEI ESTES E OUTROS “ARTISTAS DO CRIME – Além de centenas de figuras públicas de todos os quadrantes da sociedade.




Num dos cadernos do DN sobre os ROSTOS  DO CRIME, é referido que “Um bando de criminosos. no qual sobressaía o Zé da Tarada. espalhou o pânico pela Grande Lisboa entre Novembro de 1975 e Janeiro de 1976. Homicídios. assaltos à mão armada. violações e sequestros. entre outros crimes. marcaram o quotidiano de oito perigosos homens.  – Pois foi justamente esse assassino, entre outros, que entrevistei, após cumprida uma longa pena e antes de ser assassinado, quando voltou á liberdade .


O Zé da Tarada (José Joaquim Barreiros da Costa). o Isidro (Isidro Albuquerque Rodrigues). o Dcdé (Herlânder Ataíde Mendes Carrilho). o Vítor Míope (Vítor Ataíde Mendes Carrilho). o Manolo (Manuel Joaquim Ribeiro Mesquita). o Dragão (Abel da Conceição Pcntrisco), o Ata (Carlos Manuel Neves Felgueira) e o Vítor (Vítor Manuel da Cruz Ferreira) fizeram trinta por uma linha no curto espaço de dois meses e pico. 



Ao que se sabe. a actividade da quadrilha começou em finais de Novembro de 1975. quando o Zé ela Tarada e os companheiros de aventura assaltaram dois casais, num parque de estacionamento de Algés, furtando-lhes tudo o que traziam de valor


O Zé da Tarada saiu da prisão e reinseriu-se na sociedade, mantendo um pequeno negócio de cavalos. Nessa altura, estava a ser vigiado pela Polícia Judiciária que descobriu que o ex-preso estava também a ser vigiado por outra pessoa. Verificaram quem era esse homem e descobriram que era o cigano que ameaçara de morte o Zé da Tarada no julgamento anos antes. E deixaram andar....
O facto: Zé da Tarada foi assassinado num ajuste de contas pelo homicídio de dois ciganos...




Teorida Conspiração: Zé da Tarada

Nenhum comentário: