expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 6 de abril de 2019

Michelangelo -Caravaggio- Um dos maiores génios da Renascença italiana, cuja obra e nome sobrevive como um dos mais importantes artistas de todos os tempos . Vale a pena contemplar a beleza da sua arte ou de quadros da escola da sua época

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e investigador 


Caravaggio 

Portugal - Escola de Caravaggio e da sua época
Michelangelo Merisi (ou Amerighi), conhecido como Caravaggio, 29 de setembro de 1571 — Porto Ercole, 18 de julho de 1610), foi um dos mais notados pintores italianos, atuante em Roma, Nápoles, Malta e Sicília, entre 1593 e 1610. Seu trabalho exerceu influência importante no estilo barroco, estilo do qual foi o primeiro grande representante. Caravaggio era o nome da aldeia natal da sua família e foi escolhido como seu nome artístico.
"Michelangelo Merisi surgiu na cena artística romana em 1600 e, desde então, nunca lhe faltaram comissões ou patronos. Porém ele lidou com seu sucesso de maneira atroz. Uma nota precocemente publicada por Floris Claes van Dijk sobre ele, em 1604, descrevia seu estilo de vida três anos antes: "após uma quinzena de trabalho, ele irá vagar por um mês ou dois com uma espada a seu lado e um servo o seguindo, de um salão de baile para outro, sempre pronto para se envolver em alguma luta ou discussão, de tal maneira que é bastante torpe acompanhá-lo".

"Considerado um farrista inconsequente, ele vivia com problemas com a polícia, sem dinheiro e buscava brigas nos pulgueiros da cidade. Em 1606, matou um jovem durante uma briga e foge de Roma, com a cabeça a prêmio. Passou por Nápoles, depois por Malta e pela Sicília, onde pintou telas de lirismo transfigurado, em temas como a ressurreição de Lázaro (Messina), na qual, sob o pavor de um imenso espaço vazio, um raio de luz rasante parece imobilizar o drama sagrado. Em Malta (1608) envolveu-se em outra briga, e mais outra em Nápoles (1609), possivelmente um atentado premeditado contra a sua vida devido suas ações, por inimigos nunca identificados. https://pt.wikipedia.org/wiki/Caravaggio


"Por seu gênio difícil e vida turbulenta, ele tem sido considerado um personagem enigmático, fascinante e perigoso.[2] O pintor neerlandês Floris Claes van Dijk, contemporâneo de Caravaggio, descreveu-o da seguinte maneira:

  Após vários anos de trabalho, Caravaggio andou de cidade em cidade servindo vários senhores importantes. É um trabalhador incansável, porém orgulhoso, teimoso e sempre disposto a participar em discussões e a envolver-se em brigas, o que torna difícil conviver com ele. Passou a envolver-se em brigas, fazer ameaças e insultos em comércios, quebrando pratos em restaurantes e ferindo seus adversários com faca ou espada.[3]



Michelangelo, o artista italiano que viveu entre 1475 e 1564, considerado ainda em vida um dos maiores artistas da história da humanidade, tendo sido responsável por obras como David, a Pieta, Afrescos no teto da Capela Cistina e ter sido arquiteto da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Michelangelo era conhecido como “O Divino”, e talvez somente Leonardo Da Vinci, que viveu na mesma época que Michelangelo, possa ser comparado à grandiosidade do artista. Mas há uma polêmica envolvendo uma de suas obras"


"Tamaso dei Cavalieri era de família aristocrata, tinha boa educação e era amante das artes. Varchi, que escreveu uma biografia de Michelangelo e também conheceu Tommaso o descreveu como um temperamento calmo e despretensioso, uma fina inteligência e educação, e uma beleza incomparável, e por tais qualidades merecia o amor de quantos o conhecessem. Após conhecer Tommaso, Michelangelo lhe escreveu duas cartas, as quais podemos perceber o quanto estava apaixonado".

"A grande polêmica envolvendo os dois, no que diz respeito a nós, nos dias de hoje, é que por conta de tão grande amor, o mestre Michelangelo teria imortalizado a imagem de seu grande amor numa de suas obras. E essa obra seria justamente uma das mais vistas e importantes até hoje, principalmente para os cristãos: a imagem de Jesus. Sim, a imagem que as pessoas associam a Jesus teria sido inspirada no retrato de um homosexual por quem Michelangelo foi apaixonado.

Apesar de não haverem provas que deixem claro que eles chegaram a consumar esse amor, há um trecho em uma das cartas escritas por Tommaso a Michelangelo onde se lê "...que Vossa Senhoria volte logo, porque voltando me libertareis da prisão: porque eu fujo das más práticas, e querendo fugir delas não posso praticar com ninguém mais senão convosco". Não há consenso se eles foram apenas amigos ou tiveram sim um relacionamento físico amoroso. - excerto de 


Nenhum comentário: