expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 20 de junho de 2019

SOLSTÍCIO DO VERÃO 2019 - ENTRA AMANHÃ, DIA 21 E NÓS VAMOS CELEBRÁ-LO - 18.00-21-00 horas - Aldeia de Chãs, V. N. de Foz Côa, COM MOMENTOS DE POESIA, AO SOM DE GAITEIROS DE MIRANDA DO DOURO E UMA SINGELA HOMENAGEM A SILVÉRIO AUGUSTO BALTAZAR – 89 anos – Figura muito estimada, natural desta freguesia e nosso devoto colaborador

Jorge Trabulo Marques - Jornalista e Investigador -  Autor da descoberta e coordenador dos eventos - Este é  dos raros lugares da Europa – e talvez do mundo – onde ainda persistem calendários pré-históricos alinhados com todas as estações do ano – As festividades evocativas, iniciam-se com o tradicional cortejo druida às 18 horas, a partir do adro da igreja, acompanhadas pelo Grupo de Gaiteiros  Mirandum  - De Miranda do Douro - Em direção ao Santuário Rupestre da Pedra da Cabeleira de N Sra (cuja gruta, em forma de sumi-arco)  é atravessada pelos raios solares do nascer do sol nos equinócios da Primavera e do Verão ), após o que se dirigirá à Pedra do Solstício.
 


DEUS SEJA LOUVADO - PELA PAZ E HARMONIA DA HUMANIDADE - O sol ao pôr-se, no dia maior do ano, ao alto do lado de lá da margem da ribeira Centeeira, que corre de sul para Norte e vai desaguar ao rio Côa, onde toma o nome de Ribeira dos Piscos, seus raios ficam em perfeito alinhamento com a crista deste majestoso bloco e uma cova circular - circulo vocativo das oferendas e sacrifícios  - a uns metros a nascente – O local, conhecido por mão-cheia, Tambores, fica situado na vertente de um antigo castro nos arredores da aldeia de Chãs, concelho de Vila Nova de Foz Côa – Tem sido cenário para a celebração do solstício do Verão – A imagem foi registada na véspera de uma das celebrações - Que é justamente a que tencionámos registar também ainda hoje  - Uma vez que a diferença é mínima do eixo da pedra e  pode ser vista, dois dias antes e dois dias depois - Até porque, o "termo "solstício" vem do Latim sendo composto pelas palavras sol e sistere (que não se mexe). Visto da Terra, o sol parece parado, mantendo uma posição fixa ao nascer e ao se pôr, durante algum tempo.

 g


Saudação .de Boas-Vindas, na véspera do solstício do Verão, dia 20 de Junho de 2019, aos peregrinos que se esperam vir participar na Celebração do Solstício do Verão  -




"O solstício de verão de 2019 ocorre a 21 de junho (sexta-feira), mais precisamente às 16h54 em Portugal. Este momento marca oficialmente o início do verão. https://www.calendarr.com/portugal/solsticio-de-verao/


Associe-se, pois,  à nossa saudação e partilhe do mesmo esplendor e alegria dos nossos mais longínquos antepassados  - Local mágico, pleno de história e de misticismo, dos tais lugares da terra onde a beleza e o esplendor solar podem repetir-se à mesma hora e com a mesma imagem contemplativa de há vários milénios pelos povos que habitaram a área


Além da leitura de poemas de vários poetas, vamos também prestar uma singela homenagem a Silvério Augusto Baltazar, um filho muito estimado na nossa aldeia, das raras memórias, mais antigas e ainda vivas, pela qual passam muitas recordações dos costumes das  nossas   gentes, tal como o documentam as suas palavras,  extraídas  do amável e extenso diálogo, que tivemos com ele no interior e à porta de sua casa,    - Uma vida de muito trabalho e de muita dedicação, à família, ao seu torrão natal e à comunidade: Silvério Baltazar,  





Antigo Agricultor, artífice,  taxista  durante 47 anos e nosso devoto e generoso colaborador – O rês do chão da casa de seus pais, onde ele também os ajudava, além da taverna e  mercearia, a mais antiga, chegou também a ser posto do telefone e dos  Correios – Silvério, é, pois, também a imagem de um tempo que tende a cair no esquecimento, até pela desertificação e  célere despovoamento da aldeia. 



O solstício de 21 de Junho marca o primeiro dia de verão no hemisfério norte (e de inverno no hemisfério sul), com o maior número de horas de luz solar do ano.
Em termos astronómicos,  o solstício de verão consiste no momento em que o hemisfério norte da Terra está mais diretamente virado para o Sol, com os polo norte inclinado em direção à estrela a cerca de 23,5 graus.








Esta extraordinária imagem,  configurando uma gigantesca esfera terrestre ou a esplendorosa configuração de um enorme globo solar  projectando os seus dourados raios, a poente, foi registada, pela primeira vez, cerca das 20.45 horas do dia 21 de Junho de 2003 e poderá repetir-se,  todos os anos,  ao fim do dia mais longo do ano e à mesma hora, caso as condições atmosféricas o permitam. 

A partir do ponto onde o sol então se pôs ( e  voltará a pôr-se) começa o Verão e, de igual modo,  a grande estrela-fiel inicia o movimento aparente da sua declinação para o Hemisfério Sul – E, até atingir esse ponto extremo, no Solstício do Inverno, distam vários quilómetros: ou seja, desde o ponto do horizonte, onde ele se vai pôr, em  perfeito alinhamento com a crista do esférico bloco e o centro do pequeno círculo que se encontra cavado, a alguns metros a oriente, na mesma laje da sua base de apoio.



Ergue-se sobranceiro ao aprazível vale da Ribeira Centieira, num ponto tal que, à primeira vista, apesar da sua brutal grandeza, parece que,  só com um simples empurrão, alguém o poderia fazer  resvalar até ao fundo da escarpada encosta.  Fica a curta distância  do Santuário Rupestre da Cabeleira de Nossa Senhora.  Visto, perpendicularmente, em direcção ao pôr-do-sol no solstício, assume a forma redonda. Observado, porém, noutro ângulo, deforma-se e  toma a forma de um busto feminino, de perfil a norte e, masculino, de perfil a sul  


Local mágico, pleno de história e de misticismo, dos tais lugares da terra onde a beleza e o esplendor solar podem repetir-se à mesma hora e com a mesma imagem contemplativa de há vários milénios pelos povos que habitaram a área-

NASCER DO SOL NA PEDRA NO SANTUÁRIO RUPESTRE DA PEDRA DE Nª SRª DA CABELEIRA, ASSINALA  A ENTRADA DA PRIMAVERA E DO OUTONO 

Os Equinócios ocorrem duas vezes por ano, na primavera e no outono, nas datas em que o dia e a noite têm igual duração. A partir daqui até ao início do outono, o comprimento do dia começa a ser cada vez maior e as noites mais curtas, devido ao Sol percorrer um arco mais longo e mais alto no céu todos os dias, atingindo uma altura máxima no início do Solstício de Verão. É exatamente o oposto no Hemisfério Sul, onde o dia 20 de março marca o início do Equinócio de Outono. http://oal.ul.pt/equinocio-da-primavera-2019/






 

O enorme penedo está orientado no sentido nascente-poente e possui uma gruta em forma de semi-arco, com cerca da 4,5 metros de comprimento, que é iluminada no seu eixo no momento em que o Sol se ergue no horizonte, proporcionando uma imagem invulgar



Na verdade, sítios há que são uma tentação, um verdadeiro centro de emanações e de eflúvios, propensos ao deleite, ao esquecimento e à sublimação. Muitas destes espaços graníticos, são um permanente convite, áurea unção e arroubamento aos sentidos. 

Aparentemente, mais lembra terra de ninguém, parda e vazia paisagem de um qualquer pedaço lunar, porém, estou certo que não haverá alguém que, ao pisar o milenar musgo ressequido destas  cinzentas  fragas, ao inebriar-se com os seus bálsamos, subtis fragrâncias, e volvendo o olhar em torno dos vastos  horizontes que se  rasgam  por largos espaços, fique indiferente ao telúrico pulsar, à cósmica configuração e  representação divina, que ressalta em cada fraguedo ou ermo penhasco



Nenhum comentário: